Casal de idosos que se conheceram pelo Tinder: ‘Mandei um like e ele curtiu de volta’

Ela é uma aposentada de 73 anos, de Votorantim (SP) – viúva, mãe de três filhos, avó de cinco e bisavó de outros sete.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ele é um motorista particular de 77 anos, divorciado, tem uma filha e mora na praia.

Era mais ou menos desse jeito que Neusa Rodrigues Pereira e Vitório Willian Bassani se descreviam no Tinder, popular aplicativo de paquera – para todas as idades.

Neusa encontrou no aplicativo uma válvula de escape, uma maneira interessante de encontrar o amor, e de quebra, espantar a solidão. Ela havia se tornado viúva seis anos antes, e com o passar do tempo,  sentia-se sozinha e carente, especialmente quando um dos filhos que morava com a idosa decidiu se mudar.

Leia também“Tinder da doação de sangue” conecta doadores a quem precisa

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com a ajuda da tecnologia – e da sua neta de 14 anos, sem precisar sair de casa, ela pensou, seria muito mais fácil encontrar uma nova cara-metade. “Já tinha ouvido falar nessas coisas e pedi para a minha neta ajudar, para encontrar um negócio de arrumar namorado. Minha colega já tinha comentado e daí na hora peguei o jeito”, lembra.

“No início, 42 homens curtiram minha foto, mas não me interessei por nenhum. Depois, conversei com um, e não deu certo. Aí vi a foto do Vitório e resolvi mandar um like. Ele curtiu, mandou mensagem e começamos a conversar.”

Vitório curtiu daqui, Neusa curtiu acolá e pronto: deram “match”, isto é, ambos os perfis se mostraram interessados e ‘combinaram’. Sobre o crush, a aposentada dispara: “Logo no começo sabia que ia dar casamento”.

No entanto, a união dos dois demorou um pouco pra acontecer. Eles conversaram por oito meses, diariamente, até o esperado primeiro encontro. “Nunca ficamos sem nos falar. Ele me ligava umas dez vezes por dia, contávamos um ao outro o que fizemos de almoço e janta”, relembra Neusa.

Assim que o namoro virtual engatou, Vitório viajou por 200 quilômetros até Votorantim, no interior de São Paulo, para conhecer, finalmente, a sua futura esposa. Tecnologia e modernidade à parte, o primeiro encontro foi à moda antiga!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Dois dos meus filhos vieram em casa para conhecê-lo. Conversaram com o Vitório, fizeram várias perguntas. Depois que todo mundo se conheceu ele voltou, porque não poderia dormir em casa, né”, diz.

Sem pressa e com bastante parcimônia, os idosos namoraram por cerca de um ano até, enfim, oficializarem a união, numa cerimônia realizada no último sábado, 9.

Casal de idosos que se conheceram pelo Tinder: 'Mandei um like e ele curtiu de volta'
Vitório e Neusa oficializam a união que começou no Tinder — Foto: Arquivo pessoal / Thais Corrêa

Casal de idosos que se conheceram pelo Tinder: 'Mandei um like e ele curtiu de volta'
Casamento foi realizado quase um ano após o primeiro encontro em Sorocaba — Foto: Arquivo pessoal / Thais Corrêa

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Fizemos um almoço pequeno. Minha mãe fez a comida, uma amiga a decoração, todo mundo ajudou um pouquinho e deu certo”, diz Thais Corrêa, neta de Neusa e cerimonialista.

Casal de idosos que se conheceram pelo Tinder: 'Mandei um like e ele curtiu de volta'
Casamento é o segundo Vitório e o terceiro de Neusa, que mora em Votorantim — Foto: Arquivo pessoal / Thais Corrêa

Neusa vai passar uma temporada no litoral, onde o novo marido trabalha, e afirma estar muito feliz com a união. Sobre quem pretende utilizar a tecnologia para encontrar o amor, ela aconselha.

“Tem que ter prudência para encontrar uma pessoa. Vai com paciência que consegue, sim. Sempre com respeito, boa conversa e amizade.”

Casal de idosos que se conheceram pelo Tinder: 'Mandei um like e ele curtiu de volta'
Casamento dos idosos reuniu familiares em Sorocaba — Foto: Arquivo pessoal / Thais Corrêa

Leia tambémMulher com um braço está fazendo sucesso no Tinder com seu perfil hilário

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: G1

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,289,873SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Engenheiro brasileiro lidera projeto que possibilitará diagnóstico precoce de autismo em crianças

O engenheiro brasileiro Anselmo Frizera Neto avança em um dispositivo que visa oferecer inclusão a pessoas com déficit cognitivo, que possui aplicação de robótica e Inteligência Artificial. Usando...

Cachorro vira melhor amigo de menino autista sensível a pelos

Luiz é autista e não tem uma boa relação com os animais por conta de sua alta sensibilidade aos pelos. No entanto, curiosamente, o menino...

A diferença entre educação e aprendizagem

Joi Ito, diretor do MIT Media Lab fala sobre a necessidade de inovação na educação. Inspire-se:

ONG leva ajuda humanitária a famílias que vivem no lixão do Jardim Gramacho (RJ)

A ONG Corrente pelo Bem realiza ações sociais para a comunidade do Jardim Gramacho que vive em cima de lixão desativado pela prefeitura. São mais de 100 famílias que se alimentam dos lixos descartados no aterro.

Site faz mapeamento de pontos de coleta para doação, descarte, reciclagem e trocas de objetos e resíduos

O grande desafio para a sustentabilidade é tangibilizá-la para o dia a dia de qualquer cidadão, a ponto de se sustentar também na vida...

Instagram

Casal de idosos que se conheceram pelo Tinder: 'Mandei um like e ele curtiu de volta' 1