Pesquisadores brasileiros estão desenvolvendo vacina contra o coronavírus

Clique e ouça:

Professores, cientistas e pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) estão trabalhando em uma vacina contra o coronavírus (Covid-19).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A estratégia do Laboratório de Imunologia do Instituto do Coração (Incor) da Faculdade de Medicina é diferente da adotada por laboratórios de outros países, e visa acelerar ao máximo o desenvolvimento da vacina até o final do ano.

“Acreditamos que a estratégia que estamos empregando para participar desse esforço mundial para desenvolver uma candidata a vacina contra a Covid-19 é muito promissora e poderá induzir uma resposta imunológica melhor do que a de outras propostas que têm surgido, baseadas fundamentalmente em vacinas de mRNA”, disse à Agência Fapesp, Jorge Kalil, diretor do Laboratório de Imunologia do Incor e coordenador do projeto apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

brasileiros desenvolvendo vacina coronavírus
Foto: Arquivo/Agência Brasil

Testes de vacina contra o coronavírus devem começar até o final do ano

Com a ajuda da plataforma tecnológica mRNA, que já foi usada no desenvolvimento da primeira vacina experimental contra o Sars-CoV-2, a ideia é que o sistema imunológico do infectado reconheça com mais facilidade as moléculas sintéticas de RNA mensageiro (mRNA), para em seguida combater o coronavírus real.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Relacionado: Coronavírus: empresas liberam canais e internet para população ficar em casa

“Em geral, as vacinas tradicionais, baseadas em vírus atenuados ou inativados, como a do influenza [causador da gripe], têm demonstrado excelente imunogenicidade, e o conhecimento das características delas serve de parâmetro para o desenvolvimento bem-sucedido de novas plataformas vacinais”, afirmou Gustavo Cabral, pesquisador responsável pelo projeto.

“Mas, neste momento, em que estamos lidando com um vírus pouco conhecido, por questões de segurança é preciso evitar inserir material genético no corpo humano para evitar eventos adversos, como multiplicação viral e possivelmente reversão genética da virulência. Por isso, as formas alternativas para o desenvolvimento da vacina anti-Covid-19 devem priorizar, além da eficiência, a segurança”, ressaltou Cabral.

brasileiros desenvolvendo vacina coronavírus
Imagem: Reprodução/HandOut

Estratégia de combate à doença no organismo

“Com essa estratégia é possível direcionar o sistema imunológico […] e desencadear a resposta imune de forma eficaz e segura”, explicou Cabral.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A pesquisa conta com o apoio de infectologistas e imunologistas reconhecidos internacionalmente, como o professor Edécio Cunha Neto, que atua no Laboratório de Imunologia da USP.

Ele participou da decisão da abordagem do Covid-19 no projeto de Cabral e do delineamento experimental da vacina. “O objetivo é desenvolver uma plataforma de entrega de antígenos para células do sistema imune de forma extremamente fácil e rápida e que possa servir para desenvolver vacina não só contra a Covid-19, mas também para outras doenças emergentes”, ressaltou Cabral.

brasileiros desenvolvendo vacina coronavírus
Foto: Shutterstock

Até o final do ano, após testes realizados em camundongos e comprovada a eficácia da vacina contra o coronavírus, os pesquisadores esperam estabelecer parcerias com outras instituições de pesquisa do setor público e privado para acelerar o desenvolvimento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Relacionado: TV Cultura e Turma da Mônica fazem vídeo de conscientização sobre o coronavírus; assista

“Após comprovarmos que a vacina neutraliza o vírus, vamos procurar associações no Brasil e no exterior para encurtarmos o caminho e desenvolver o mais rápido possível uma candidata a vacina contra a Covid-19”, disse Kalil.

O pesquisador é coordenador do Instituto de Investigação em Imunologia, sediado no Incor – um dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs) apoiados pela Fapesp e pelo CNPq no Estado de São Paulo.

O que eu posso fazer?

Listamos 14 atitudes gentis (e simples!) para você ajudar pessoas de grupos de risco do novo coronavírus, clique aqui.

Durante o Mês da Mulher, nós aqui do Razões junto com O Boticário contaremos histórias de mulheres que ajudam mulheres. Vamos falar sobre essa linda rede de apoio, para mostrar que #SomosFeitasDeTodas. Acesse as histórias aqui.

Fonte: El País

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,057,964FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
18,449SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem com deficiência cria lindas caminhas para cães e gatos, mãe pede apoio, e ele vende tudo!

O garoto Elías tem uma deficiência, mas quem diz que ela o impede de fazer caminhas para cães e gatos que são a coisa...

Adolescente recusa oferta de R$ 46 milhões por site sobre Covid-19

O que você faz quando tem 17 anos? Pensa em estudar, curtir a balada, se divertir. Mas, não o Avi Schiffmann. Ele construiu um...

Cliente reclama da camisa de atendente e restaurante faz uma igual para todos os funcionários

O restaurante The Chowder House recebeu um review negativo no Facebook somente por causa da camisa de um de seus atendentes. E sabe o...

Repórter adota cãozinho que não parava de abraçá-lo durante reportagem

Esse doguinho literalmente escolheu seu novo tutor! Geralmente é o contrário, né, não para esse Caramelo, que deu um abraço dengoso no repórter e...

Ator Ary Fontoura conquista a web com posts de receitas, exercícios e jogando videogame!

De um jeito muito despojado, o ator Ary Fontoura, 87 anos, se torna um fenômeno nas redes sociais. ele já ultrapassa o primeiro milhão...

Instagram

Pesquisadores brasileiros estão desenvolvendo vacina contra o coronavírus 14