Canal de TV decide preservar familiares das vítimas do acidente aéreo para não expor sofrimento

Parece que uma parte do jornalismo ainda tem consciência, ética e respeito aos leitores e às famílias envolvidas em grandes tragédias.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O Esporte Interativo, canal de televisão brasileiro com 100% de sua programação dedicada a cobertura de diversas modalidades esportivas, decidiu não procurar para entrevistas familiares das vítimas do acidente com o avião da Chapecoense. Segundo o Blog do Maurcio Stycer, o canal esportivo do grupo Turner entendeu que seria “mais importante respeitar o lado humano” do que “mostrar o sofrimento das pessoas”.

Ainda segundo Mauricio Stycer, o canal abriu mão de aumentar “um pouquinho a audiência”, como disse Fabio Medeiros, diretor de Conteúdo, por entender que “os valores humanos estão acima de estratégias imediatas do canal”. Segundo o executivo, o EI avaliou que os parentes das vítimas “não tinham informações que fossem relevantes para contribuir com a cobertura”.

esporteinterativochapeco

Em um trecho do comunicado, Medeiros diz:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“A gente acha que num momento como esse, muita gente está sofrendo, inclusive a gente, mas quem está sofrendo mais, disparadamente, são as famílias.(…)Os valores humanos, pra nós, estão acima de estratégias imediatas”.

Leia a matéria na íntegra aqui. / Ilustração de capa: Dálcio Machado

+Ação visa arrecadar fundos para familiares envolvidos na tragédia aérea do Chapecoense

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,637,823SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Menino de 10 anos fala sobre ganância em seu primeiro vídeo no YouTube

O “Lobinho Encapuzado” fala sobre “ser mais” e “ter menos”.

Mãe com esclerose múltipla compra carro usado e encontra envelope com presente inesperado

Os últimos meses não têm sido fáceis para Jen Willis, de Daylesford, Victoria, na Austrália. Recém divorciada, ela é mãe, diretora de escola e...

Americano paga dívida de almoço de 400 crianças para voltarem a comer na escola

"Achei isso tudo uma loucura. Comida é algo indispensável. As crianças não deveriam aprender a lidar com a fome [na prática]".

Mulher vai comprar 15 sandálias para crianças africanas, mas sai da loja com 115 pares

A representante comercial Lala Biasi, 62 anos, foi comprar 15 sandálias para crianças da África, mas saiu da loja com 115 pares.

Moradores da periferia de SP trocam recicláveis por cursos profissionalizantes

Empoderamento e ascensão social a partir da reciclagem.

Instagram