Cego desde os 6 anos, homem reflete sobre a falta de acessibilidade no Brasil

Clique e ouça:

O Marcos Lima ficou cego aos 6 anos de idade, mas ser cego não define quem ele é. O que ainda é um grande problema é a falta de acessibilidade e a falta de empatia das pessoas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Marcos nasceu com glaucoma congênito, uma condição rara que pode ser herdada ou causada pelo desenvolvimento incorreto do sistema de drenagem do olho antes do nascimento. Além de causar baixa visão, a doença fazia com que uma pressão intraocular o deixasse sensível a luz, tanto artificial quanto a do sol.

Entre os oito meses e os 4 anos de idade, Marcos passou por 16 cirurgias com recuperações que o privavam de brincar na rua por conta da fotossensibilidade. Quando ele perdeu totalmente a visão, aos seis anos, se sentiu aliviado. Enxergar era traumático para ele.

Por isso, ele não se apega à cura da sua deficiência mesmo sendo questionado rotineiramente sobre isso. O que o Marcos deseja é que as pessoas passem a enxergar as pessoas com deficiência e as diferenças de uma forma positiva porque o mundo não está preparado para pessoas que, assim como ele, têm deficiência visual.

Ao todo, 85% da informação a nossa volta é visual e, por conta disso, mesmo buscando autonomia e independência para a sua vida, o Marcos entende que precisa de outras pessoas para fazer algumas coisas, como atravessar a rua ou montar seu prato de comida no restaurante – e tá tudo bem!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

cego desde 6 anos homem reflete falta acessibilidade brasil
Marcos Lima foi o primeiro cego brasileiro a esquiar, mas encontra dificuldades para pegar um ônibus no Rio de Janeiro

O que não é nada legal é a falta de sinalização sonora nos semáforos, pisos táteis e outras adaptações para pessoas com deficiência visual.

Além disso, outro incomodo para os deficientes visuais, segundo o Marcos, é quando rola a falta de empatia. Sabe aquele cocô de cachorro na rua que o dono não recolhe? Então, pra quem enxerga já é chato, imagina pra um cego que não tem nem como desviar? Pois é… e quando tem mesas de restaurantes na calçada e nenhuma sinalização, como fica?

Há muita coisa que precisa ser repensada de maneira que respeite todo mundo (e isso não depende só de gestão pública, tem que ter bom senso mesmo). São algumas atitudes que mudam as vidas das pessoas com deficiência.

Um bom exemplo de que a acessibilidade traz oportunidade é o fato do Marcos, em 2008, ter sido convidado para ser o primeiro brasileiro cego a esquiar. E se ele desceu uma rampa de 200 metros no meio da neve, por que tem que ser difícil pegar um ônibus no Rio de Janeiro?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E tudo isso faz a gente refletir que o problema não é a deficiência, mas sim a estrutura social que não consegue se adaptar de forma empática àqueles que não estão no padrão.

O legal é que o Marcos leva tudo isso numa boa e passa essas informações de um jeito único. Ele vem desconstruindo tabus sobre a deficiência visual para mais de 180 mil inscritos no canal Histórias de Cego e também nas palestras mundo afora que ele faz.

Assista ao depoimento do Marcos na sessão 45 do canal ter.a.pia:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,091,514FãsCurtir
2,665,370SeguidoresSeguir
22,289SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Tatuador que aprendeu a maquiar esposa tetraplégica a homenageia após sua morte: “Te amei desde a primeira vez que te vi”

É com coração partido que damos a notícia da morte da Dani. Essa guerreira ganhou os nossos corações e de milhares de pessoas com...

Menino de 11 anos doa 22 mil fraldas para mães solteiras usando dinheiro da sua barraca de limonada

Cartier Carey, de 11 anos, recentemente deu um super exemplo pra todos nós. Ele usou todo o dinheiro da sua barraquinha de limonada para...

Jovem de SC faz live de jogos para ajudar a família e recebe doação anônima de R$ 900 mil ao vivo

Leonardo Kuhn faz lives há 1 ano na plataforma Twitch, jogando na internet com a finalidade de arrecadar dinheiro para o tratamento do irmão...

Pequena índia esbanja fofura ao mostrar com orgulho a cultura do seu povo (MS)

Joelaine da Silva Cotócio, de 3 anos, é dona de uma simpatia maior que ela. A pequena índia mostra pra todo mundo, como tem...

Para celebrar 60 anos de união, casal faz ensaio fotográfico com a mesma roupa do casamento

Marvin e Lucille Stone entende muito bem sobre amor e união. Eles acabaram de completar 60 anos juntos e, para comemorar a data, resolveram...

Instagram

Cego desde os 6 anos, homem reflete sobre a falta de acessibilidade no Brasil 1