Início SUSTENTABILIDADE Ambiente “Caravelas” irão despoluir rios e parques urbanos em Curitiba

“Caravelas” irão despoluir rios e parques urbanos em Curitiba

Há pelo menos 20 anos, os cientistas sabem a maneira mais eficiente e barata de solucionar a poluição orgânica das águas de rios e parques urbanos, mas só agora a ação começa a ganhar forma, em Curitiba, na forma de pequenas “caravelas”.

A iniciativa é do premiado escritório de design Furf Design, dos sócios Maurício Noronha e Rodrigo Brenner, em colaboração com o oceanógrafo Bruno Libardoni, que está terminando seu doutorado em Geociências na Universidade Federal Fluminense e passou por renomadas instituições de ensino na Europa. As informações são do Gazeta do Povo.

Com o nome apropriado de “Caravela”, a estrutura é sustentável, eficiente e democrática. Feita a partir de bioplástico com 10 m² e 2 metros de altura, ela otimiza o crescimento das algas, que em simbiose com as bactérias, utilizam a poluição da água para crescer no processo natural. A ideia é delimitar o crescimento das algas e com isso impedir o desequilíbrio ambiental.

caravelas despoluir rios e parques urbanos curitiba

Segundo algumas pesquisas, as algas retiram até 10 gramas de Fósforo das águas e geram 350 gramas de alga seca (biomassa). Durante um ano, uma única Caravela poderá colher 1 tonelada de biomassa. Isso tudo sem uso de energia convencional e com um custo operacional baixo, ao contrário das alternativas já existentes.

“Essa é a honestidade científica do projeto. Não vamos inserir produtos. Vamos utilizar organismos do próprio ambiente. Implementada a Caravela, as algas começam a crescer, a água fica mais clara, com menos poluição”, explica Libardoni.

Depois de duas semanas, quando as algas atingirem seu tamanho máximo, elas poderão ser colhidas e virar combustível, fertilizante para a agricultura, proteína para a indústria alimentícia ou bioplástico para construir novas Caravelas.

caravelas despoluir rios e parques urbanos curitiba

A estrutura da embarcação conta ainda com painéis solares que irão gerar energia elétrica para alimentar luzes de LED vermelhas e azuis que permitirão uma fotossíntese contínua das algas durante a noite, aumentando seu potencial de crescimento em 40%, além de sensores que permitem saber as condições da água em tempo real.

Deixando um pouco de lado sua capacidade despoluidora, a Caravela em si é um show à parte. “O movimento é quase como um balé”, destaca Brenner. Ela assume o formato de uma gota e outras vezes de um barquinho caricato.

caravelas despoluir rios e parques urbanos curitiba

O projeto será implantado em Curitiba, pelo menos inicialmente. Os primeiros testes acontecerão dentro de três meses, após novos aprimoramentos. Noronha e Brenner ainda avaliam o preço da primeira caravela. A Prefeitura de Curitiba sinalizou através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente que apoia a iniciativa em seus parques.

crédito das fotos: Reprodução/Furt Design Studio

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

982,395FãsCurtir
1,679,017SeguidoresSeguir
8,239SeguidoresSeguir
11,000InscritosInscrever

+ Lidas

Designer da UFMG cria embalagem sustentável de pasta de dente que pensa fora da caixa – literalmente!

Um projeto acadêmico liderado por Allan Gomes, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), repensa a maneira como as embalagens são dispostas aos consumidores...

Mãe pede pizza só para ver o filho entregar no primeiro dia de trabalho

Lindo gesto de amor da mãe para incentivar o filho no novo trabalho!

Pesquisadora de Manaus desenvolve plástico biodegradável a partir do cará

Quem já comeu sabe o quanto o cará é saboroso. O tubérculo, que é bem parecido com o inhame, é rico em fibras e...

Casal gay adota bebê com HIV que foi rejeitada por 10 famílias

Pouco depois de nascer, Olivia foi abandonada em um orfanato. Na fila de adoção, foi rejeitada por 10 famílias. O motivo? A menina é...

Pesquisadores do Paraná criam membrana capaz de desenvolver pele e ossos

O futuro da medicina está cada vez mais próximo do presente. No Paraná, pesquisadores da Universidade Estadual de Londrina criaram uma membrana que é...

Instagram