Caixa de supermercado pinta unhas de cadeirante rejeitada por salão

Um salão de manicure do Walmart, no Michigan (EUA), se negou a pintar as unhas de uma mulher cadeirante  pois suas mãos não paravam de tremer por causa da paralisia cerebral.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Abatida, Angela Peters deixou o salão e ficou surpresa ao encontrar a caixa do Walmart, Ebony Harris, que se ofereceu para fazer as unhas dela, informou o site Daily Mail.

Harris viu que Peters estava triste com a recusa do salão e decidiu intervir na situação durante o horário em que estava descansando. Ela levou a cadeirante até a mesa de um restaurante para pintar suas unhas, no dia 30 de julho.

“Eu só que queria fazer com que seu dia fosse especial. Realmente não queria que o dia dela fosse arruinado. É isso o que eu fiz. E além de tudo, ela é uma querida”, disse a caixa do supermercado à WJRT.

“E você sabe, ela mexeu as mãos um pouco e continuo dizendo que sentia muito. Eu disse a ela para não se preocupar.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A funcionária do restaurante Tasia Smith tirou uma moto desse lindo momento. Na imagem, Peters aparece sorridente enquanto Harris pinta suas unhas com um esmalte azul brilhante.

caixa supermercado pinta unhas mulher rejeitada salão beleza

“Eu achei muito legal da parte dela e já me sentia à vontade com ela porque faço muitas compras no Walmart”, contou Peters sobre a boa ação de Harris.

O post de Smith relatando o gesto de Harris viralizou nas redes sociais, com mais de 3 mil compartilhamentos e centenas de comentários de pessoas elogiando a nobre atitude da caixa do Walmart.

Leia também: Cabeleireira corta cabelo de menino no chão para tranquilizá-lo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela comentou que sua intenção não é prejudicar o salão de manicure, mas exaltar a boa ação de Harris. Uma lição de que devemos tratar todas as pessoas iguais, não importa quais sejam suas diferenças.

caixa supermercado pinta unhas mulher rejeitada salão beleza

“Não queremos prejudicar o salão de manicure. Não estamos tentando fazê-los perder clientes, para que sejam mal vistos. Mas talvez espalhar a consciência de que não importa quem seja a pessoa, quem elas são, a cor delas, deficiência, seja o que for, elas também são pessoas”, escreveu Smith.

“Ela é uma garota vaidosa. Ela é como você, eu, Tasia, minha filha, qualquer uma. Ela quer estar bonita, entende? Então, por que ela não pode?”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Peters não poderia estar mais feliz com suas unhas recém pintadas. “Estou tipo ‘uau’. Estão incríveis!”, falou Peters para a WNEM.

“Disse a ela [Harris] que é uma benção para todos nós, para qualquer pessoa, não apenas para mim. Me faz olhar para a vida e aproveitá-la muito mais.”

crédito das fotos: Tasia Smith/Facebook/Reprodução

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,844,630SeguidoresSeguir
24,858SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Marca gaúcha lança caixa de lápis de cor com 12 tons de pele

As cores do conjunto vão do bege claro, passando pelo amarelo, até o marrom mais escuro.

Cadela pinta quadros e verba arrecadada ajuda outros animais

Os cães nos impressionam constantemente com sua inteligência. E a cadela Arbor, que tem apenas dois anos de idade, está seguindo pelo mesmo caminho. Resgatada...

adidas acaba com as sacolas plásticas de suas lojas em todo o mundo

A substituição das sacolas de plástico pelas de papel já está sendo implementada, exceto na Rússia e Cazaquistão, onde a mudança vai acontecer a...

Jovem de 18 anos apadrinha mais de 50 idosos abandonados em asilo nesse Natal

O Edu Caiado é um garoto muito especial mesmo. Ele tem o próprio abrigo para animais de rua e agora que fazer uma festa...

Homofobia: jovem é brutalmente agredido e pessoas se mobilizam para ajudá-lo

Na noite do dia 8 de dezembro de 2018, o estudante Jefferson Anderson Feijo da Cruz, 22 anos, foi brutalmente agredido. Motivo? Homofobia. Com...

Instagram

Caixa de supermercado pinta unhas de cadeirante rejeitada por salão 2