Campanha questiona baixíssima presença de professores negros nas universidades brasileiras

Falar de educação nunca é demais e uma nova campanha quer falar desse tema questionando o baixo número de negros lecionando nas nossas universidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para isso, a Universidade de Juiz de Fora a criar a hashtag #nãoécoincidência e espalhou cartazes pelo campus e sem rodeios pergunta: quantos professores negros você tem?

O professor José Jorge de Carvalho, da Universidade de Brasilia, divulgou uma pesquisa mostrando que o número de professores negros no ensino superior não chegam a 1% da média nacional; na USP,  entre os 4,7 mil professores, nem dez são negros; na UnB, de Brasília, a pioneira no estabelecimento de cotas, dos 1,5 mil professores, somente 15 professores são negros.

Ou seja, embora os negros representem mais de 50% da população brasileira, eles não recebem oportunidades em ambientes de ensino.

Vamos debatar o assunto, este e todos os outros que representam a reforma educacional tão desejada!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

UFJF_INTERNA

UFJF1

UFJF4

UFJF2

UFJF3

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: Hypeness

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,293,090SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

ONG transforma lixo plástico de praias do Sul e Sudeste em brinquedos

A ONG Eco Local Brasil criou um projeto muito bacana e que vai distribuir brinquedos feitos a partir de plásticos recolhidos nas praias do...

Pais posam pela última vez segurando o bebê que perderam

A perda de um filho talvez seja uma das dores mais devastadoras que alguém possa sentir, ainda mais quando isso acontece com um bebê. Não...

Projeto cria biblioteca para surdos em pequena comunidade africana

Provavelmente você nunca escutou falar de Muyinga, uma pequena comunidade no centro da África, mais exatamente em Burundi, onde nasce o grande Rio Nilo. E é de lá que...

Policiais de Minas Gerais realizam sonho de infância de jovem cadeirante

O sonho do jovem de 21 anos era ser policial militar.

Megg Rayara: a primeira travesti negra a receber título de doutora no Brasil

A tese traz um estudo de caso com quatro professores negros, homossexuais e afeminados.

Instagram

Campanha questiona baixíssima presença de professores negros nas universidades brasileiras 2