Bike Floricultura sem vendedor faz sucesso baseado na confiança

A Oscar Freire é uma das ruas mais caras de São Paulo. Famosa pelas lojas de grifes internacionais, restaurantes e cafés requintados. Há quatro meses, também é o endereço de uma bike floricultura que vende plantinhas decorativas sem a supervisão de um vendedor.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Baseado na confiança, o negócio é do manobrista Israel Joaquim de Santana, ou “Renato”, como ele gosta de ser chamado. Ele ganhou a bicicleta do seu patrão, a princípio, para vender tapioca, mas o empreendimento não foi pra frente.

“Vendia tapioca lá em Santana, no Carandiru, mas como não tínhamos licença (para funcionamento), tivemos que parar com as atividades”, disse Renato para o Blog da Morango.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Boa noite a todos,hoje o pequeno @thiagopetrarca apareceu para conhecer e ver com seus próprios olhos, se realmente é verdade a bike sem vendedor, e não saiu de mais vazias levou vasinhos para presentear alguém, faça que nem ele venha conhecer pessoalmente nosso trabalho.

Uma publicação compartilhada por Matos Urbanos – Garden Bike (@matosurbanos) em

Nessa época ele já vendia vasinhos de cactos e suculentas, mas em balanças suspensas no pé de goiaba que tem no seu trabalho. Como o negócio das tapiocas não engrenou, ele passou a mercadoria para a bicicleta e deu vida à Matos Urbanos.

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Honestidade não deixa ninguém rico, mas deixa livre…

Uma publicação compartilhada por Matos Urbanos – Garden Bike (@matosurbanos) em

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O modelo de negócio é inspirado em uma banca de frutas e verduras que também não tem vendedor. Renato leu uma matéria que falava sobre a banca, montada na beira de uma estrada, e resolveu apostar na ideia.

Desde então, Renato registrou o sumiço de um único vasinho. Ele não sabe se a pessoa levou de má fé ou se não soube colocar o cartão na maquininha para efetuar o pagamento – muitos idosos frequentam a região e formam boa parte da sua clientela. “Fora isso, não teve nenhum tipo de desonestidade”, afirma.

O manobrista divide a confecção dos vasos com a esposa e os quatro filhos. As vendas complementam o orçamento da família, que andava curto. Renato vende de dois a sete vasos por dia. O sucesso nas ruas repete-se nas redes sociais – são quase 3 mil seguidores no Instagram.

Um dos admiradores mais conhecidos da Matos Urbanos é o chef Alex Atala. Admiração que se revelou em um convite para Renato colocar a bike floricultura na entrada de seu restaurante aos sábados e domingos!

Leia também:

Banca de frutas e legumes na beira da estrada cobra o que você achar justo pagar

crédito das fotos: Reprodução/Instagram @matosurbanos

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,806,528SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Taxista ganha carro personalizado como agradecimento por ajudar pessoas em emergências

O indiano Vijay Thakur, de 75 anos, desistiu da sua carreira de engenheiro para ajudar pessoas que precisam chegar ao hospital a qualquer hora...

Ação celebra pequenos gestos de civilidade premiando casais apaixonados

O Shopping da Ilha já havia lançado a campanha “A Moda É Ser do Bem”, que é basicamente um convite para criar um ambiente...

Paranaense cria ‘ecobarreira’ para retirar lixo do rio onde aprendeu a nadar na infância

O rio Atuba passa nos fundos da casa do vendedor Diego Saldanha, 33 anos, morador de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, e foi...

Projeto transforma o #tbt em hashtag oficial da luta contra o Alzheimer

Projeto ‘Tbt Alzheimer’ quer dar mais visibilidade ao Alzheimer com as hashtags #tbt e #alzheimer associadas.

Instagram

Bike Floricultura sem vendedor faz sucesso baseado na confiança 2