Amigos mobilizam cidade inteira para reformar casa de mãe e filha em extrema pobreza: “Nós abracemos elas”

O isolamento dessa família é tão grande que parece que elas vivem no século passado. Na cidade de Raposos (MG), na Serra da Gandarela, dona Edite, de 65 anos, vive com sua filha Naira, de 40, em condições precárias. Mas um grupo de amigos está mudando essa realidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dona Edite não conhece dinheiro, não consegue se comunicar muito bem e mora na casinha de pau a pique, ou de taipa, como alguns conhecem. A casa tem mais de cem anos. Foi lá que ela nasceu, que viveu com sua família, suas irmãs, e hoje atravessa os dias sozinha com a filha.

Nesse isolamento total da cidade, algumas pessoas que fazem trilha de moto pelo local acabaram encontrando a casa e decidiram passar a ajudar. Primeiros eles começaram levando alimentos e estabelecendo contato.

Casa de pau a pique
Casinha é bem simples. Foto: Reprodução/Instagram: @lardasdoninhas

“Elas são muito simples, conversam pouco, não sabem nem o valor das notas de dinheiro. Um pacote de bolacha que tinha lá elas queriam dividir com a gente, fizeram café e fizeram questão da gente tomar”, disse Henrique, uma das pessoas que está ajudando a família.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Homem com xícara de café na mão oferecendo para idosa em frente a casa de pau a pique
Trilheiros provaram do café de dona Edite e resolveram ajudar a família. Foto: Reprodução/Instagram: @lardasdoninhas

Henrique perguntou se no local havia banheiro e dona Edite disse que não. Foi então que eles decidiram ajudar fazendo uma campanha para reformar a casinha. “Nós abracemos elas e falamos que a partir daquele momento elas eram nossas amigas“, disse.

Trilheiros com mãe e filha na frente de casinha de taipa
Foto: Reprodução/Instagram: @lardasdoninhas

Eles mobilizaram toda a cidade, arrecadaram dinheiro, lançaram uma vaquinha online para quem quiser ajudar e já vão iniciar a reforma.

“No final, vamos colocar um painel com a foto de todas as pessoas que ajudaram na parede lá da casa”, disse Henrique.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Vaquinha para reformar casa de mulher que cavou poço sozinha para dar qualidade de vida à família

História da família já virou filme

Não é de hoje que essa realidade é conhecida em Minas Gerais. Em 2009, o filme “As Iracemas” mostrou a história da casa das doninhas, como ficou conhecida na região.

mãe e filha na frente de casa de pau a pique
Foto: Reprodução/Instagram: @lardasdoninhas

Dona Edite tinha não só uma, mas três filhas naquela época. Duas delas com deficiência neurológica, mas sem diagnóstico. De lá para cá, as duas morreram e apenas Naira permaneceu viva.

Assista ao trailer do filme:

“Nós estamos com um sentimento de gratidão porque não tem ninguém por elas, vivem abandonadas e nós estamos fazendo isso porque elas fazem parte da história de Minas Gerais”, finalizou Henrique.

E nós vamos estar aqui para mostrar quando a obra terminar. Esse é só o início de um sonho!

selo conteúdo original

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,110,307SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cingapura elimina ranking de notas entre alunos: “aprender não é uma competição”

Uma das menores, porém mais prósperas nações do Ásia, Cingapura possui um dos melhores sistemas educacionais do planeta. Há alguns dias, em comunicado à imprensa,...

American Airlines contrata sua primeira aeromoça com Síndrome de Down

Shantell tem apenas 17 anos, mas já fez história na American Airlines, a maior companhia aérea do planeta. A jovem é a primeira pessoa...

Startup cria aplicativo que indica onde o seu lixo pode ser descartado

A empresária e especialista em sustentabilidade, Roberta Pinheiro, identificou há pouco mais de um ano que as pessoas querem fazer o descarte correto do...

Prefeito de Colatina (ES) pega fila e espera um mês para ser atendido em consulta

"Eu tenho que sentir a realidade da população. O político tem que sentir na carne o que esse povo enfrenta", afirmou.

Brandili lança nova coleção de camisetas em braille

10% do valor total das vendas será revertido para a Fundação Abrinq, que luta pelos direitos da criança e do adolescente.

Instagram

Amigos mobilizam cidade inteira para reformar casa de mãe e filha em extrema pobreza: "Nós abracemos elas" 1