Conheça a história de luta e sobrevivência do Cãozinho “Cartucho”

Tendo donos ou não, de pedigree ou sem raça definida (SRD), pequenos ou grandes, os animais de estimação são sempre capazes de mostrar o tamanho do seu amor e transformar a vida de quem está por perto. Há oito meses, foi a vez de Artur Guimarães, delegado de Itaparica, na Bahia, transformar a vida de um cãozinho.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Depois que uma ninhada com em média 5 cachorros foi deixada na porta de uma moradora da localidade, a mesma entrou em contato com o delegado e ofereceu um deles para adoção. Artur não pensou duas vezes: adotou um filhote, batizou de “Cartucho” e o acolheu nos primeiros dias de vida.

Desde a adoção, Cartucho passou a viver nas dependências da 19ª DP, delegacia na qual Artur atua. “Eu moro em um apartamento em Salvador, dessa forma, preferi deixar Cartucho em um local amplo para que ele tivesse bastante espaço para brincar e se desenvolver”, conta Guimarães. Não precisou de muito tempo para o cãozinho se tornar um mascote na unidade policial e ser muito bem cuidado por todos. “As vacinas estão em dia, ele toma banho semanalmente e só come ração”, ressalta Artur.

mulher segurando cãozinho

Cartucho transformou a vida do delegado Artur Guimarães e hoje, Artur luta para transformar a vida do seu amigo

Mesmo depois de ter sobrevivido ao abandono ainda recém-nascido e de ter encontrado, finalmente, um lugar para chamar de “lar”, Cartucho estava, novamente, lutando pela vida. No último mês, ele deu entrada na clínica veterinária Planeta Animal, sem conseguir andar, com quadro neurológico e insuficiência renal grave. Uma série de exames apontou o diagnóstico de leptospirose. Para complicar a situação dele, os veterinários Gabriela Azevedo e Diogo Azevedo ainda notaram que existe a possibilidade do cão ter sido picado por uma cobra.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Agora depois de toda luta, na próxima segunda-feira (7), Cartucho vai receber alta. Todos os sintomas iniciais cessaram e ele voltou a se movimentar novamente. “Ele resistiu a esse desafio e pode voltar a vida normal. Conhecer histórias como a de Cartucho nos move. Somos 10 veterinários aqui na clínica e todo mundo cuidou dele. Essa melhora é validada a todos”, assegura Azevedo.

cãozinho

A alta de Cartucho veio cheia de significado. Nesta sexta-feira (4) é comemorado o Dia dos Animais. Celebrada anualmente, a data foi inserida no calendário católico, pois é o dia do nascimento de São Francisco de Assis, padroeiro da Ecologia, conhecido por ser o protetor dos animais.

Artur também se sente bastante aliviado e garante que, desde o início, fez de tudo para reverter essa situação. “Quando tudo aconteceu eu não estava na delegacia, mas de imediato fui avisado e tomamos todas as medidas necessárias. O problema maior, foi de fato, saber qual era a real situação de Cartucho”, explica o tutor. A torcida pela saúde de Cartucho era tão grande que a equipe da 19ª DP fez até mesmo uma vaquinha para ajudar no tratamento do mascote.

“A relação com Cartucho tem sido muito significativa. Não só para mim, como para toda a equipe. Até tentamos levar ele para ser um cão farejador, mas o lado afetivo entrou em jogo e tudo mudou. Ele traz uma leveza para um ambiente que nem sempre é assim. Não tem que nem goste dele e não se encante com o seu jeito”, concluiu Artur.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por Bárbara Maria – Agência Educa Mais Brasil/Fotos: Tatiany Carvalho

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,634,668SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Como o companheirismo de filho salvou mãe com câncer, fratura e AVC

“O que eu digo é que se você tiver amor, você terá forças. Você não sabe como, mas tem.”

Menino recolhe bitucas e escreve bilhetes para funcionários de posto

Luiz Fernando, 11 anos, pegou as bitucas de cigarro e deu um puxão de orelha nos funcionários que fumavam.

Ele é o primeiro tetraplégico do Brasil que voltará a andar após tratamento inovador

O engenheiro Bruno Medeiros, de 32 anos, passou oito anos em uma cadeira de rodas. O mineiro de Santa Rita do Sapucaí ficou tetraplégico...

Mulher desaba de alegria ao ver seu cachorro andar novamente

Sammi é um cachorrinho que sofre com uma rara doença degenerativa que altera o tamanho do pescoço e coluna - o que acabou lhe...

Hospital promove Dia do Abraço virtual para curar crianças com câncer

Antes da pandemia do coronavírus, você via muitos abraços no ITACI, hospital público de referência no tratamento do câncer infantil e outras doenças hematológicas...

Instagram