Professor faz biblioteca colaborativa em parada de ônibus e incentiva a leitura no Amapá

Uma biblioteca em uma parada de ônibus, com o objetivo de promover o incentivo da leitura e distrair os passageiros enquanto esperam o ônibus. Essa foi a ideia genial do professor de ciências da computação, Rafael Pontes Lima, que resultou no projeto “Ler é pai d’égua”. (Você também pode apoiar Educação com Visa, sem pagar nada a mais por isso, inscreva-se aqui.)

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O nome faz referência a uma expressão regional muito usada, que significa  “bom, legal”. O ponto de ônibus fica em Macapá, no Amapá, mais especificamente na Rua Doutor Braulino, no bairro Universidade.

Tudo começou quando Rafael construiu uma vila de kitnets, com a intenção de homenagear seus pais, Elza Pontes e Francisco Lima. Na frente do local, Rafael percebeu que o ponto de ônibus não tinha nenhum conforto. Ele resolveu então construir um banco para que os passageiros pudessem esperar o transporte com mais comodidade, usando materiais reciclados.

A ideia da biblioteca surgiu quando ele percebeu que havia sobrado madeira. Então ele também construiu uma prateleira no local e colocou alguns livros.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Quando comecei o projeto no ponto de ônibus, passei a ouvir as pessoas que pegavam os livros pra ler. Muitos relataram que nunca compraram um livro. Ou nunca tiveram a oportunidade de ter um livro pra ler. Muitos diziam também do apego aos livros, e tinham dificuldades em dar ou doar. E quando viram o projeto, e o formato de troca, doação e colaboração, entenderam que poderiam doar os livros, pegar outros e ajudar outras pessoas a ler” conta Rafael.  Você também pode ajudar a sua causa preferida por meio do programa Visa Causas. Inscreva-se já e comece a ajudar.

Livros, revistas e jornais são doados pela própria comunidade do bairro e amigos, além de existir arrecadação através das redes sociais. Todo o acervo é gratuito.

O projeto foi tão bem aceito que cresceu, e as pessoas começaram a pedir em outros pontos. Rafael decidiu então conversar com diretores de escolas.

“Passamos nas salas de aula e pedimos que professores e alunos doem livros. Quando conseguimos arrecadar, instalamos a prateleira em um local da escola e iniciamos o projeto. Hoje, em cada escola, a própria comunidade mantém o “abastecimento” por doação de livros”, explica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os professores e alunos que participam do projeto relataram que o interesse pelos livros aumentou. Rafael tem noção da importância da leitura na formação do indivíduo: “Como sou professor, a leitura é minha fonte de conhecimento. Entendo a leitura como um processo de construção intelectual e social. Ler faz com que as pessoas se emancipem. Entendam o mundo a partir da sua ótica. Ler liberta para que a pessoa busque seus sonhos”, explica.

Apoie causas com Visa, sem pagar a mais por isso. Inscreva-se e ajude já! Aqui.

Assista o vídeo abaixo que ele conta um pouco mais da história do projeto:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,839,934SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Colônia árabe-libanesa em Curitiba (PR) mobiliza comunidade e arrecada doações para vítimas de Beirute

A colônia árabe libanesa de Curitiba está com uma linda ação, para arrecadar doações que serão enviadas para as vítimas da explosão de Beirute,...

Anvisa lista produtos que podem substituir álcool 70% para limpar superfícies

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) divulgou uma interessante nota na última quinta-feira (23) explicando como os produtos saneantes, dentre eles detergentes, sabão...

Jovem de 27 anos adota adolescente de 18 que tinha relacionamento difícil com família biológica

Elas têm idade para ser irmãs, você deve achar, mas são mãe e filha. A Juliana tinha 27 anos quando adotou a Maria Eduarda,...

Professora adapta aulas para aluno especial: inclusão!

A professora Joana D’Arc Manente faz o que está ao seu alcance para promover a inclusão do garoto Stevão.

Em vídeo emocionante, neto canta para avó e faz ela ir às lágrimas; assista!

Tem coisa mais genuína que o amor entre avó e neto? ❤️ Em um vídeo emocionante compartilhado pelo Razões no Insta, um menino canta para sua...

Instagram