No Reino Unido, bebê prematura é salva graças a saco de sanduíche; entenda

0
1845

A pequena Orla-May nasceu prematura, com apenas 490 gramas. Seu nascimento, ocorrido no Reino Unido, foi um desafio para a equipe que fez o parto. Para conseguir manter a bebê aquecida, os médicos a envolveram em um saco plástico. E garantem que foi graças a esse procedimento que ela resistiu.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Orla-May veio ao mundo em 28 de janeiro, com apenas 27 semanas, após sua mãe, Emily Rospo, apresentar complicações.

bebê prematuro
Emily Rospo segura a pequena Orla-May. Foto: reprodução/Facebook

Emily teve insuficiência placentária, que é uma condição em que a placenta fornece menos sangue para o bebê do que o ideal para que ele cresça bem. Os riscos desse diagnóstico são grandes, incluindo o parto prematuro, que foi o que aconteceu.

Logo após o nascimento, que foi feito por cesárea, as mães de Orla-May, Emily Rospo e Samantha Hughes, de Hitchin, Hertfordshire, foram avisadas que a garotinha poderia não sobreviver. Mas os médicos estavam dispostos a fazer de tudo para essa pequenina resistir. E conseguiram!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Quando ela nasceu, eles trabalharam muito para fazer com que ela respirasse. Eles colocaram um tubo em sua garganta e a colocaram em um saco plástico de sanduíche para se certificar de que ela continuaria quentinha”, disse Emiily.

bebê prematuro
Saco de sanduíche é usado para manter temperatura corporal. Foto: reprodução/Daily Mail

Ela contou que Orla-May ainda está internada, mas foi transferida para uma incubadora. As mães não perderam a esperança em nenhum momento e vibram por cada melhora da bebê. “Nunca vi nada tão pequeno e frágil. Eu sei que temos um longo caminho pela frente, mas oro todos os dias para que Orla-May cresça e se torne grande e forte”, completou.

Por aqui, também seguimos na torcida para que essa pequena guerreira supere esta fase! Forte a gente já sabe que ela é ❤

Fonte: Revista Crescer

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.