Bebê abraça mulher com mesma condição que ele e emociona a todos

É comum para um bebê “estranhar” a visita de alguém que ele nunca viu na vida, ainda mais se essa pessoa tentar pegá-lo no colo. Mais difícil ainda é convencê-los, mesmo com as mais sinceras tentativas do papai e da mamãe.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Porém, numa ocasião um tanto especial, tudo foi diferente para Joseph Tidd, um bebê de ano. Num evento organizado pela associação de apoio a pessoas com deficiência física, a Lucky Fin, o bebê encontrou Amy, 34 anos, uma moça que, assim como ele, não tem a parte inferior de um dos braços.

Joseph não pensou duas vezes e correu para dar um abraço em Amy, emocionando todos os presentes do evento, especialmente sua mãe.

 [Nota da Redação do Razões] (Matéria continua depois do vídeo abaixo)

Crianças trocam brinquedos por pedido de trabalho para seus pais em cartinhas ao Papai Noel, assista:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

LEIA TAMBÉM: Por que cuidar da saúde deve estar no topo da sua lista de resoluções para 2019?

“Geralmente, não publicamos muitas coisas, mas esse vídeo do Joseph é muito doce para deixar de compartilhar. Ele sentiu uma conexão com Amy imediatamente!”, escreveu Collen Miles Tidd no seu perfil pessoal do Facebook.

Na página oficial da Lucky Fin, a mãe de Joseph agradeceu Amy. “Que momento lindo! Obrigada por ser tão gentil com meu menininho”. Amy respondeu em seguida: “Tenho certeza de que esse menino, sozinho, poderia iluminar o mundo inteiro. Me sinto muito abençoada por ter compartilhado esse momento com ele”.

Amy e Joseph nasceram com uma condição genética rara chamada symbrachydactyly, uma anomalia congênita que impede que os braços se desenvolvam integralmente no útero.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia tambémMenino curado vira médico para cuidar de crianças com câncer

A symbrachydactyly é caracterizada por anomalias diversas nos membros do corpo, como braquidactilia (dedos mais curtos), sindactilia cutânea (quando dois ou mais dedos nascem grudados) e hipoplasia global (quando um tecido ou órgão do corpo nasce subdesenvolvido). Essa condição é extremamente rara, atingindo 1 em cada 50.000 recém-nascidos.

Assista ao vídeo abaixo (se não conseguir visualizar, clique aqui):

Compartilhe o post com seus amigos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Revista Crescer
Foto: Reprodução / Reddit

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,833,091SeguidoresSeguir
24,677SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

‘Pegadinha’ descobre se aquele seu amigo enfrentaria perigos pra te ajudar

Nessa onda toda de pegadinhas publicitárias, algumas de gosto bem duvidoso, eu tenho preferência pela abordagem da Carlsberg. A do cinema cheia de mal-encarados, por exemplo, foi...

Projeto de retratos confronta estereótipos raciais e preconceitos

"People Are Equal" é um projeto de fotos instigante criado pelos brasileiros Tiago Abreu e Linus Oura. Com a ajuda de fotógrafos de todo o mundo,...

Alunas transformam óleo de cozinha em sabonete para os sanitários de sua escola

O óleo de cozinha pode causar grandes problemas à natureza, se descartado de maneira incorreta. Preocupadas com esse problema, as estudantes Quênia Costa de Carvalho, Gilvania dos...

Em SP, ciclistas encontram cão abandonado em estrada e o levam para casa

Um grupo formado por vários ciclistas que estavam pedalando na Rodovia dos Bandeirantes, que liga São Paulo ao interior, teve uma atitude linda e...

Professora inclui aluno cego com materiais 100% táteis e viraliza nas redes sociais

A professora de Geografia Fabiana Rocha criou para Nathan gráficos com diversas texturas, pirâmides etárias de Lego, mapas com divisões em linhas e grãos, entre outros materiais táteis para incluir o aluno nas suas aulas.

Instagram

Bebê abraça mulher com mesma condição que ele e emociona a todos 3