Artista “bicha, trans e preta” luta contra um câncer e combate o machismo nas periferias de SP

Diretora da peça “É pra copiar ou reescrever”, apresentada em escolas da periferia de São Paulo, Linn Santos, 25 anos, declara-se como “uma bicha, trans e preta”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela disse em entrevista ao iGay que prefere ser direcionada no gênero feminino e revela questionar sua imagem e corpo: “Minha estética, meu comportamento e minha atitude não formam uma apresentação gay. Acabo transgredindo e ultrapassando essas barreiras”, diz Linn, que também luta contra um câncer.

O espetáculo dirigido por ela faz parte do projeto Espaço Aberto para a Diversidade Sexual e de Gênero na Periferia. É resultado de uma pesquisa realizada com 10 adolescentes de São Mateus, bairro da capital paulista, que discutiu questões como pornografia, sexo, sexualidade e igreja, baseando-se nas vivências dos próprios jovens.

Para Linn, a escola e os jovens ainda são opressores e machistas:

“Lá, na escola, é onde o cidadão se constrói. Nós temos que repensar e construir a maneira de olhar as diferenças desde cedo”, completa, reforçando a importância do seu trabalho.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

3onjbl317k3z6w10m7oezrim2

4kq5fsf3hnxlwt0ki2a0xvhth

506evuinnlxs1t6w99k5cchvc

Todas as imagens: Reprodução/Tumblr

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,462SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Presos transformam bicicletas roubadas em cadeiras de rodas para quem não pode comprar

Mas, os detentos do Presídio de Itajubá, no Sul de Minas Gerais, fazem muito mais pela comunidade.

Moradores de favela perto do lixão em MS cultivam horta comunitária e se alimentam muito bem

O engenheiro agrônomo Carlos Salles teve a ideia de iniciar um plantio comunitário para que moradores de favela da Cidade de Deus, em Campo Grande, MS...

Cadeirante doa dinheiro de seu tratamento de células tronco para criança que não pode andar

Há cinco anos, Dan Black ficou paralisado depois de um acidente de bicicleta. Desde então, ele vinha juntando dinheiro para um tratamento com células...

Pais estimulam filho a preencher o álbum de figurinhas da Copa sozinho

Os pais do garoto viram no álbum de figurinhas da Copa uma oportunidade para ensinar ao filho planejar suas conquistas desde cedo.

Instagram

Artista "bicha, trans e preta" luta contra um câncer e combate o machismo nas periferias de SP 4