Idosa perde R$ 400 em ônibus e recebe ajuda de cearense que vive na Irlanda

Pouco após pagar a passagem do ônibus, a cearense Sílvia Helena Braga, 50 anos, notou que tinha perdido sua bolsa. Dentro dela, havia cerca de R$ 400 em dinheiro, quantia exata para pagar a mensalidade do plano de saúde da filha e comprar alimentos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Desesperada, ela fez um post no Facebook pedindo ajuda com a perda. Sílvia só não esperava que uma corrente de solidariedade fosse forjada entre os usuários da rede social.

“Nunca botei dinheiro em bolsa ou bolso de calça. Eu boto em qualquer lugar, até na cinta, menos em bolsa. Quando vi que perdi, fiquei louca”, relembra a cearense. A quantia foi perdida no trajeto da linha 855-Bezerra de Menezes/Washington Soares, pouco após Sílvia ter emprestado seu Bilhete Único para outra passageira e guardar o dinheiro no bolso da frente.

Minutos depois de perceber a perda, Sílvia publicou uma mensagem no grupo “Alguém conhece alguém que…”, uma comunidade de 400 mil membros onde os internautas trocam indicações de serviços. A ideia era pedir que a bolsa fosse devolvida por quem encontrou o objeto.

idosa perdeu dinheiro recebe ajuda de cearense irlanda

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cearense ajuda cearense

O post teve cerca de 1000 comentários. “Esse dinheiro já virou compras de Natal”, ironizava um membro. “Vai encontrar, eu creio”, torcia outro. Solidariedade, felizmente, não faltou: “Vamos fazer uma vaquinha pra ajudar essa senhora? Cada um dá R$ 10! Qual é a sua conta, querida?”, escreveu uma mulher.

Sílvio disponibilizou seus dados bancários e pouco depois começou a receber doações.  “Já acompanho esse grupo há muito tempo e vejo que as pessoas de lá são boas. A gente não conhece ninguém e todo mundo se ajuda”, diz.

Dentre as doações, destacou-se a de uma jovem, que pediu um boleto e transferiu R$ 180.

Pagar o plano de saúde da filha era a maior preocupação de Sílvia, uma vez que ela tem depressão e não pode interromper o tratamento. “[Essa jovem] foi muito solidária. É muito dinheiro para você dar assim a outra pessoa. Fiquei super feliz. Nunca vou esquecer.”

idosa perdeu dinheiro recebe ajuda de cearense irlanda

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A ajuda veio de longe: sete mil quilômetros separam Sílvia da arquiteta Gabriela Lima, 30 anos, que vive em Dublin, na Irlanda.

Unidas pela solidariedade, elas acompanhavam as publicações no grupo do Facebook quase que diariamente.

Leia também: Depois de virar ‘piada’, garoto cearense que sonha ser repórter ganha câmera de fotógrafa

Entrei no perfil dela e vi que a maioria dos posts eram pedindo ajuda para outras pessoas, vizinhos. Nunca era pedindo para ela. Isso me levou a pensar que ela era uma pessoa boa. Eu me coloquei no lugar. Ficaria sem paz se eu perdesse meu salário todo assim”, avalia a arquiteta, que afirma ter sentido empatia pela situação difícil enfrentada pela vendedora.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A arquiteta diz já ter participado de diversas boas ações no grupo. “Sempre que eu vejo que está ao meu alcance, eu tento ajudar. Se você pode ajudar, R$ 10 ou R$ 20 não fazem falta. Quanto mais a gente faz pelos outros, mais a gente recebe de volta”, reflete Gabriela. Ela também convidou algumas amigas para fazer uma doação.

Dinheiro ganho com muita luta

Os R$ 400 perdidos foram ganhos com muito trabalho.

Desempregada desde fevereiro deste ano, Sílvia faz o que pode trabalhando informalmente: revende produtos de beleza e faz bicos como vendedora.

A cearense ganha cerca de R$ 80 por cada dia de trabalho. Para pagar o plano de saúde, foi preciso juntar a quantia aos poucos. O dinheiro tem chegado com dificuldade nos últimos meses. “Quando você faz 50 anos, você pode botar qualquer vendedor no bolso, mas as pessoas olham para você e já acham que você está velha. Sem emprego formal, você tem que correr atrás ou passar fome. Ainda tenho duas filhas para criar”, confidencia. Ela trabalha como vendedora há 30 anos.

Leia também: Gari encontra R$ 700 na rua e devolve para idosa pagar aluguel da filha doente no RJ

A lição que fica, segundo Sílvia, além de nunca mais “guardar dinheiro no bolso da frente”, é a que boas atitudes sempre são recompensadas.

Tudo que ela deseja agora é ter estabilidade financeira. “O que eu mais desejo nessa vida é ter um emprego. Quero ter dignidade. Não quero ficar parada”, concluiu.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Tribuna do Ceará/Fotos: Reprodução/Facebook

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,268,037SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Motorista de app usa carro para divulgar música de amigo: ‘Acredito muito no potencial dele’

“Acredito muito no potencial dele e sei que não tem limite para onde ele pode chegar. Estou muito feliz por estar sendo importante para...

Professor cria podcast que ensina matemática de forma simples aos deficientes visuais

Ser professor é mais do que transmitir conhecimento, é também estimular pessoas com dificuldade de aprendizagem a vencer seus próprios limites e esta história...

Para espantar tédio da quarentena, idosos de casa de repouso recriam capas de álbuns clássicos

Tudo começou quando Robert Speker, que trabalha como coordenador de um lar de idosos na Inglaterra, notou que precisava levar mais alegria à vida...

Pais organizam buzinaço para homenagear professora que alfabetizou seus filhos em plena pandemia

A "profe" Bia recebeu um super presente de aniversário este ano. Os pais dos alunos dela, organizaram um verdadeiro buzinaço para retribuir a dedicação e...

Como passar uma mensagem positiva às pessoas sem parecer piegas?

E se não precisássemos ser violentos? Mas como assim “precisar ser violento”? Em um mundo tão violento, alguém ainda precisa agir dessa maneira?! Talvez todos nós...

Instagram