Campeão paralímpico brasileiro visita fã mirim com mesma deficiência na Paraíba

O medalhista de ouro nas Paralimpíadas do Rio, em 2016, Petrúcio Ferreira, 24 anos, é o ídolo de um garotinho lá de Brejo do Cruz (PB). Anthony, 5 anos, sonha em correr como seu herói, que também não possui o antebraço esquerdo. Conhecendo a história do menininho, o atleta decidiu fazer uma surpresa para o garoto e foi ‘desafiá-lo’ a uma corrida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Petrúcio conheceu a história do pequeno Anthony por vídeo. Na gravação, o menino dizia que queria ser como o campeão paralimpíco, o que emocionou o atleta. Em entrevista ao Globo Esporte, o atleta destacou a emoção de ser visto como um ídolo pelas crianças.

“Tempos atrás eu tinha recebido vídeos dele [Anthony]. Em uma oportunidade em que eu estive na cidade dele, resolvi procurá-lo e conhecê-lo. No vídeo, ele dizia que queria ser igual a mim. Ele só me via pela televisão. Foi um encontro que me deixou muito feliz. Eu fico até sem palavras. Encontros como esses ficam marcados.”

View this post on Instagram

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A post shared by Petrucio Ferreira 🇧🇷 (@petrucio_t47)

Nascido em São José do Brejo do Cruz (PB), Petrúcio estava a apenas 22 km de distância da casa de Anthony. O recordista mundial dos 100 m na categoria T47 fez o encontro acontecer e, óbvio, correu alguns metros com o menino, que sonha em ser igual ao medalhista paralímpico.

Anthony derrota Petrúcio

‘Surpreendendo’ a todos, o pequeno Anthony derrotou Petrúcio em uma corrida de pouco mais de 10 metros na calçada da casa do menino. Já tão jovem e talentoso, certamente esta disputa nunca será esquecida pelo garoto de Brejo da Cruz.

“Eu quero correr mais com ele. Petrúcio é, para mim, uma inspiração. Petrúcio é meu ídolo.”

Petrúcio Ferreira com medalha de ouro
Petrúcio Ferreira conquistou seu primeiro ouro paralímpico na Rio 2016. Foto: reprodução/Instagram Petrúcio Ferreira

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A mãe de Anthony, Patrícia, também destaca a felicidade do menino ao ver os vídeos da visita de Petrúcio. “Quando ele vê o vídeo da visita, ele fica muito alegre, muito feliz. A gente vê pela carinha dele. Ele diz que vai ser como Petrúcio”.

Se para muitos atletas a medalha olímpica é o ápice de carreira, para Petrúcio ver o sorriso de crianças como o Anthony é o que o move todos os dias. Às vésperas dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em agosto, o recordista mundial viu no menino a inspiração para a reta final de seus treinos.

“São momentos como esses que são mais valiosos que uma medalha. Justifica o meu esforço e o meu suor no dia a dia. Saber que eu sirvo de inspiração e de espelho para outras pessoas com deficiência é muito gratificante”, confessou Petrúcio.

Diferenças que fazem ídolo e menino iguais

Campeão paralímpico e criança com deficiência fazendo pose
Anthony vê Petrúcio Ferreira como grande ídolo e inspiração para ser atleta. Foto: reprodução/Instagram Petrúcio Ferreira

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os paraibanos não possuem o antebraço esquerdo por motivos distintos. Enquanto Petrúcio sofreu uma amputação após um acidente com uma máquina de moer capim com apenas 1 ano e 11 meses, Anthony já nasceu com a deficiência.

As diferenças não significam limitações, mas sim inspirações com tamanha energia do menino e do campeão paralímpico. Ao que tudo indica, é questão de tempo para que Anthony corra atrás das marcas de Petrúcio e, quem sabe, escreva seu nome na lista de medalhistas dos Jogos Paralímpicos.

Quer conhecer mais histórias inspiradoras? Dá o play!

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,839,934SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Bike Sem Barreiras oferece passeios com bicicletas adaptadas no RJ

Projeto permite que pessoas com baixa ou nenhuma mobilidade possam curtir, gratuitamente, uma volta de bicicleta em modelos adaptados. Rola todo domingo, das 9h às 12h.

“Coisa de preto”: o mundo primitivo do preconceito

Esse é um depoimento de alguém que foi visto por olhos pequenos por causa de sua cor. A sua resposta tem uma coisa de...

Beija-flores vêem cores que seres humanos não conseguem enxergar

A natureza é mesmo impressionante e guarda mistérios que nós, seres humanos, nem sempre temos a capacidade de compreender. Uma das descobertas recentes mais...

Ligue para o ‘Disk Árvore’ e a prefeitura de Votuporanga vem plantar uma em sua casa

Um ótimo incentivo para engajar os cidadãos na arborização da cidade.

[VÍDEO] Filha se casa e arruma um jeito emocionante de ter o pai presente: ‘senti que estava lá’

O casamento é um dos momentos mais esperados da vida de muita gente. Foi assim também com a brasileira Aeny Layce, mas no caso...

Instagram