Após sofrer muito, autista cria aparelho que anula ruídos que incomodam pessoas com o transtorno

Quem convive com o autismo sabe que uma das principais características dessas pessoas é a hipersensibilidade auditiva. O barulho incomoda tanto que é capaz de fazer o autista chorar ou impedir que ele tenha uma vida funcional.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A dentista Carol sabe bem o que é isso porque sempre sofreu muito com esse problema. “Eu tinha crises constantes, precisava me deitar no chão, vomitar ou tinha muita dor de cabeça”, conta.

Ela, como milhares de pessoas com o Transtorno do Espectro Autista, só recebeu o diagnóstico tardiamente, aos 28 anos de idade, foi quando conseguiu compreender porque enfrentava tantas dificuldades na vida.

Menina autista sentada em cima da cama
Carol passou pela infância, adolescência e início da idade adulta sem saber que era autista. Foto: Arquivo pessoal

Minha vida profissional foi um fracasso, acumulei dívidas, abandonei a profissão e tentei suicídio. Foi quando comecei o acompanhamento e veio o diagnóstico de Asperger”, narrou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mulher autista deitada na cama
Carol sofreu bastante até descobrir que era autista e que tinha tratamento. Foto: Arquivo pessoal

A virada para ela veio ao participar de um evento chamado Hackathon, que reúne programadores e designers em torno de desenvolvimento de soluções para problemas cotidianos.

“Eles procuravam uma solução para a inclusão dos autistas no mercado de trabalho, pensei que se existisse algo que automaticamente cancelasse apenas as frequências que causam hipersensibilidade no autista, poderia melhorar a qualidade de vida de muitos deles”, disse.

Vaquinha para Nilson, que perdeu os dois braços um dia antes do nascimento do filho e sonha ter próteses para carregá-lo

Autista pode escolher qual frequência vai ouvir e anular todos os outros ruídos

Carol se engajou com uma equipe de 5 jovens de todo o país, que são neurotípicos. Eles otimizaram a sua ideia e desenvolveram um fone de cancelamento por condução óssea associado a um aplicativo que o próprio autista consegue regular quais frequências vai ouvir e quais vai anular.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Isso quer dizer que diferentemente dos abafadores de ruído, nosso fone permite, por exemplo, que um autista esteja na sala de aula e programe para ouvir apenas a frequência da voz da professora. Os outros ruídos podem ser cancelados“, explicou.

Haste semelhante a fone de ouvido de cabeça
Austic elimina ruídos indesejáveis para os autistas. Foto: Divulgação

O protótipo Austic está sendo testado e em breve deve ser disponibilizado no mercado. A iniciativa ganhou o Hackathon, realizado pela Autismo Tech em primeiro lugar, e hoje tem como apoioadores CEOs do Magazine Luiza e do Carrefour. “Atualmente estamos procurando investidores para que possamos transformar o protótipo em realidade. Já temos uma lista enorme de interessados”, disse.

Veja um pouco da vida de Carol e como funciona o dispositivo:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Autismo com Amor (@autizando) em 5 de Set, 2020 às 5:13 PDT

“Eu acho que eu poder estar ajudando a desenvolver algo que pode ajudar outros autistas, significa muito mais que um fone, significa esperança e representatividade. A partir do momento em que eles me escutaram e desenvolveram uma inteligência artificial para os autistas, mostra que nossa comunidade tem voz”, falou Carol.

Tudo o que você precisa saber sobre o autismo para começar a compreendê-lo

[Nota da Redação]

Estamos com um projeto especial com a Lancôme falando sobre a importância de compartilhar felicidade. Para ler todas as histórias clique aqui.

Carol faz crochê para pagar faculdade de medicina

A descoberta do seu diagnóstico e a iniciativa do fone despertaram em Carol a motivação de estudar mais sobre o autismo e a inteligência artificial associada à medicina. E assim ela começou a cursar medicina.

Mas por causa dos problemas financeiros que acumulou antes de saber que era autista, ela não conseguiu financiamento para o curso e não tinha reservas financeiras. Para isso, a jovem faz crochê. “Meu sonho é terminar a faculdade de medicina. Quero ser neuropediatra e ajudar outros autistas“, disse.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Autismo com Amor (@autizando) em 6 de Ago, 2020 às 5:50 PDT

Ela também está desenvolvendo um projeto voluntário, o Autizando. Carol vai criar um aplicativo que conecta profissionais que estão dispostos a atender voluntariamente pessoas autistas com as famílias dessas pessoas. A dentista também tem uma tia com autismo severo.

“Eu preciso lutar pelos autistas não verbais. Precisamos mostrar que nossos pensamentos ‘diferentes’ e fora da caixa devem ser levados em consideração. Essa é a bandeira que eu levo desde meu diagnóstico“, finalizou.

Carol, você é inspiração e representatividade!!!

selo conteúdo original

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,056,852SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem escreve um relato emocionante para homenagear irmão que morreu

A internet sempre nos presenteia com histórias que amolecem o nosso coração. Muitas delas lembram que devemos amar o outro intensamente, sem medo e...

Empresa transforma plástico descartado em moradias

Você sabia que só com o plástico descartado todos os anos é possível dar quatro voltas na Terra? Já nos aterros sanitários, apenas 5% hoje...

Mulher com câncer pede aos amigos para cortar seu cabelo em vídeo emocionante

Ninguém é “só”, somos “juntos”. O que seria da gente sem os nossos amigos, aquelas pessoas que se fazem presentes em nossas vidas nos...

História de amor de mulher e marido doente comove web e vaquinha bate mais de R$ 40 mil

A história da Analice e do Junior só mostra como o amor é capaz de superar muitos obstáculos e dificuldades. Junior foi atropelado há dois...

Depois que a esposa faleceu, pai e filha recriam fotos como forma de homenageá-la

Além de ter que lidar com sua perda, o pai se preocupou em como seria agora apenas ele e a filha, mas principalmente, em ela não se esquecer de sua amorosa mãe.

Instagram

Após sofrer muito, autista cria aparelho que anula ruídos que incomodam pessoas com o transtorno 2