Artista que vivia nas ruas monta ateliê improvisado em abrigo

Jeferson, que mora no abrigo municipal há seis meses, tem o sonho de expor sua arte e conseguir se bancar com a venda dos quadros.


Jeferson entre telas, tinta e pincéis em ateliê no abrigo
PUBLICIDADE ANUNCIE

Improvisado, nas instalações de um abrigo da prefeitura do Rio, surge um ateliê de pintura. O artista é o mineiro Jeferson dos Santos, 32 anos, que mora no local há seis meses, desde que conseguiu deixar de viver nas ruas da cidade.

Jeferson conta que desde criança foi incentivado a desenhar: “Meu pai é letrista e isso vem no meu sangue. Sempre mexi com tintas, quadrinhos e tudo ligado às artes.”

Ainda na adolescência, ele fez um curso de desenho por correspondência, mas nunca teve a oportunidade de trabalhar com isso. Hoje, tem o sonho de expor suas obras e, quem sabe, viver da venda de sua arte.

Jeferson pintando um quadro no ateliê do abrigo
Ele passa o dia pintando e sonha em expor a sua arte. Foto: Wanderson Cruz/Prefeitura do Rio

Jeferson mostra orgulhoso seus quadros no ateliê montado nas instalações do Rio Acolhedor, programa da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), localizado em Paciência, Zona Oeste do Rio, que atualmente abriga cerca 400 pessoas.

PUBLICIDADE ANUNCIE
Jeferson feliz entre telas e desenhos no ateliê improvisado
Jeferson feliz entre telas e desenhos no ateliê improvisado. Foto: Wanderson Cruz/Prefeitura do Rio

É em meio a tintas, telas, tecidos e pincéis que Jeferson passa parte de seus dias. Quem vê um quadro pronto não imagina o quanto o artista precisa se dedicar. Jeferson chega a levar cerca de uma semana para finalizar uma tela mais detalhada.

Jeferson veio para o Rio após passar por problemas familiares. Queria recomeçar a vida, mas acabou indo parar nas ruas. Acolhido por uma equipe da SMASDH, foi morar no abrigo.

Aqui é muito bom. Eu tenho de tudo: espaço para trabalhar, faço minhas vendas, uso meu benefício do Cartão Bolsa Família e compro tecido, tinta, verniz e outros materiais”, conta o rapaz.

Jeferson aposta que a arte vai mudar sua vida e que, em breve, muito mais pessoas irão conhecer suas telas.

A gente já está na torcida, Jeferson! Boa sorte!

Conteúdo do Rio de Boas Notícias, site parceiro do Razões.

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar