Brasileiro que catava papelão ‘pula’ mestrado e está fazendo doutorado no Chile

Da periferia de São Vicente, no litoral de São Paulo, à Pontifícia Universidade Católica de Valparaíso, no Chile. O jovem Jefferson Dionísio, de 24 anos, conquistou uma vaga no curso de doutorado em Filosofia pela renomada instituição e catou papelão reciclado diariamente por vários meses até obter renda suficiente para pagar o ônibus até lá.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O jovem é o primeiro de sua família a entrar em uma universidade. Nascido no bairro Área Continental, em São Vicente, ele sempre estudou em escola pública.

Quando adolescente, trabalhou na Prefeitura de São Vicente por meio do Centro de Aprendizagem e Mobilização Profissional e Social (Camps) e, aos 18 anos, foi admitido em uma universidade de Santos para cursar Filosofia.

Brasileiro que catava papelão 'pula' mestrado e está fazendo doutorado no Chile

“Eu ganhava R$ 668 de bolsa-auxílio e a faculdade era R$ 660. Todo o meu salário ia para os ­estudos, não sobrava nada. Cheguei a trancar a matrícula no primeiro ano pois não tinha mais como pagar. Um ano depois, em 2015, eu voltei para a universidade, mas então fiquei desempregado”, conta.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Desempregado, Jefferson conseguiu terminar o primeiro e segundo semestre com abono temporário na mensalidade. No terceiro semestre, conseguiu ser contemplado com uma bolsa de estudos do Programa Universidade para Todos (ProUni), mas ainda tinha dívidas acumuladas de mensalidades anteriores.

Brasileiro que catava papelão 'pula' mestrado e está fazendo doutorado no Chile

Leia tambémEx-catador de latinhas é aprovado em processo seletivo da Prefeitura de Brusque (SC)

“As mensalidades que eu devia somavam quase R$ 5 mil. Eu não tinha como pagar. Foi uma fase muito difícil, até mesmo constrangedora. Comecei a ir de bicicleta para a aula e até catei papelão na rua para vender. Um amigo viu a situação e disse que me ajudaria, que eu não precisava disso”.

Seus amigos se juntaram e fizeram uma vaquinha. Com o dinheiro arrecadado, Jefferson conseguiu quitar todas as dívidas que tinha com a universidade. “Eu ia sempre com a mesma roupinha, os mesmos sapatos. Todo dia igual, não tinha dinheiro para comprar mais nada”, relembra.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Brasileiro que catava papelão 'pula' mestrado e está fazendo doutorado no Chile

Assim que conquistou o diploma, o jovem começou a lecionar em escolas públicas.

Excelente aluno durante o curso de Filosofia, professores recomendaram que Jefferson tentasse fazer mestrado fora do país. Ele então viajou de ônibus para o Chile, onde conheceu as conceituadas universidades chilenas. Motivado, decidiu postular uma vaga de mestrado e doutorado na Pontifícia Universidade Católica de Valparaíso.

No final do ano passado, o filósofo recebeu uma excelente notícia: havia sido aprovado no doutorado, sem precisar passar pelo mestrado. “Meu nome estava na lista de aprovados, entre americanos, franceses, alemães e outros estrangeiros. Passei em terceiro lugar. Foi incrível”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Brasileiro que catava papelão 'pula' mestrado e está fazendo doutorado no Chile

Atualmente com 24 anos, Jefferson mora no Chile e cursa doutorado em Filosofia pela PUCV. Ele prevê que o curso se estenda até 2023.

De acordo com o rapaz, ainda é cedo para saber se ele retornará ao Brasil ou tentará seguir a vida morando no exterior. “Tenho muito que agradecer a todos que acreditaram em mim. Minha família nunca duvidou da minha capacidade e sempre me apoiou. Hoje estou realizando um sonho graças aos professores, aos amigo e a todos que me incentivaram”, finaliza.

Leia tambémEx-catador de lixo conclui doutorado em Florianópolis

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: G1
Fotos: Arquivo Pessoal / Jefferson Dionísio

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,640,029SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Economista nigeriana torna-se a primeira mulher à frente da OMC

Boa de briga, a dra. Ngozi Okonjo-Iweala deve ser nomeada como a nova presidente da OMC (Organização Mundial do Comércio). Com seu nome endossado,...

Hospital permite que cães visitem bebê nos seus últimos momentos de vida

Os cães da raça basset hound Grumpy e Gracie construíram um laço de amor e carinho muito forte com a bebê Nora desde quando...

Novo plugin torna a experiência de deficientes visuais na internet mais “real”

Se eles não enxergam, como é possível ler o que está escrito? É graças ao auxílio de leitores de tela, que pronunciam o que está escrito nos aplicativos e páginas da web.

Orquestra jovem no Paraguai toca com instrumentos feitos de lixo

Esta é uma história que mostra como as boas ideias – e a música – podem mudar a vida das pessoas. Em Cateura, uma...

Estudante de medicina à beira da morte descobre cura para a própria doença

Acamado, David Fajgenbaum examinou ponto a ponto seus prontuários e descobriu algo que havia passado despercebido pelos médicos.

Instagram