Artesãs do sertão mineiro estão há 1 ano sem salário após incêndio devastador: ‘é a vida delas’

Um grande incêndio fez com que o projeto Central Veredas, que atende de forma solidária mais de 180 artesãs da região Noroeste da Minas Gerais, ficasse sem matéria-prima. O incêndio queimou todo o algodão que o projeto tinha comprado, deixando as famílias do sertão mineiro, que vivem da tecelagem e do artesanato, sem trabalho. 😢 Queremos ajudar o projeto a se reerguer e lançamos a vaquinha no VOAA, para contribuir só clicar aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O incêndio ocorreu no ano passado na empresa onde estavam todos os algodões da Central. Ou seja, há um ano as artesãs estão paradas e sem receber. A vaquinha é para comprar a matéria-prima e também para pagar as artesãs que ficaram sem produzir neste período. “Elas estão paradas e desmotivadas, é a vida delas”, disse a gestora do projeto, Monique Figueiredo Barboza.

[Para reforçar a vaquinha, contamos com a parceria do Prêmio Brasil Criativo, que valoriza e reconhece as grandes ideias de empreendedores brasileiros. Para inscrever o seu projeto, clique aquiA cada inscrição, o Prêmio doará R$10 para a vaquinha da Central Veredas na VOAA!]

A sede do Central Veredas fica em Arinos (MG), mas, há 11 anos, ele atende vários núcleos de produção instalados em nove municípios da região Noroeste de Minas Gerais, e são elas, as mulheres, fiandeiras, tecelãs, bordadeiras e artesãs, que trazem a força de transformar o algodão em lindas obras de arte: mantas, fios cru, xales, caixas de buriti, fios tinto e muito mais, tudo manualmente! Trazendo em cada peça a história e tradição desta arte.

A Central vem transformando a vida dessas mulheres, oferecendo-lhes acesso ao mercado, qualificação, aplicação de preços justos, divulgação dos produtos artesanais, combatendo os trabalhos escravo e infantil e promovendo a igualdade de gênero. “Mas não é só isso, é autoestima, autonomia, crescimento e expansão na vida dessas mulheres. Queremos manter nossa tradição e incentivar a força dessas artesãs”, afirma Barboza.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“O projeto atua com a economia solidária. Usa o princípio do comércio justo para organizar a produção, valorizar a tradição dessas mulheres e representar a comercialização. No final dos fios desse destino – a geração e distribuição de renda.”

projeto emprega artesas prejuizo incendio internautas vaquinha projeto emprega artesas prejuizo incendio internautas vaquinha

Prejuízos do incêndio

O projeto precisa levantar recursos financeiros para recuperar os prejuízos causados pelo incêndio e remunerar as artesãs. “Hoje, as artesãs só recebem depois que vendem, nosso objetivo é gerar uma renda”, disse.

O impacto do projeto na vida dessas mulheres é muito grande! Hoje, elas conseguem viver do artesanato para sustentar suas famílias e isso graças ao suporte da Central Veredas.

“A Central Veredas surgiu quando as associações de artesãs sentiram a necessidade de alguma instituição para ajudar na divulgação, vendas e também na organização da cadeia produtiva. Pois, o processo de produção das peças passam por várias cidades até o produto final. A Central Veredas busca recurso, matéria prima, clientes, divulgação e marketing das associações. Hoje, o projeto se sustenta por meio de editais e financiadores.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

projeto emprega artesas prejuizo incendio internautas vaquinha projeto emprega artesas prejuizo incendio internautas vaquinha

Artesãs por amor

Apesar do artesanato ser a principal rendas dessas mulheres, elas fazem isso por amor. É uma cultura passada de mãe para filha. Para ter uma ideia, uma peça passa por mais de quatro artesãs, tudo é feito manualmente. O projeto auxilia as mulheres na venda, antes dele, isso era quase impossível por falta de acesso à informação dessas mulheres.

“A gente não tinha condições que correr atrás do mercado de vendas, com a chegada da Central, a gente se preocupa simplesmente de fazer o trabalho e entregar”, relatou a artesã de buriti Vanderlucia Soares.

projeto emprega artesas prejuizo incendio internautas vaquinha

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Parceria Prêmio Brasil Criativo

Diante dessa história, o Prêmio Brasil Criativo, que reconhece a força da economia criativa no país, abraçou a causa e vai realizar a primeira campanha de matchfunding (que é quando uma empresa ou instituição entra no projeto da financiamento coletivo para turbiná-la!) da nossa plataforma VOAA.

Vai funcionar assim: o Prêmio vai doar 10 reais para a campanha da Central veredas a cada inscrição do prêmio. Isso mesmo, simples assim.

Para ajudar a fazer essa história ter um final feliz, você pode inscrever sua empresa para o Prêmio Brasil Criativo (veja aqui as categorias e como se inscrever) e optar por ajudar a campanha do projeto. Não é demais? ❤

E aí, vamos ajudar o projeto a se reerguer e continuar com este lindo trabalho de tradição e incentivo às mulheres? Clique aqui.

crédito das fotos: Reprodução/Central Veredas

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Professora coloca bolas de tênis nas cadeiras para facilitar o processo de aprendizagem

Ser professor é muito mais do que uma profissão e talvez seja uma das que exigem mais responsabilidade e amor. Muito mais do que...

Modelo baiano que vendia salgadinhos para ajudar a mãe é o novo rosto da Hugo Boss

Antes de ingressar na carreira de modelo, em 2016, Gabriel Pitta, 21 anos, vendia salgados, doces, pães e bolos para eventos e festas infantis...

Polícia resgata cachorro mantido em cárcere privado para doar sangue (AL); assista

O sofrimento acabou! O cachorro Artur, que era mantido em cárcere por uma clínica veterinária em Maceió (AL) exclusivamente para doar sangue, foi libertado...

Garoto de 10 anos cria ‘cartilha’ de alfabetização para ensinar amiguinho a ler

Sabendo das dificuldades do amigo Raul, 10 anos, para aprender a ler, Gabriel Monteiro, também 10 anos, de Belém, Pará, decidiu ajudá-lo: criou manualmente...

Pedigree e Zoom conectam por vídeo cães aguardando adoção à famílias que desejam adotá-los

A Pedigree, marca de alimentos para animais de estimação, e a Zoom, serviço de conferência remota, uniram forças para conectar pessoas em quarentena com...

Instagram

Artesãs do sertão mineiro estão há 1 ano sem salário após incêndio devastador: ‘é a vida delas’ 1