Legislação da Bolívia deixa de considerar homossexuais e bissexuais como “promíscuos”

A Bolívia retirou de sua legislação um artigo que qualificava homossexuais e bissexuais como “promíscuos”. A mudança ocorre após forte pressão e luta da Defensoria Pública boliviana, que vinha tentando alterar o texto há pelo menos três anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para a defensora pública Nadia Cruz, trata-se de um “avanço relevante” no reconhecimento dos Direitos LGBT, além de se fazer cumprir a Constituição e a Lei Contra Toda Forma de Racismo e Discriminação da Bolívia.

Em 1997, um decreto excluía do grupo de indivíduos aptos a doar sangue os “homossexuais e bissexuais promíscuos”, considerando que estas pessoas tinham alto risco de contágio de Aids, detalhou a nota da Defensoria Pública da Bolívia. O termo foi excluído com uma nova norma.

[A Ana Paula é uma mulher trans e foi acolhida pela dona de um salão de beleza, após ter sido vista comendo comida do lixo. Tatiana criou uma vaquinha online para ajudar a moradora de rua a recomeçar sua vida do zero, saiba como ajudar aqui.]

Legislação da Bolívia deixa de se considerar homossexuais e bissexuais como "promíscuos"

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A comunidade LGBT e a Defensoria Pública exigia a retirada do termo pejorativo desde 2016 e cobrava a mudança do Ministério da Saúde, visando “reverter o prejuízo aos direitos e o dano à dignidade” da comunidade, como explica a defensoria em seu comunicado.

Nos últimos anos, dezenas de coletivos de transexuais organizaram manifestações pelo país em defesa dos seus direitos civis. Um deles, em 2017, foi uma greve de fome coletiva contra a decisão do Tribunal Constitucional do país que permitia aos transexuais mudar dados como nome, imagem e gênero em documentos oficiais, mas sem direito a casamento, adoção ou participação política com base na paridade de gênero.

Leia também:

Em vista disso, a Defensoria Pública apresentou neste ano propostas normativas para legalizar no país uma instituição similar ao casamento e incluir os crimes de ódio no código penal.

Há alguns meses, um tribunal boliviano condenou a 30 anos de prisão um homem que torturou e degolou sua parceira, uma jovem transexual. O caso foi considerado emblemático para a comunidade LGBT por ser o primeiro do tipo a chegar à Justiça no país.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: G1/Fotos: Reprodução/Flickr

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,646,211SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Ciclista desiste de ultrapassar rival com bicicleta quebrada a 300 metros da chegada

Menos de 300 metros separavam o ciclista Ismael Esteban da linha de chegada de uma competição na Espanha, quando sua bicicleta quebrou. Ele precisou carregá-la...

Vídeo mostra que não devemos julgar o livro pela capa

Este pequeno vídeo, mostra de forma clara o quão estamos imbuídos de pré-conceitos e julgamentos. Fazemos isso a todo instante, e as vezes perdemos...

A vida encontra uma maneira: 25 plantas que não desistiram e lutaram para viver

A idéia de que a humanidade domina a natureza não é inteiramente verdade. Claro, nós mudamos o mundo de forma irrevogável para o melhor...

Viúvo de 96 anos entra em concurso com música dedicada à esposa e emociona júri

O estúdio de gravação musical Green Shoe lançou este ano um concurso de caça talentos, na esperança de descobrir um prodígio local. Porém, foi...

Vida nova! Vaquinha para menino angolano de 8 anos encontrado pedindo comida arrecada R$ 120 mil

A história do pequeno Fred, menino de 8 anos que trabalha como engraxate nas ruas de Luanda (Angola), sensibilizou os internautas que doaram em...

Instagram