Árbitro decide paralisar partida entre Vasco e São Paulo após gritos homofóbicos

O jogo entre Vasco e São Paulo pela 16ª rodada do Brasileirão precisou ser interrompido abruptamente pelo árbitro Anderson Daronco neste domingo (25), por conta de gritos homofóbicos vindos das arquibancadas do estádio São Januário, no Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os donos da casa venceram a partida por 2 a 0, o que provavelmente motivou uma parte mais reacionária da torcida a levantar palavras de ofensas e ódio à equipe paulista.

Ajude a mudar a vida da Ana Paula, mulher trans em situação de rua

 

Uma semana antes do jogo, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) determinou que atitudes homofóbicas em estádios podem fazer com que as equipes percam pontos válidos nas partidas, o que comprometeria a classificação geral do campeonato.

Todos os clubes receberam uma carta assinada pelo procurador-geral Felipe Bevilacqua, como um aviso.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Gritos homofóbicos fazem árbitro paralisar jogo entre São Paulo e Vasco
Vanderlei Luxemburgo, técnico do Vasco

Gritos homofóbicos são passíveis de punição

Homofobia é crime, e casos como esse podem ser enquadrados não só na Lei Antirracismo, mas também no código disciplinar desportivo, no artigo 234-G: “Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”.

Leia também: 

Os gritos homofóbicos constrangeram os jogadores e o técnico do Vasco, Vanderlei Luxemburgo. Aos 19 minutos do segundo tempo, o árbitro Anderson Daronco foi até o banco de reservas conversar com o treinador vascaíno. Naquele momento, uma parte da torcida gritava “time de veado”.

Gritos homofóbicos fazem árbitro paralisar jogo entre São Paulo e Vasco

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Após conversar com o árbitro, Luxemburgo se virou para as arquibancadas e pediu para a torcida parar com as ofensas. O jogador Pikachu fez o mesmo, e o locutor do estádio São Januário alertou: “Não vamos gritar cantos homofóbicos para não prejudicar o Vasco”.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Folha de S. Paulo/Fotos: Rafael Ribeiro/Vasco

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,539SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Senhora que iria comemorar 90 anos morre e buffet da festa devolve dinheiro

Dizem que a vida é 10% as coisas que acontecem conosco e 90% como reagimos em relação aos acontecimentos. Algumas vezes passamos por coisas...

Há 50 anos, Dona Nair e grupo de idosas costuram enxovais para gestantes carentes

Toda semana as idosas se reúnem para costurar lindos enxovais para os bebês de mamães em dificuldades financeiras.

Lixo recolhido no carnaval de rua será transformado em lixeiras sustentáveis

Cinco prefeituras das maiores capitais brasileiras, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Salvador, se uniram à Associação Nacional de Catadores e...

Cientista autista emociona jurados do Shark Tank Brasil com história de superação

Michele desenvolveu um exoesqueleto para quem não pode andar e uma mão eletrônica para pessoas que perderam ou nasceram sem mãos.

Desconhecido cria menu personalizado da Netflix para autista assistir “Procurando Nemo”

O Analista de Suporte Rodrigo Lima usou toda sua sensibilidade e criatividade para acabar com as crises de choro do pequeno Miguel.

Instagram

Árbitro decide paralisar partida entre Vasco e São Paulo após gritos homofóbicos 2