Carpinteiro encontra R$ 2 mil e passa 20 dias procurando o dono no PI

José Erisvaldo é morador do município de Brasileira, localizado a 160 km de Teresina. O carpinteiro passou quase um mês tentando localizar o comerciante Carlos Borges, morador de Piripiri, dono da quantia de R$ 2,3 mil que ele encontrou quando passava pela BR-243, no início de abril.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A irmã de Erisvaldo, Charlane Sousa, registrou a devolução do dinheiro – um grande exemplo de honestidade – e compartilhou em seu perfil no Facebook. “Tem coisas que não tem valor e honestidade é uma delas”, escreveu ela. O irmão voltava para casa quando avistou o dinheiro espalhado pela pista e um cartão com poucas informações.

Segundo informações do G1, no cartão, havia o nome de uma pessoa chamada Tertuliano. Sousa foi procurar o homem, mas descobriu que ele tinha se mudado e ninguém sabia endereço. Contudo, ela seguiu procurando, até obter a informação de que ele poderia estar internado no Hospital Chagas Rodrigues, na cidade de Piripiri.

carpinteiro-devolve-dinheiro-para-comerciante-no-Piauí

Porém, ao chegar no hospital, ela descobriu que esse Tertuliano não era o dono do dinheiro que o irmão encontrou – Borges fornecia alimentos para Tertuliano e, por isso, o cartão estava junto com ele.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Borges usaria o dinheiro para pagar algumas contas – os boletos estavam atrasados já havia um mês. Ele quase não acreditou quando recebeu a ligação de Erisvaldo – achou que era um trote –, dizendo que tinha encontrado seu dinheiro.

Leia também: Motorista de ônibus em Campinas encontra pasta de dinheiro e devolve ao dono sem pensar duas vezes

O comerciante ficou bastante emocionado quando recebeu o dinheiro, após vinte dias, e, como agradecimento, deu a Erisvaldo a quantia de R$ 200. E não é a primeira vez que o carpinteiro toma essa decisão. Ele disse que há alguns anos encontrou um valor semelhante e também devolveu.

Apesar de muita gente falar para ele desistir de procurar Borges, com a ajuda da irmão, e gastar todo o dinheiro, Erivaldo insistiu, por uma simples razão: o dinheiro não era dele.

Foto: Reprodução/Facebook

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,279,775SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Em Portugal, existe um banco onde a moeda não é o dinheiro e sim o tempo

O Banco do Tempo funciona como um sistema de troca de ações solidárias. A instituição troca o dinheiro pelo tempo para que as pessoas...

Detentos do sistema prisional produzem máscaras de proteção em Joaçaba (SC)

Em Joaçaba (SC), detentos do Presídio Regional que estavam impedidos de trabalhar em decorrência do decreto estadual para prevenção do novo coronavírus, voltaram às...

Startup alagoana está ajudando milhões de surdos a se comunicarem com o mundo

Uma startup alagoana está mudando a vida de milhares de pessoas surdas do Brasil, bem como de todos que os cercam também. Através do Hugo, um avatar...

Pai e filho enviam os vídeos mais engraçados para a mãe enquanto ela trabalha fora

Eric e Priscila são pais do pequeno Jack. Eles precisaram voltar a trabalhar depois do nascimento do filho. Priscila trabalha à noite e aos...

Prêmio Brasil Criativo reverte inscrições em doações para vaquinha de cooperativa de artesãs

A Central Veredas emprega artesãs do sertão mineiro, que há um ano estão sem trabalhar após um incêndio. A cada inscrição, 10 reais serão doados para a vaquinha na Voaa.

Instagram

Carpinteiro encontra R$ 2 mil e passa 20 dias procurando o dono no PI 2