Início ETC Animais Bióloga que salvou Arara Azul da extinção concorre a prêmio

Bióloga que salvou Arara Azul da extinção concorre a prêmio

A bióloga Neiva Guedes dedicou 30 dos 58 anos de sua vida à causa animal, especialmente a das araras-azuis-grandes, um dos símbolos do Pantanal, que corriam o risco de serem extintas até pouco tempo atrás.

Por meio do Instituto Arara Azul, ela foi uma das grandes responsáveis pela retirada da espécie Anodorhynchus hyacinthinus, a arara-azul-grande, da lista de espécies ameaçadas de extinção.

Graças aos seus esforços, Neiva irá concorrer ao prêmio Prêmio Faz Diferença, do Jornal O Globo, que reconhece o trabalho, a dedicação e o talento de brasileiros, que, nas mais diversas áreas de atuação, serviram de inspiração para o país – e para o mundo! – em 2019.

bióloga Neiva Guedes defensora das araras azuis
Foto: Reprodução/Instituto Arara Azul

Projeto de uma vida

“Fiz mestrado em Ciências Florestais e a Arara Azul foi objeto do meu mestrado. Acabou virando um projeto de vida, porque era tão envolvente o trabalho, que acabei dedicando quase 30 anos a ele”, afirmou a bióloga sul-mato-grossense ao jornal O Pantaneiro.

Boa parte do trabalho de Neiva está na integração e conscientização da comunidade sobre o valor da espécie, buscando incentivar a preservação por parte dos moradores.

Leia também: Bióloga brasileira ganha prêmio internacional por prevenção de atropelamento de animais em rodovias

“Se eu quisesse apenas concluir o meu mestrado era só coletar os dados e ir embora. Talvez a arara acabasse. Assim, fomos conversando e mostrando para as pessoas o que estávamos estudando, que elas eram privilegiadas de morar junto com as araras e de ter essa convivência harmoniosa com as aves todos os dias. É uma vida muito bacana a do pantaneiro tradicional junto com a natureza, muito harmoniosa”, contou a bióloga à National Geographic.

Bióloga que salvou Arara Azul da extinção concorre a prêmio 1
Foto: Reprodução/Thiago Henrique

Para a pesquisadora, o trabalho de conscientização, que parte da arte de educar o próximo, é a chave para a continuidade e prosperidade das araras-azuis-grandes.

“As pessoas convivem com a natureza, mas não estão atentas. Se não contarmos com as crianças que são o futuro, com o tema da natureza, muita coisa pode ser perdida”, afirmou ao Ciclo Vivo.

Leia também: Projeto Tamar celebra 40 anos de fundação com 40 milhões de tartarugas soltas

Outros indicados

O Prêmio Faz Diferença 2020 também indicou na mesma categoria outros dois pesos pesados: o físico Ricardo Galvão, ex-presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e o médico cardiologista William Dib, ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Você pode votar clicando aqui.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Hypeness

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

979,881FãsCurtir
1,666,380SeguidoresSeguir
8,162SeguidoresSeguir
10,800InscritosInscrever

+ Lidas

Passarinho deficiente ganha sapatinhos ortopédicos para caminhar sem dor

Um passarinho com deficiência foi resgatado pela equipe da ONG norte-americana California Wildlife Center (CWC) enquanto perambulava com bastante dificuldade pelas ruas. O pequeno nasceu...

Evento no RJ oferece de graça 250 tattos que alertam sobre doenças e alergias

A cidade do Rio de Janeiro vai receber a maior convenção de tatuagens do mundo – a Tattoo Week – no Centro de Convenções...

Multidão canta e convence jovem a não se jogar de prédio em MG; assista!

Ao ver um jovem ameaçar se jogar do alto de um prédio em Patos de Minas (MG), uma multidão de pessoas – em especial,...

Quênia instala primeira usina solar que transforma água do oceano em potável

Atualmente, estima-se que 2,2 bilhões de pessoas (28% da população mundial) não possuem o devido acesso à água potável, o componente mais básico e...

Jovem mexicano cria torres que purificam o ar com a mesma eficiência de 360 árvores!

Um jovem mexicano desenvolveu uma torre autossustentável com microalgas capaz de filtrar o ar. A torre realiza o trabalho de 360 árvores. Carlos Monroy Sampieri,...

Instagram