Catador de materiais recicláveis monta empresa com dinheiro arrecadado de sucatas no ES

O catador de materiais recicláveis Domingos Augusto, 43 anos, abraçou o sonho de empreender e tem pensado alto: agora, se autodenomina “microempresário do lixo” e tem trabalhado para comprar a casa própria e um novo caminhão que atenda mais cidades do Espírito Santo, estado onde mora.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Recentemente, Domingos se cadastrou como Microempreendedor Individual (MEI) e batizou a empresa recém-criada como “Reciclagem Esperança”, para continuar tirando sua riqueza do lixo.

Todos os anos, ele retira mais de 6 toneladas de sucata de alumínio, ferro, plástico e papelão recolhidos nas cidades de Alfredo Chaves e Marechal Floriano, na região Serrana capixaba. Por mês, o catador consegue faturar entre R$ 5 mil a R$ 7 mil com a venda do material.

catador monta empresa com dinheiro de sucatas

“Trabalho todos os dias e cato de tudo, menos vidro, porque não tenho nem para quem vender. O lixo que recolho vendo para uma empresa de Marataízes. A renda parece alta, mas pago mais de R$ 1.200 com o aluguel da casa e desse terreno. E custa R$ 250 por dia para usar caminhonete. Fora o combustível, que o gasto é de quase R$ 700 por semana. Tem mês que a conta não bate”, contou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A rotina de trabalho no lixão existe desde que Domingos era criança e recolhia material reciclável com carrinho de mão pelas ruas de Glória do Goitá, no Recife (PE).

Meu sonho é comprar um terreninho para construir uma casa para mim e outra para minha mãe e diminuir o gasto com aluguel”, planeja. A mãe dele, Dona Josefa Maria de Conceição, 65, segue sendo até hoje o braço direito de Domingos.

Dez anos atrás, o catador de recicláveis chegou a comprar uma caminhonete F4000 para transportar o que recolhe pelas ruas e se locomover entre as regiões do Espírito Santos, mas o veículo foi lamentavelmente roubado dois meses depois da última parcela paga.

O carro custou quase R$ 200 mil. “Eu estava morando em Recife. Foram cinco anos pagando. Dois meses depois de pagar a última parcela, roubaram o carro na porta da minha casa. Eles apontaram uma arma na minha cabeça. Foi muito triste, mas eu não desisti do trabalho”, disse.

Após o acontecido, Domingos veio morar em terras capixabas com a família em 2018, em busca de uma vida melhor. Aos poucos, seus sonhos vão se concretizando, sempre frutos de muita dedicação – e trabalho! 💪

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Veja também:

Fonte: Tribuna Online
Fotos: Domingos Augusto / Arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,758,975SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cidade de Manaus retribui ajuda e doa 200 cilindros de oxigênio a hospitais do Paraná

Todo mundo acompanhou a situação dramática vivida pelos hospitais do Amazonas devido à falta de insumos para tratar pacientes com Covid-19 no início do...

Evangélicos fazem acampamento em ponte e já salvaram 16 pessoas do suicídio

Em apenas 4 dias, o grupo salvou 16 pessoas do suicídio na Ponte Newton Navarro. A vigília vai durar 30 dias.

Ele ouviu do sargento que negro não faz jornalismo e hoje atua na Globo

"A gente tem que chegar aqui para que os próximos que vierem saberem que é possível e que têm que estar onde a gente quiser."

Empresa norte-americana aluga bodes para capinar terrenos

Essa empresa, a Rent-A-Ruminant LLC, optou por mudar um pouco a forma trivial em que o setor costuma atuar por um meio alternativo e mais...

Bar de São Paulo vai transformar bitucas de cigarro em pranchas de surfe

Os clientes e entusiastas da ideia podem deixar os cigarros nos reservatórios espalhados pelo bar, que posteriormente serão destinados para reciclagem.

Instagram