Pesquisadores brasileiros criam gesso biodegradável com bagaço de cana, milho e beterraba

Um grupo de pesquisadores brasileiros desenvolveu um tipo de plástico termomoldável e biodegradável que pode ser uma alternativa viável para substituir o gesso tradicional na área da Ortopedia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A partir do ácido poli láctico (PLA), um filamento composto por bagaço da cana-de-açúcar, milho e beterraba gera um gesso de design único, estiloso, que se adapta à anatomia do paciente. As informações são do Ciclo Vivo.

[Leia mais descobertas de pesquisadores aqui.]

Dentre suas vantagens, destaca-se a resistência e facilidade de higienização das órteses, que também são à prova d’água e não alergênicas. O design diferenciado dos gessos garante maior conforto e liberdade aos pacientes durante o processo de recuperação.

bagaço de cana milho beterraba substituir gesso

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O produto é fabricado por uma empresa terceirizada chamada Fix It, que atua há dois anos no mercado de saúde e ortopedia brasileira.

“Todas as nossas soluções foram pensadas para substituir o gesso e as talas tradicionais. O objetivo é produzir imobilizadores para todas as articulações do corpo, levando uma solução acessível a todas as classes”, comenta Hebert Costa, cofundador e CPO da Fix it.

Leia também:

Gesso biodegradável permite novo modelo de negócios

Visando democratizar o mercado e facilitar o atendimento de pacientes de todas as regiões do país, a Fix It optou por expandir seu negócio via modelo de franquias.

Assim, ao invés de produzir os gessos em larga escala e com tamanhos genéricos (P, M, G), vendendo-os diretamente para clínicas e hospitais como era feito até então, agora a empresa oferece um serviço personalizado: as unidades franqueadas podem imprimir as órteses em suas impressoras 3D de acordo com as demandas e as medidas de cada paciente.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

bagaço de cana milho beterraba substituir gesso

“Queremos levar nossas soluções para todos os cantos do Brasil com rapidez e eficiência. Mudamos nosso modelo de negócio para torná-lo mais acessível e fazer com que toda a cadeia de distribuição fosse mais sustentável, já que com a mudança na maneira de comercializar, reduzimos o transporte de produtos e o consumo de combustíveis fósseis consideravelmente”, explica Felipe Neves, cofundador e CEO da Fix it.

Leia também:

Compartilhe o post com seus amigos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Ciclo Vivo
Fotos: Reprodução

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

Relacionados

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

996,531FãsCurtir
1,940,187SeguidoresSeguir
9,507SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

USP cria ventilador pulmonar de baixo custo com tecnologia 100% brasileira

Cientistas da USP desenvolveram um protótipo de ventilador pulmonar emergencial capaz de ser produzido em massa para atender a demanda hospitalar de pacientes infectados...

Homem planta 152 milhões de árvores e refloresta manguezal sozinho no Senegal

Um homem aposentado plantou incríveis 152 milhões de árvores em um intervalo de 10 anos às margens do rio Casamansa, no Senegal. Plantando sem parar...

Nesse hotsite especial agrupamos vagas home office para ajudar você

Por conta do coronavirús, as empresas estão adotando o home office para driblar a crise. Para ajudar você que perdeu ou busca por um...

Idoso de 80 anos constrói trenzinho para cães que resgatou das ruas

Um idoso de 80 anos passa seu tempo livre operando o que provavelmente pode ser o trem mais divertido do mundo! O senhor Eugene Bostick...

Cliente antecipa pagamentos para salão de sobrancelha passar por crise do coronavírus

A servidora pública Débora Benon, de Brasília (DF), tinha uma viagem planejada com o marido e os três filhos no início de abril. Mas veio...

Instagram