Canal no WhatsApp oferece apoio a mulheres vítimas de violência doméstica durante quarentena

É espantoso pensar nisso, mas as mulheres podem estar mais vulneráveis em casa durante a quarentena causada pela Covid-19. Dados apontam que a violência doméstica subiu em países como Itália e China durante o isolamento social.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Como então ajudar mulheres que passam por essa situação no Brasil?

O projeto Justiceiras surge com esse objetivo. Um canal no WhatsApp para conectar médicas, psicólogas e assistentes sociais, todas voluntárias, a mulheres vítimas de violência doméstica.

Foto: Divulgação

As profissionais vão oferecer suporte dentro da sua área de atuação. Ah, e as mulheres que já passaram por situação parecida e conseguiram sair do ciclo da violência, também podem participar e compartilhar suas experiências.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Demais, não é não?

Relacionado: Coronavírus: projeto incentiva mulheres a comprar produtos e serviços de outras mulheres

E se você é mulher e atua em uma dessas áreas, pode se inscrever para ser uma voluntária clicando aqui. Hoje, já são mais de 650 voluntárias.

O número do Whatsapp para as mulheres vítimas de violência doméstica buscarem ajuda é (11) 99639-1212. As vítimas têm acesso também a vídeos informativos, além do atendimento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O projeto é uma parceria dos institutos Justiça de Saia, Bem Querer Mulher e Nelson Wilians.

“A violência não pode ser esquecida ou subnotificada. Um dos institutos fundadores do projeto, que tem sede física e atua diretamente no combate à violência doméstica, já relatou o aumento de casos nos últimos dias”, explicou a Presidente do Instituto Nelson Wilians, Anne Carolline Wilians.

Relacionado: Coronavírus: mulheres criam grupo de apoio para pagar boletos de trabalhadoras informais

Passado o período de quarentena, o projeto poderá ser ampliado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“É importante que nós mulheres tomemos posse de nossas lutas, que a sororidade seja exercida em momentos de vulnerabilidades, exposição, mas estenda-se além da situação atual. O que vimos com esse canal é exatamente uma oportunidade de engajar mais mulheres. A causa é nobre, exige engajamento, exige sororidade, exige compaixão”, finalizou.

[A história das Justiceiras e tantas outras de mulheres que ajudam mulheres fazem parte de um canal especial do Razões para Acreditar e O Boticário, para mostrar que #SomosFeitasDeTodas . Acesse mais histórias como essa aqui.]

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM






Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,977,926SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Bebê que foi atropelado enquanto atravessava faixa de pedestres passa por incrível recuperação [VIDEO]

Durante um passeio em família, Brighton Peachy e seu filho Watson, então um bebê de apenas 1 ano, foram atravessar a rua por uma...

Mãe cria ‘Pote de Desejos’ para ajudar filhos a lidarem com quarentena

Uma mãe compartilhou uma ideia simples, mas muito poderosa, que vem adotando com os filhos. Katie Eborall criou um "pote de desejos", onde as crianças colocam...

Depois de 170 anos, pássaro quase extinto é encontrado na Indonésia

O pássaro Malacocincla perspicillata, espécie de ave da família Timaliidae, foi encontrado em Bornéu, na Indonésia, depois de 170 anos desaparecido e considerado como...

Estudantes criam etiquetas em braille para deficientes visuais

Maior liberdade de escolha para os deficientes visuais, que poderão comprar as peças que quiserem sem depender da ajuda de alguém que enxerga.

Esse homem trata o urso polar como um pet, e é correspondido

Mark Dumas tem um "bichinho" de estimação um pouco diferente, trata-se de um urso polar chamado Agee. No qual fazem tudo que um dono...

Instagram