Casal gay adota adolescente que estava 6 anos na fila de adoção

O casal Christian Sebastian, de 24 anos, e Natalino Ferreina, 34, adotou um adolescente que tinha sido abandonado pela família e passou mais de seis anos na fila de adoção. É comum as pessoas que decidem adotar preferir crianças mais novas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O casal está junto há mais de dois anos e conta que sempre teve vontade de adotar, independente da idade. Os dois souberam da existência do adolescente de 13 anos após o casamento, em setembro deste ano.

O adolescente vivia em um abrigo no município de Gurupi, no Tocantins. Ele chegou ao local aos 7 anos após ser encontrado por policiais andando pelas ruas da cidade. “Quando eu soube da história dele, averiguei, entrei em contato com a coordenadoria do abrigo e passei os meus dados”, relembra Natalino, que é paranaense.

Natalino e Christian se casaram em setembro deste ano, em Maringá (PR). Foto: Arquivo Pessoal
Natalino e Christian se casaram em setembro deste ano, em Maringá (PR). Foto: Arquivo Pessoal

A coordenadora do abrigo, Licemara Cardoso, conta que o adolescente sofria muito por não ter uma família. “Ele sempre via as outras crianças sendo adotadas e se sentia rejeitado”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Mulher adota 6 irmãs de uma vez só para que elas ficassem juntas

Natalino tentou a adoção pela Justiça de Maringá, no Paraná, mas sem sucesso. Então, ele procurou a Defensoria Pública do Tocantins, que deu entrada no processo de adoção. Pouco tempo depois, o casal obteve a guarda provisória, com estágio de convivência por quatro meses.

“Eu pedi para a coordenadora do abrigo perguntar se ele queria ser adotado por um casal de homens. Ele respondeu: ‘Obrigada, Deus, eu pedi uma família’. Isso nos deu força”, disse Natalino emocionado.

O adolescente se mudou com os novos pais para Maringá no domingo (4). Os três vivem o melhor momento de suas vidas. “Sem palavras, tudo está perfeito. Ele está feliz, eu vejo que há um brilho diferente no olhar. Nós ficamos acordados até tarde conversando, sorrindo. Eu perguntei se ele está gostando de ficar com os pais. Ele disse que nuca vai embora e que daqui nunca vai sair”.

Com informações do G1

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,508,125SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Ex-colegas de faculdade se unem para ajudar jornalista com depressão profunda que vive de favor

"Eu não esperava tamanha comoção por mim, pois muitos da turma eu não vejo há mais de 15 anos". A jornalista Leandra Vianna foi...

Pai e todos os filhos têm ou tiveram algum tipo de câncer, mas não perdem o otimismo

O pai e o irmão de Bia tatuaram o nome da menina exatamente como ela assinava seus desenhos.

Menino vê colega autista chorando no primeiro dia de aula e segura sua mão para acalmá-lo

Os internautas estão encantados com o Christian, um menino de 8 anos que ajudou seu colega autista que se encontrava nervoso e ansioso no primeiro dia de aula.

Covid-19: Anvisa aprova o uso emergencial da vacina da Janssen no Brasil

Em meio ao pior momento da pandemia do novo coronavírus no Brasil, o coração dos brasileiros se enche de esperança com o recente anúncio...

Motoboy que salvou gatinho ganha curso de bombeiro civil: “É um sonho”

O curso é um antigo sonho do motoboy de 28 anos - que não precisará pagar nada por ele.

Instagram