Jovem hindu supera bullying e cria ONG nos EUA que acaba com o frio de pessoas carentes

O jovem Ashis Dhakal, 18 anos, saiu de um campo de refugiados no Nepal em direção a Utah (EUA). Chegando no novo país, o rapaz encontrou preconceito e bullying, mas não perdeu a vontade de ajudar os cidadãos do país que o recebeu.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para Dhakal, é importante manter suas raízes do hinduísmo, que prega amor e serviço ao próximo. Seguindo este pensamento, o imigrante decidiu criar a Coleta de Roupas Ashis – organização responsável por recolher e distribuir doações entre os que precisam.

“Eu sofri bullying na escola… eles me chamavam de terrorista e coisas do tipo. Eu pratico o hinduísmo e no hinduísmo servir é muito, muito importante. Porque, você sabe, nós somos ensinados a dar. Mesmo que você não tenha nada, tentamos dar o máximo que pudermos“, contou o jovem ao canal americano NBC.

Símbolos do hinduísmo
Foto: Pixabay / Barbara Mack

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A ideia de Dhakal surgiu alguns anos atrás. Enquanto estava limpando a mesa do restaurante de uma rede de fast food em que trabalhava, o jovem conversou com um rapaz sem-teto que explicou como se tornou uma pessoa em situação de rua.

Durante o papo, Dhakal percebeu que uma das necessidades daquele homem eram roupas. Desta forma, em 2019, a Coleta de Roupas do Ashis teve sua primeira ação para a comunidade distribuindo meias, gorros, jaquetas, casacos e até sapatos.

Infância pobre fez enxergar a si mesmo nos ajudados

Menino carregando roupas
Ashis Dhakal conseguiu recolher 3 mil casacos com apoio do empresário Mark Cuban. Foto: reprodução/Comcast

De origem humilde, Dhakal passou por adversidades parecidas com os assistidos pelo seu projeto. E para o jovem, a grande razão de estar ajudando é saber como é a realidade do outro lado.

“O grande porquê na minha vida é que, quando eu era criança, atravessando a pobreza, eu estava na mesma situação que eles estão agora. Eu tenho uma casa. Eu tenho computador. Eu tenho telefone. Mas pensei nisso: estas crianças continuam sofrendo.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Agora, o objetivo de Dhakal é montar uma empresa multimilionária para doar seus lucros e ajudar outras pessoas. Para este ponta pé, a NBC conseguiu um encontro entre o jovem e o empresário e integrante do programa “Shark Tank” Mark Cuban.

O bilionário americano deu a meta para Dhakal de recolher 575 casacos. Entretanto, após passar o contato da responsável pelo lar de refugiados de Utah, o jovem recebeu cerca de 3 mil agasalhos.

“Eu nunca sonhei em coletar 3 mil casacos, mas Utah fez isso se tornar possível, as pessoas com quem me conectei fizeram isso ser possível. […] Estou muito agradecido e feliz por estar na posição na qual estou para unir a comunidade e causar impacto.”

Apesar de todo o preconceito que sofreu nos Estados Unidos, Dhakal se agarrou à sua fé e continuou pregando o melhor dentro de sua comunidade. Que história de perseverança para um rapaz tão jovem! 👏

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


Curtiu a jornada do Dhakal? Que tal conhecer mais uma história inspiradora? 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,413,626SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Menino cadeirante que sonha ser policial ganha surpresa em Aracaju

A fanpage do Aracaju Agora Notícias publicou uma história sensacional, que fazemos questão de mostrar aqui. A Polícia Militar de Sergipe, por meio da Companhia...

Cabra que sofre de ansiedade só fica calma com fantasia de pato

É só vestir a fantasia de pato que a cabra Polly fica "zen e relaxada".

Em votação relâmpago, fim do foro privilegiado é aprovado em comissão

Deputados federais aprovaram nesta terça, 11, em votação relâmpago, uma PEC - Proposta de Emenda à Constituição que extingue o foro privilegiado para mais de...

Atendente dá a volta por cima depois de ver sua gentileza sendo exemplo para outros

Sabe aquela história de que o bem que a gente faz sempre retorna pra gente? Não existe situação melhor do que a que vamos...

Mãe que narrou jogo para filho cego é finalista do Prêmio Fifa de melhor torcedora

Sílvia Grecco, mãe adotiva de Nickollas, viralizou em um vídeo que mostra ela narrando o jogo entre Corinthians e Palmeiras para o filho cego.

Instagram