Cientista nordestina cria método que acelera diagnóstico de esquizofrenia

A esquizofrenia é um transtorno mental crônico e grave que afeta a maneira como uma pessoa pensa, sente e se comporta. Estima-se que 1% da população mundial (cerca de 77 milhões de pessoas) manifeste a doença entre os 15 e 35 anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela provoca alterações no comportamento, pensamentos confusos e dificuldades para se relacionar com as pessoas. Felizmente, quando os sintomas são tratados, a ampla maioria dos diagnosticados melhora com o passar do tempo.

O diagnóstico dos transtornos mentais como um todo é feito com base na observação clínica de um médico, que analisa um conjunto de sinais apresentados pelos pacientes durante um período – em média, dois anos.

Esse prazo pode ser reduzido drasticamente graças ao trabalho da neurocientista e psiquiatra cearense Natalia Mota.

Cientista nordestina método acelera diagnóstico esquizofrenia

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Natalia desenvolveu um software em sua pesquisa de pós-doutorado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que mede a organização do pensamento por meio da fala e, assim, consegue diagnosticar a esquizofrenia a partir da análise de apenas 30 segundos de discurso do paciente. Tudo isso com 90% de precisão!

Claro, o programa ainda está em fase de testes e mais estudos precisam ser feitos para garantir a confiabilidade do sistema, mas graças aos seus esforços na área, a neurocientista se tornou a primeira brasileira e única sul-americana indicada ao prêmio Nature Research Award de 2019, na categoria Ciência Inspiradora.

Leia também: Este jovem brasileiro compartilha diálogos com a avó com esquizofrenia e Alzheimer de maneira divertida e emocionante

A premiação é organizada por uma das revistas científicas mais respeitadas do mundo. Natalia concorreu ao lado de outras nove cientistas do mundo todo.

Cientista nordestina método acelera diagnóstico esquizofrenia
Gráfico gerado pelo software desenvolvido por Natalia

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Natalia concedeu uma entrevista à Revista AzMina, onde conta sobre a fundação do grupo Sci-Girls, que agrega mulheres cientistas em busca de transformação social e fala um pouco sobre sua pesquisa e a importância do prêmio da Nature para ela e outras cientistas mulheres.

Leia também: Novo tratamento atenua “vozes” que esquizofrênicos ouvem

“A mulher tem um papel muito singular na ciência, justamente por trilhar o caminho mais difícil. Isso faz a gente criar soluções de baixo custo, mais fáceis e mais úteis para a sociedade. Fazer ciência que realmente tem impacto.”

Cientista nordestina método acelera diagnóstico esquizofrenia
“As dificuldades fazem mulheres criarem soluções de baixo custo, mais fáceis, mais úteis pra sociedade. Fazer ciência que realmente tem impacto”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A cearense manifesta preocupação com a falta de conhecimento e os achismos que envolvem a esquizofrenia. “Primeiro, combater o preconceito em relação à esquizofrenia e entender que ela faz parte do comportamento humano. Não é uma coisa só de um grupo de pessoas, que as torna diferentes. Somos todos iguais, mas uns funcionam de um jeito, outros funcionam de outro”, conclui.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Az Mina/Fotos: Rebeca Figueiredo

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,777,376SeguidoresSeguir
23,544SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Já pensou em ajudar pessoas desconhecidas? Ela pensou, mas agora precisa de sua ajuda

A constante falta de tempo dos dias atuais nos faz deixar de ver um pouco de nosso mundo ao redor, e assim a vida...

Imagens poderosas de “Antes e Depois” de gatos resgatados (Imagens fortes)

Os gatos são seres adoráveis (do jeito maravilhoso deles), e quem tem gato sabe o quanto carinhoso, fiel e amigo ele pode ser e...

Jovem homenageia irmã com Down em tatuagem de cromossomos e a letra dela

O aprendiz de Administração Vitor Bruno de Araujo, 20 anos, decidiu homenagear sua irmã, a estudante Bruna Ferreira de Araujo, 23 anos, com uma...

Esta foto de um médico chorando por perder paciente de 19 anos vai comover você

Acostumados a lidar com a morte diariamente, os médicos também podem sofrer quando perdem um paciente. É o que aconteceu com este médico na Califórnia (EUA). Em uma...

Pai transforma desenhos do filho de 6 anos em realidade

Ele dá "vida" aos desenhos feitos pelo filho com um pouco de edição e bom humor.

Instagram

Cientista nordestina cria método que acelera diagnóstico de esquizofrenia 3