Casal adota 5 irmãos deixados pela mãe biológica em abrigo de SP: ‘Somos pais orgulhosos’

O amor também é um ato de coragem”, disse Jhonatan Wiliantan da Silva, 28 anos, sobre a adoção de 5 irmãos que foram deixados pela mãe biológica em um abrigo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O rapaz é casado com o enfermeiro Daniel Rocha Braz, também de 28 anos. No início do relacionamento, eles não manifestavam vontade de ter filhos, mas tudo mudou quando conheceram João Miguel, de 1 ano e 6 meses, Iara, de 3 anos, Harry, de 4 anos, Wendel, de 6 anos e Douglas, de 11 anos.

Com a adoção conjunta das crianças – para que não se separassem, – hoje, o casal têm uma família numerosa, orgulhosa e repleta de amor!

Casal adota 5 irmãos deixados pela mãe biológica em abrigo de SP

Caminho para a paternidade

De início, meses antes de conhecer os futuros filhos adotivos, Jhonatan e Daniel consideraram a barriga de aluguel para realizar o desejo da paternidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Inclusive, uma tia de Jhonatan topou ser voluntária, mas a ideia esfriou no meio do caminho. Nesse meio-tempo, ele conheceu os pequenos Douglas, Wendel, Harry e Iara, que viviam em um abrigo da cidade.

Foi aí que o rapaz percebeu que havia muitos caminhos para o sonho da paternidade. “Eu vi que tinham muitas crianças que podiam precisar de mim”, explicou. “Eu sempre gostei de cuidar”.

Casal adota 5 irmãos deixados pela mãe biológica em abrigo de SP

Apaixonado pelas crianças, Jhonatan decidiu apadrinhá-los, visitando-os frequentemente.

“Eu tinha um carro. Então eu pegava [as crianças] e levava para tomar sorvete, fazer as unhas, essas coisas”, lembrou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Devido à pandemia de Covid, que ganhou força em 2020, as visitas aos irmãos foram cortadas por causa das políticas de isolamento e distanciamento social.

Adoção

Ficar distante dele não era uma opção para Jhonatan, que passou a enviar vídeos e manter proximidade com os pequenos. “Lá [no abrigo] falta o amor, o calor, o carinho que a gente tem na nossa casa”.

Pouco depois, em meio ao desenrolar da pandemia, o rapaz decidiu entrar no processo de adoção das crianças, já ciente dos inúmeros obstáculos que teria ao longo do caminho, como o preconceito por ser gay – algo que parte da família das crianças sempre destacava em tom negativo.

“As pessoas que me taxavam geralmente eram as mesmas que não queriam cuidar das crianças quando a mãe perdeu a guarda”, lembrou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Casal adota 5 irmãos deixados pela mãe biológica em abrigo de SP

Quinto filho adotivo

Jhonatan e Daniel também precisavam enfrentar certas dificuldades financeiras e a insegurança de cuidar de tantas crianças pequenas. “Mas eu queria tanto, que não tinha medo de nada”.

No meio do processo de adoção perante a Justiça, Jhonatan soube que a mãe das crianças estava novamente grávida e que o bebê também iria para o abrigo.

Entre idas e vindas da família, inclusive uma tia paterna dos meninos, que afirmou que cuidaria do mais novo mas pouco depois o entregou para a casa de acolhimento, o casal pediu ao poder público para adotar as 5 crianças.

Felizmente, em dezembro do ano passado, eles conseguiram a guarda de todas, inclusive o bebê recém-nascido. O Natal foi o mais emocionante da vida de Daniel e Jhonatan!

Casal adota 5 irmãos deixados pela mãe biológica em abrigo de SP: 'Somos pais orgulhosos' 1

“Eu levei ele na noite de Natal. Deixei ele perto da árvore, chamei as crianças e perguntei: o que vocês gostariam de ganhar de presente?”.

As crianças mencionaram vários brinquedos. Então veio o anúncio: “O Papai Noel mandou outro presente e disse que era para cuidar com muito amor”… Foi quando ele mostrou o bebezinho e todas se emocionaram. “Foi uma noite muito especial e inesquecível”.

Dia a dia após a adoção

A rede de apoio formada ao redor do casal é fundamental para garantir todo o cuidado necessário às crianças.

Hoje, Daniel trabalha como enfermeiro e Jhonatan atua em uma empresa multinacional. Ainda assim, a renda é bastante apertada e eles necessitam de doações.

“Eu recebo ajuda de leite, brinquedos e muito mais. As pessoas apadrinharam meus filhos”, disse, emocionado. “Sem eu saber, as pessoas fizeram uma vaquinha para fraldas quando o João veio para cá”.

Casal adota 5 irmãos deixados pela mãe biológica em abrigo de SP: 'Somos pais orgulhosos' 2

De toda forma, Jhonatan frisa que não depende das doações para cuidar bem dos 5.

Para o pai adotivo, receber pequenos insumos do dia a dia, como leite ou fraldas, é muito melhor do que receber dinheiro. “Eu tenho medo das pessoas acharam que estou usando meus filhos”, explicou.

Refletindo sobre o longo prazo, Daniel e Jhonatan só conseguem pensar em dar o melhor para suas crianças. Com a experiência adquirida agora que são pais, eles disseram que o medo e a insegurança diminuíram, mas lembram que passaram por momentos bem complicados…

“Foi difícil? Sim. Pensei em desistir? Nunca”, reforça. “Eu não nasci pai. Eu aprendi a ser um”.

“Eu sinto que eles sempre foram meus filhos. Eu só precisei que outra mãe os gerassem”, completou Jhonatan. ❤️

Você pode contribuir para a vaquinha recém-aberta da família clicando aqui!

Fonte: Pais & Filhos
Fotos: Reprodução / Instagram: @jhonatanwiliatan

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,539SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Amazonense é a primeira tetraplégica a saltar de paraquedas no Brasil

A amazonense Nancy Segadilha realizou seu sonho de saltar de paraquedas e, de quebra, se tornou a primeira pessoa tetraplégica do Brasil a concretizar...

Empresa suíça vai cultivar orgânicos no topo dos prédios de SP

Os brasileiros Daniel Pacheco, Talita Marinho e Alexa Gaspar se apaixonaram pelo trabalho da Urban Farmers, uma empresa da Suíça que cria soluções para a produção...

[VÍDEO] Criança autista, apaixonada por motoboys, ganha homenagem de entregadores

Dudu tem 7 anos e é um garotinho autista, que tem paixão por motoboys. A Isabella Danzi é tia dele e compartilhou uma história...

Juíza celebra casamento homoafetivo com bandeira LGBT e bolo para noivas

Em uma decisão inédita até então na América Latina, o STF julgou constitucional a união estável entre casais homoafetivos em 2011, reconhecida em cartório....

Pessoas que fazem, brasileiros na Gringa e Gente que Causa: Obviedades

Existem coisas que são tão óbvias que você precisa falar, pra ligar a luzinha na cabeça da pessoa e ela cair na real! Kkk...

Instagram

Casal adota 5 irmãos deixados pela mãe biológica em abrigo de SP: 'Somos pais orgulhosos' 4