Brasileiro de 7 anos vence concurso da NASA com criação de game

banner reservaOlha aí mais um motivo para ter orgulho no nosso país! Um brasileiro de 7 anos venceu um concurso da NASA com a criação de um game infantil baseado na sustentabilidade. João Paulo Guerra Barrera, de São Paulo, ficou em primeiro lugar na categoria de mérito literário na 24ª edição do torneio Nasa Ames Space Settlement Contest, que acontece desde 1994.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Reunindo mais de 6 mil estudantes de até 18 anos do mundo inteiro, a disputa sobre colonização espacial recebe trabalhos em inglês e é realizada anualmente pelo Centro Ames de Pesquisa, órgão da agência espacial americana sediado na Califórnia. A premiação envolve participações individuais ou em grupo, além de prêmios de mérito, como foi o caso de João.

O pequeno paulistano sempre foi fascinado pelos livros e por assuntos como astronomia, esportes, velocidade, e os enfáticos games. Adiantado dois anos numa escola bilíngue, ele chegou aos seis anos de idade já com seu primeiro livro lançado em português e inglês:  “No Mundo da Lua e dos Planetas”.

NASA
Capa do livro bilíngue.

Na categoria em questão, competiu com pessoas de até 18 anos e empatou com a indiana Nanitha Varma N., que escreveu um poema chamado “My Quest” (Minha busca). Já ele elaborou um jogo eletrônico com base em sua própria obra literária. O Sonic World Space Settlement narra a história de um trio de crianças se aventurando pelo espaço sideral. Elas constroem um foguete com peças recicladas e então exploram o Sistema Solar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Segundo a mãe do garoto, Margarida Barrera, ele fez tudo sozinho, desde a escrita até a programação do game. “Felicidade extrema em saber que estamos no caminho certo em oferecer para ele uma boa educação e incentivar o gosto pela leitura e pelos desafios, sempre lembrando que a melhor herança que podemos deixar para ele é a firmeza em aspirar triunfos e a capacidade de assimilar insucessos”, disse. Enquanto isso, João queria mesmo dar uma voltinha no mundo da lua. “Eu me senti muito feliz e com vontade de passear no espaço com gravidade zero”, declarou.

O Brasil deu o ar da graça na competição com outros quatro projetos selecionados entre os 1.500 submetidos neste ano. Houve outras três menções honrosas para grupos de São Paulo e um prêmio para a equipe do Instituto Nossa Senhora da Piedade, no Rio de Janeiro.

NASA

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fotos: Reprodução

barra reserva

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,843,411SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Alexandre Herchcovitch e seu companheiro conseguem adotar seu filho depois de um ano

O estilista Alexandre Herchcovitch e o empresário Fábio Souza começaram a lutar na Justiça pelo sonho de adotar um filho desde que se casaram no civil, em julho de 2013....

A reação desse adolescente de 16 anos ao ser aprovado em Harvard não tem preço

Depois de se formar, ele quer abrir uma organização sem fins lucrativos para ajudar as crianças de sua comunidade a chegar aonde ele chegou.

Enfermeira adota criança especial abandonada pela família no hospital

A enfermeira não pensou duas vezes antes de adotar a criança.

5 filmes disponíveis na Netflix além de Milagre da Cela 7 para você se emocionar

O catálogo da Netflix conta atualmente com quase 4 mil filmes, séries e documentários prontinhos para serem assistidos. Um deles, que está fazendo o maior...

Como uma tatuagem foi capaz de mudar a minha vida

Um resgate da autoestima após a difícil luta contra o câncer de mama.

Instagram