Bebês sobrevivem a parto prematuro de 22 semanas no Reino Unido: “Meus milagres vivos”, diz mãe

Os pequenos Harley e Harry Crane enfrentaram chances de sobrevivência baixíssimas quando nasceram prematuramente com apenas 22 semanas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas os gêmeos superaram todas as probabilidades e em breve devem receber alta hospitalar.

A mãe deles, Jade Crane, passou mais de uma década passando por tratamentos de fertilidade com seu parceiro Steve depois de tentar engravidar naturalmente por três anos, mas até a chegada dos gêmeos, nada havia funcionado para o casal.

Bebês sobrevivem a parto prematuro de 22 semanas no Reino Unido

“Steve e eu estamos juntos há 14 anos”, disse Jade, “e 11 deles foram gastos fazendo fertilização in vitro. Em nosso oitavo ciclo de fertilização in vitro, transferimos dois embriões que funcionaram, e acabamos com gêmeos menino e menina”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu não podia me deixar acreditar, eu estava com tanto medo de um aborto espontâneo ou algo dar errado… Eu literalmente não fiz nada físico durante a gravidez como resultado disso”, desabafou.

Bebês sobrevivem a parto prematuro de 22 semanas no Reino Unido

“Eu ainda estava incrédula quando chegamos às 20 semanas de gestação. Ainda não havia chegado ao terceiro trimestre quando entrei em trabalho de parto, então comecei a me desesperar”, relembrou.

Como resultado da aflição em não saber se os bebês se desenvolveriam ou não, Jade não chegou a pintar o berçário deles, não fez o chá de bebê, tampouco comprou os móveis, como os berços.

“As poucas peças de roupa que comprei me fizeram pensar que é melhor eu manter as etiquetas apenas no caso – você só não quer se deixar acreditar”, disse.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A ex-enfermeira de saúde mental e conselheira de vícios foi examinada no Queens Medical Hospital, em Nottingham, em 26 de outubro, depois de sentir um vazamento de fluídos por vários dias quando estava com 22 semanas.

Um exame interno revelou que Jade, 39 anos, estava passando por uma ruptura prematura das membranas fetais, e ela ficou arrasada ao saber que perderia seus gêmeos.

Ela disse: “O médico ficou muito chocado – me disse que podia ver a membrana protuberante, então o ‘saco de água’ estava basicamente aparecendo. Foi muito assustador. Eu sabia que estava com 22 semanas, mas não sabia da questão da viabilidade. Eles me disseram que iriam me internar, mas que eu provavelmente estava tendo um aborto espontâneo”, lamentou.

“O médico continuou dizendo que haveria um aborto espontâneo, mas eu disse que não poderia ser porque eu podia sentir os bebês se mexendo“, relembrou Jade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bebês sobrevivem a parto prematuro de 22 semanas no Reino Unido

‘Eu sabia que eles estavam bem, mas estavam sendo informados de que não sobreviveriam nesta gestação.’

As mulheres podem interromper legalmente uma gravidez de até 24 semanas, e os médicos não são obrigados a intervir medicamente em bebês nascidos antes desse período, portanto, os gêmeos nascidos com 22 semanas precisaram lutar em dobro por sua própria sobrevivência.

Jade decidiu se transferir para o Queens Medical Hospital em Nottingham, pois queria um nível mais alto de monitoramento interno devido ao seu histórico de fertilidade.

Felizmente para Jade, a instalação é um hospital-escola e os médicos intervêm com bebês nascidos com 23 semanas ou mais, em um esforço para aprender mais sobre partos prematuros.

Com Jade a apenas 30 horas dessa marca de 23 semanas, os médicos optaram por intervir porque seus bebês mostraram sinais de vida quando nasceram.

“O parto aconteceu muito rápido”, disse ela, que mora em Derby, no Reino Unido. “Me negaram medicação para dor e monitoramento durante o trabalho de parto porque eu não era viável, o que foi horrível, realmente”.

“Foi só porque os bebês nasceram com sinais de vida que eles decidiram intervir medicamente. Eles estavam vivos, se movendo, e choraram. Seus pequenos gritos soaram como um gatinho minúsculo. Lembro-me de dizer que não conseguia ouvir Harley chorar e uma das enfermeiras disse que eu não ouviria porque ela era muito prematura, mas ainda assim ouvi alguma coisa”.

“Harry fez o mesmo quando nasceu uma hora depois”, completou.

Bebês sobrevivem a parto prematuro de 22 semanas no Reino Unido

Tiny Harley e Harry foram entubados e levados para a UTIN, onde permaneceram em ventiladores enquanto os médicos trabalhavam para salvá-los.

“Lembro-me de ser levado para a UTIN e a primeira coisa que perguntei foi se eles ainda estavam aqui porque eu não sabia se estariam, mas estavam e ainda estão – 79 dias agora”, diz Jade.

Os gêmeos passaram por muitas cirurgias em suas curtas vidas para combater os problemas de saúde que enfrentaram como resultado de seu nascimento prematuro, incluindo doenças pulmonares crônicas.

Harley agora tem uma bolsa de estoma ajustada, Harry recentemente recebeu injeções em seus olhos para ajudar a prevenir a cegueira prematura, e ambos foram diagnosticados com um sério problema gastrointestinal chamado enterocolite necrosante, que pode ser fatal.

Como resultado de seus problemas de saúde contínuos, Jade foi instruída a se preparar para dizer adeus.

“Disseram-nos para receber a família e fazer um batizado”, lembrou ela. ‘Fiquei me referindo ao batizado como ‘o funeral’. Foi simplesmente horrível”, relembrou.

Bebês sobrevivem a parto prematuro de 22 semanas no Reino Unido

Mas, felizmente, os gêmeos continuaram a superar as probabilidades e agora estão mais saudáveis do que nunca.

Jade e Steve, 52, agora estão se preparando para trazer seus bebês para casa. “Eles estão absolutamente incríveis. Eles estão fazendo todas as coisas que nos disseram que não fariam – estão chorando, estão sobrevivendo”, comemorou a mãe.

“Depois que eles nasceram, eu estava pesquisando no Google gêmeos que sobrevivem com 22 semanas e tentando encontrar algum que me desse esperança… Encontrei um par de gêmeos na América que sobreviveram – eles são quatro agora. Eu me conectei com a mãe deles no Instagram, e ela me orientou nos primeiros dias de permanência na unidade e o que pedir”, disse Jade.

Bebês sobrevivem a parto prematuro de 22 semanas no Reino Unido

“Os médicos estão surpresos, eles estão realmente torcendo por nós agora. Não há nenhum cirurgião no hospital que não tenha ouvido falar de nossos gêmeos”, afirmou a britânica.

“Steve e eu estamos ótimos, estamos sempre no hospital. Nós nos importamos, então trocamos a fralda, alimentamos os bebês – Steve está fazendo tudo isso, ele está realmente focado”, complementou.

“Estou tão orgulhoso dos meus bebês – eles são pequenos lutadores”, disse o papai coruja.

“Os médicos estavam dizendo que os bebês não sobreviveriam nesta gestação. Eu ainda estava a duas semanas do que o Reino Unido considera viável e os bebês tiveram 0% de chance de sobrevivência. Foi só porque eu estava em um hospital-escola e os bebês nasceram com sinais de vida que eles optaram por intervir medicamente”, completou Jade.

Fonte: Daily Mail
Fotos: Jade Crane / SWNS

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,806,528SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Esse cãozinho é tão amado que ganhou uma casa própria equipada até com câmeras de segurança

Um post no Facebook que mostra um cãozinho todo pleno aproveitando a casa que ganhou sob medida do dono, com direito até a câmera...

Policiais fazem festinha de aniversário para menina pobre de Santos (SP) encontrada na rua chorando

Falar que todo policial militar no Brasil é incapaz de demonstrações de carinho é uma grande injustiça. O que dizer dos três policiais que...

Jovem que cantava de ônibus em ônibus para pagar faculdade se forma em Medicina no MA

Na última segunda-feira (18) foi comemorado o Dia do Médico - data de celebração aos responsáveis por cuidar da saúde de milhões de pessoas. Esse...

Consultório odontológico itinerante devolve o sorriso para pessoas do interior do Brasil

A prioridade é visitar cidades do interior, onde o acesso ao tratamento é mais restrito.

Menino é curado de câncer graças ao tratamento com células-tronco usando cordão umbilical doado

Um garotinho de nove anos agora está livre de um câncer após ser submetido a um tratamento de ponta com células-tronco advindas de um...

Instagram

Bebês sobrevivem a parto prematuro de 22 semanas no Reino Unido: "Meus milagres vivos", diz mãe 2