Bombeiro auxilia equipe médica a atender paciente surda em Libras: ‘Inclusão é essencial’

O bombeiro Walker Isaac de Sousa, 25, auxiliou uma equipe médica ao se comunicar em libras com uma paciente que tem deficiência auditiva na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Vila Virgínia, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nascido e criado em Franca (SP), Walker já apareceu em uma matéria do Razões e, atualmente, trabalha no Corpo de Bombeiros de Ribeirão Preto, mesma cidade em que seu pai trabalhou por muitos anos como policial militar.

Quando mais novo, costumava ir com seu pai até o batalhão da policia. Durante o caminho, os dois passavam pelo Corpo de Bombeiros do bairro Campos Elíseos, o mesmo campo que Walker trabalha hoje em dia.

Em 2014, assim que terminou o ensino médio, prestou o concurso e fez o curso de formação em Franco da Rocha. Depois de formado, trabalhou nas cidades de Americana, Leme, Bebedouro e, por fim, criou raízes em Ribeirão Preto.

“Hoje estou no lugar onde sempre quis estar, na viatura que sempre sonhei em trabalhar e o mais importante: tendo apoio e carinho dos meus comandantes que deram importância aos projetos de inclusão que desenvolvo há dois anos”, conta o bombeiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

bombeiro realiza atendimento em libras
Foto: arquivo pessoal

Um eterno aprendiz de libras

Walker fez um curso básico na antiga associação de surdos da cidade de Franca. “Sempre estudei pelo YouTube e depois que passei a ter contato com a comunidade surda, pude aprender muito mais, sou um eterno aprendiz de libras”, conta.

Recentemente, Walker foi o responsável por auxiliar uma equipe médica na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Vila Virgínia, em Ribeirão Preto, ao realizar um atendimento em libras.

“Passamos de lá para retirar materiais de resgate. Quando saímos, vi aquela senhora tentando conversar com um enfermeiro. Assim que vi que era surda, ofereci ajuda e passei na triagem com ela. Depois fomos até o médico para analisar o caso” explica.

Confira o vídeo!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Até hoje não estou acreditando que comovi tantas pessoas. Ainda não consegui responder todos, mas prometo que farei o meu melhor para isso, só tenho a agradecer a Deus, pois toda honra e toda glória sempre será dada a Ele”, explica Walker.

Sabendo da importância da Língua Brasileira de Sinais (Libras), um de seus projetos pessoais foi pintar seus muros com o alfabeto de sinais e aproveitar o grande fluxo de pessoas que circulam perto de sua casa para incentivá-los a aprender sobre os sinais. 

Além disso, ele criou um projeto de incentivo com as crianças do bairro. Quando uma delas se interessa pelas pinturas, ele pede para fazerem o próprio nome usando a língua de sinais. Em troca, elas ganham um alfabeto de libras e um brinquedo.

casa pintada com a língua de sinais
Foto: arquivo pessoal

casa pintada com a língua de sinais
Foto: arquivo pessoal

Sua trajetória na filantropia

No final de 2017, Walker perdeu um amigo em um acidente de trânsito. 1 mês depois de sua morte, ele e alguns colegas fizeram um torneio de futsal em sua homenagem. O dinheiro arrecadado foi encaminhado para a filha recém nascida do amigo.

“A repercussão foi muito legal e gostei tanto da ação, que nunca mais parei de ajudar o próximo. Meses depois, criamos o grupo @quebonitaasuaroupafranca16, para auxiliar famílias carentes” conta Walker.

Entre diversas ações feitas pelo grupo, temos a apresentação no ESAC – Franca (escola de aprendizagem e cidadania) de uma peça de um episódio da Turma do Chaves que fala sobre o Natal para famílias carentes, no Natal de 2019.

Além disso, eles se fantasiaram e visitaram o filho de uma amiga com surdez profunda e autismo severo que é apaixonado pelo Chaves. Ao chegarem lá, uma surpresa: o menino estava fantasiado de Chaves. “Foi um dia muito marcante para todos”, conta Walker.

Depois disso, Walker passou a se dedicar bastante ao mundo filantrópico e a projetos sociais. Aliás, há aproximadamente um ano meio, ele tem estudado bastante sobre autismo, tendo como maior inspiração o nosso parceiro @marcosmion.

“Eu gostaria muito que um dia ele soubesse que aqui tão tão distante, ele tem um fã que se inspira muito nele para fazer todos esses trabalhos, tanto voluntários quanto nesses tipos de ocorrências do dia a dia”, explica.

“Vocês não fazem ideia da importância que tem em minha vida. As pessoas me mostram que estou na caminho certo e que nosso país ainda será muito mais inclusivo, continuo firme nesse chamado, pois sei que tenho razões para acreditar

Acompanhem nosso herói pelo Instagram @walker_sousa23

Quer ver mais uma história inspiradora? Dá um play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,646,211SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem encontra cinco “bolinhas” de lama em um poço e descobre que são cinco filhotes muito fofos!

O tailandês Surachet Klaewkla estava a caminho do trabalho certo dia quando ouviu um estranho e estridente som saindo de um canteiro de obras,...

Casal de viajantes lança guia com dicas de destinos para deficientes físicos

Andrea Schwarz e Jaques Haber nunca tinham parado para pensar no quanto a vida de um deficiente físico é mais difícil na hora de...

Após apelo de mãe em redes sociais, ladrão devolve exames da filha com doença rara

Karis ficou tão emocionada que acabou abraçando a pessoa, sem nem pensar que poderia ter sido o ladrão. O coração de mãe falou mais alto.

Mecânico faz brinquedos de papelão nas horas vagas e doa a crianças e adultos

O mecânico William César Martins, 41 anos, usa a sua criatividade e empatia pelas pessoas para produzir brinquedos feitos a partir de materiais recicláveis...

Horta comunitária criada por casal transforma vizinhança em Atibaia, interior de SP

Respirar um bocado de ar puro e plantar a própria comida parecia muito distante da nossa realidade. Mas, pouco a pouco, os hábitos estão...

Instagram