Britânica de 26 anos acolhe 14 crianças da África após trabalho voluntário e adota 9 delas

As mudanças que acontecem em nossas vidas são, muitas vezes, surpreendentes. Letty McMaster, hoje com 26 anos, tinha apenas 18 anos quando foi do Reino Unido até a África, para fazer trabalho voluntário com crianças locais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Hoje ela é mãe de 9 dessas crianças, além de dar abrigo para outras 5. E ela faz isso com todo amor do mundo!

mulher adota 9 crianças afrianas

A ideia era passar 1 mês na África. Só que quando Letty chegou na Tanzânia, encontrou um propósito muito grande, que a fez permanecer no país por 3 anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Lá ela foi trabalhar em um orfanato, onde viu realidade de todos os tipos. Letty queria muito ajudar aquelas crianças tanto financeiramente, como emocionalmente.

Pra vocês terem uma ideia, na Tanzânia ela ouvia histórias terríveis, de crianças sendo espancadas, abusadas e às vezes alimentadas apenas uma vez por dia.

O abuso que elas estavam sofrendo no orfanato era horrível e eu vi o impacto que isso teve sobre as crianças e soube imediatamente que algo precisava mudar. Eu não poderia deixá-los naquela situação“, disse Letty.

O orfanato fechou e as crianças ganharam um novo lar

O orfanato que Letty trabalhava infelizmente fechou. Letty então conseguiu acolher 14 crianças e criou sua própria instituição de caridade, a Street Children Iringa.

Dos 14 órfãos, 9 foram adotados legalmente por Letty. Ela diz que as crianças são a vida dela e que ela cria sozinha todos eles com muito orgulho.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Letty adota crianças órfãs da África

Eu sempre tive em mente que queria ajudar crianças de rua, então minha família e amigos não se surpreendeu“, conta.

Ela disse também que algumas das crianças nunca tiveram pais, então ela acabou se tornando a maior referência da casa. “Eu não sou muito mais velha do que alguns deles. Sou como qualquer mãe que cria adolescentes – assumi um compromisso com eles e me sinto muito abençoada por ter duas famílias!

Ela continuou dizendo como seus filhos progrediram bem desde que foram cuidados e como agora eles têm oportunidades como nunca antes. “Desde que tiveram um lugar para chamar de lar, eles se destacaram na educação e em todos os aspectos de suas vidas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela fala ainda que Gosberth, um dos meninos de quem cuida há sete anos, agora está estudando em uma das melhores instituições privadas do país. Também tem a Eva, de 19 anos, que já está na universidade e faz estágio voluntário em uma ONG internacional.

Você pode conhecer mais sobre o projeto da Letty no site do instituto Iringa.

FONTE: Thinking Humanity

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,635,437SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Catadora vai à formatura carregando as latinhas que pagaram sua faculdade na Paraíba

“Eu tinha que ser alguém na vida, não ser só sucateira, mas ter um curso superior pra dar exemplo para as minhas filhas."

Vaquinha bate R$ 84 mil e realizará sonho de mãe de quadrigêmeos com paralisia cerebral de ter um carro para as crianças

Gente, que super mãe é a Patty, hein? Ela cria os quatro filhos que têm paralisia cerebral sozinha! Só que mesmo com todo esforço,...

Motoristas voluntários levam crianças em tratamento a hospitais em Curitiba

Um aplicativo de carona tem sido vital para que crianças que estão em tratamento médico possam se deslocar até hospitais distantes e realizar suas...

Universidade do Estado da Bahia cria cotas para transexuais

A partir do ano que vem, a instituição oferecerá cotas para transexuais, travestis, quilombolas, ciganos, pessoas com deficiência e autismo.

Campanha busca reconhecer todas as formas de família

Lançada pelo Grupo Dignidade, de Curitiba (PR), a campanha #FamíliaÉAmor é uma ação contra a definição do significado da palavra “família” no Estatuto da...

Instagram