Analfabeto sonha construir biblioteca para diminuir analfabetismo no interior da Bahia

Construir uma biblioteca rural para fomentar a educação na comunidade. Esse é o sonho do líder comunitário Delo, 43 anos, que não sabendo ler e nem escrever, viu na leitura a chance de mudar a realidade de crianças e adultos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Delo é vice-presidente da Associação de Criativa e de Matriz Africana da Comunidade Valérias no município de Heliópolis, interior da Bahia.

Sua história ficou conhecida através do graduando em Geografia, Vilmário Sousa, 28 anos, que realiza um estágio obrigatório na comunidade e que também abraçou esse sonho.

Para ajudá-los na construção da Biblioteca Rural Comunidade Valérias, lançamos a sua vaquinha na VOAA. Clique aqui e contribua.

líder comunitário ao lado pai e dos livros de comunidade baiana
Delo ao lado do pai que o apoia no projeto. Foto: Arquivo Pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

moradores de comunidade baiana e frente aos livros do projeto biblioteca rural
Livros estão armazenados num local precário e correm o risco de serem danificados pela chuva. Foto: Arquivo Pessoal

livros do projeto biblioteca rural em comunidade baiana
A comunidade possui um acervo com cerca de 500 livros. Foto: Arquivo Pessoal

“Nosso projeto de estágio é voltado para a educação em ambientes não formais de aprendizagem. E é neste ponto a inserção da ideia de arrecadar fundos para a construção da biblioteca rural”, afirmou o futuro professor Vilmário.

Em um espaço improvisado e bem precário, seu Delo armazena cerca de 500 livros que sofrem o risco de serem danificados pela chuva.

“Com a biblioteca rural, Delo pretende mitigar questões locais como analfabetismo (de jovens e adultos) e evasão escolar”, informou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Biblioteca ajudará a diminuir índice de analfabetismo na comunidade

Vilmário explicou que a proposta é tornar a biblioteca também um espaço de alfabetização para jovens e adultos, já que é alto o índice de analfabetismo na comunidade.

“Acredito muito na transformação social da comunidade a partir da educação.”

Para ajudá-los na construção da Biblioteca Rural Comunidade Valérias, lançamos a sua vaquinha na VOAA. Clique aqui e contribua.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Conheça a comunidade Valérias

A comunidade Valérias fica no interior da Bahia, em Heliópolis, e é organizada pela Associação de Criativa e de Matriz Africana, juntamente com um grupo de mulheres que desenvolve trabalho de artesanato para geração de renda.

A história da comunidade organizada em associação comunitária começa em 2010, através de ações sociais como palestras, oficinas, rodas de discussão e eventos usando a educação como principal pauta.

moradores de comunidade baiana lendo livro do projeto biblioteca rural
Foto: Arquivo Pessoal

moradores e idealizadores do projeto biblioteca rural no interior da Bahia
Foto: Arquivo Pessoal

planta do projeto da biblioteca rural no interior da Bahia
Planta da biblioteca rural. Foto: Arquivo Pessoal

Vamos ajudar na construção da Biblioteca Rural Comunidade Valérias? Clique aqui e contribua.

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,777,376SeguidoresSeguir
23,800SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Gari viraliza nas redes sociais ao dançar com uma vassoura no calor escaldante do Rio

A vida é muito mais doce quando sorrimos para ela, como mostra o gari Valdo Luís Marques da Conceição, de 53 anos, que viralizou...

A educação como caminho para combater a intolerância de gênero

“Acredito que o primeiro passo é desconstruir a ideia de que existe "coisa de menino" e "coisa de menina", azul pra um e rosa...

Para esta professora veterana, toda criança merece um adulto que nunca vai desistir deles

Rita F. Pierson, professora há 40 anos, uma vez ouviu um colega dizer: "Eles não me pagam a gostar das crianças." Sua resposta: "As...

Juiz abre mão de aumento salarial ‘até que se estabilize a situação econômica do nosso país’

Ganhar um aumento no salário é motivo de muita alegria, não é mesmo? Não, pelo menos para o juiz Luiz Guilherme Marques, titular da...

“Sou feminista e comprei um fogãozinho para minha filha”

Porque quero que ela brinque com suas panelinhas, com suas filhas de brinquedo, suas maquiagens coloridas, SE FOR O QUE ELA GOSTA.

Instagram

Analfabeto sonha construir biblioteca para diminuir analfabetismo no interior da Bahia 1