Cearense viaja 500 km para doar medula a paciente compatível no RN: ‘Gratificante salvar uma vida’

É muito gratificante poder salvar uma vida“. Assim resume Geovânia Rodrigues, auxiliar de enfermagem cearense que viajou cerca de 500 km para doar medula a uma paciente compatível no Rio Grande do Norte.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Não há distância ou limites que atrapalhem uma boa ação quando se há vontade e determinação!

Em entrevista ao portal “Diário do Nordeste”, Geovânia contou que recebeu uma ligação do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) e imediatamente se prontificou para ir até o outro estado fazer a doação.

 

No dia 30 de novembro (terça-feira), a partir das 17h, acontece o Razões Para Doar, uma super live para promover a cultura de doação em nosso país. Clique aqui para se inscrever e receber a notificação quando o evento começar!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

Questionada sobre a motivação da viagem, a cearense disse que após tantos meses de pandemia, perdeu muitos amigos queridos e passou a valorizar mais a importância da vida.

Importância essa que a inspira a acordar todos os dias às 4h da manhã para trabalhar em um hospital público de Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (CE).

Cearense viaja 500 km para doar medula a paciente compatível no RN: 'Gratificante salvar uma vida' 1

Doação de medula voluntária

Em 2011, a auxiliar de enfermagem participou de uma campanha de doação de sangue na cidade de Pindoretama, no interior do Ceará.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na época, perguntaram se ela poderia se cadastrar no banco de doações de medula óssea. Sem pensar duas vezes, Geovânia aceitou.

Os profissionais de saúde retiraram uma pequena amostra do sangue dela, que fica no cadastro nacional de doadores, até um dia aparecesse alguém apto a ser receptor. E bem, esse momento chegou neste mês de outubro!

Cearense viaja 500 km para doar medula a paciente compatível no RN: 'Gratificante salvar uma vida' 2

Viagem até as terras potiguares

Logo após receber a ligação do Redome, a cearense rapidamente arrumou as malas e partiu para Natal (RN), onde fez os exames de rotina antes da doação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Apesar da curiosidade, Geovânia não sabe sobre quem receberá a medula, mas garante que faz questão de conhecer a pessoa logo após todo o processo.

“O incômodo da anestesia é um instante. O alívio para quem vai receber é para toda uma vida”, lembrou a auxiliar de enfermagem.

 

Assista à live do Razões Para Doar nesta terça, 30/nov, a partir das 17h. Clique aqui para se inscrever no evento!

 

Fonte: Diário do Nordeste
Fotos: Arquivo pessoal

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Neta cuida de avó desde o diagnóstico do Alzheimer: ‘Me chama de mãezinha’

A forma mais bonita de corresponder todo o amor recebido dos nossos pais e avós é poder cuidar deles quando eles necessitam. A ativista humanitária...

“Sou de rua, mas tô limpinho”: menino dá banho e ajuda vira-latas a serem adotados no RS

Thiago do Val Sidegum tem apenas 11 anos, mas já é super engajado em causas sociais, especialmente aquelas ligadas aos animais. Há quase um ano,...

Mãe de 35 anos vence Miss Alemanha 2020 com júri 100% feminino

O tradicional concurso de Miss Alemanha, realizado ininterruptamente há cerca de setenta anos, decidiu se reinventar e fazer uma premiação diferente, exaltando outras características...

Campanha quer ampliar a definição de família para abranger todas as formas de amor

Com base em todas as sugestões enviadas e, com a ajuda de especialistas da língua, será escolhida uma definição mais ampla, fazendo com que as novas gerações conheçam um significado de família mais democrático e sem preconceitos.

10 maneiras de repensar a educação no Brasil

Com exclusividade para o Razões, Claudio Sassaki, mestre em educação pela Stanford University, propõe 10 maneiras de repensar a educação no Brasil.

Instagram

Cearense viaja 500 km para doar medula a paciente compatível no RN: 'Gratificante salvar uma vida' 4