Bailarino de 9 anos, filho de manicure, tenta chegar a escola de dança na Flórida

Por Rio de Boas Notícias

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bernardo Régis, 9 anos, aprendeu que no balé tudo é possível quando se tem garra, força de vontade e determinação. E é com este espírito que o menino luta para participar de um concurso para ingressar em uma renomada escola de dança em San Petersburg, na Flórida (EUA), em março. A parte mais difícil ele já conseguiu: foi selecionado. Agora precisa arrecadar fundos para chegar até lá e vencer a burocracia que lhe negou o visto americano.

Bernardo começou a dar seus primeiros passos na carreira, aos 7 anos, na Escola Municipal Rosa do Povo, no Tanque, Zona Oeste do Rio. Ele se apresentava em uma mostra de dança das escolas públicas quando chamou a atenção de Alice Arja, bailarina que tem uma escola de dança com o mesmo nome. Ganhou bolsa integral na companhia e se aperfeiçoou em balé, jazz, sapateado e contemporâneo.

Veja Bernardo no palco:

Talentoso, Bernardo foi selecionado para participar de um concurso para ingressar em uma companhia de San Petesburg, na Flórida, que será realizado em março. Só que o menino e a mãe, a manicure Carla Mendes, de 38 anos, tiveram o visto de entrada nos Estados Unidos negado pelo Consulado Americano. A família, humilde, está inconsolável e buscando uma solução para a questão.

O sonho não tem limites. Por isso, vou continuar sonhando em ser um grande bailarino”, postou o menino, recentemente, em uma rede social.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bernardo em uma mostra de dança
Dedicado, o jovem talento diz que o balé ‘é tudo em sua vida’ – Foto: reprodução/Instagram

Existe uma mobilização coletiva para Bernardo conseguir realizar o sonho da vida dele. A Escola Rosa do Povo está ajudando o pequeno bailarino a juntar os R$ 20 mil necessários para custear a viagem. Professores e responsáveis organizaram um bazar e criaram rifas.

Além disso, sua mãe, a grande parceira neste sonho, se desdobra para ajudar o filho a se tornar um bailarino. Ela faz a mão e vende canetas personalizadas, além de ter criado uma vaquinha online para arrecadar fundos (link aqui). A vaquinha fica aberta até o dia 28 de fevereiro, data limite para a viagem. Até o momento já foram arrecadados R$ 13 mil dos R$ 20 mil necessários. 

Quer mais boas notícias do Rio? Leia também:
Dança do Passinho é patrimônio cultural do Rio
Vizinhos se unem e reformam escola municipal na Barra
Mutirão recolhe 2,5 toneladas de lixo em praias selvagens do Rio

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Outra tarefa é sensibilizar o Consulado Americano a liberar o visto para que o jovem Bernardo consiga mostrar seu talento na seleção de uma grande companhia. “Meu sonho é poder ter a chance de ser um grande bailarino em uma escola renomada lá fora do país. E por isso vou continuar lutando”, diz o pequeno no texto de apresentação de sua vaquinha online.

Voe, Bernardo! Um grande bailarino você já é.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,638,512SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Surfistas vão todos os dias à praia para salvar vidas e recebem gratidão de banhistas

Só quem já passou pelo susto de perder o controle ao nadar em um mar ou uma piscina sabe o tamanho do alívio quando...

Professora leva aulas para calçada e ajuda crianças em situação de rua a ler e escrever, no México

Foi em um ano super difícil, como 2020, que vimos as histórias mais lindas de amor e respeito ao próximo. E foi assim que...

Pai solteiro que cresceu em abrigo adota 5 irmãos para evitar que fiquem separados, como ele foi na infância

O americano Robert Carter, de 29 anos, foi adotado quando tinha 12 anos e passou um período longe de seus irmãos, por isto, quando...

Ele nasceu sem uma perna, mas isso não o impediu de tornar-se jogador de futebol

Conheçam o Nico Calabria, ele nasceu com apenas uma perna, mas nunca se deixou abater pelo fato de sua deficiência, pelo contrário, buscou fazer...

Caixas de leite proporcionam conforto térmico a famílias de baixa renda

Startup usa caixas de leites para proteger famílias do forte calor emitido pelas telhas de amianto que cobrem suas casas.

Instagram