Após agressão à moradora de rua por segurança do Pão de Açúcar, empresa oferece emprego a Lorena


Lorena Pão de Açúcar
PUBLICIDADE ANUNCIE

Caso de agressão à Lorena da Paulista, como é conhecida nas ruas de São Paulo, por segurança do Pão de Açúcar, repercutiu nas redes sociais.  Supermercado procurou a moradora de rua nesta última segunda-feira (13/05) oferecendo ajuda e emprego.

Vocês lembram da história da Lorena, moradora de rua de São Paulo? Recentemente publicamos no Instagram um lindo vídeo feito pelo digital influencer Lucas Albert, no qual ela aparece relatando quem era a ‘famosa’ Lorena da Paulista. “A Lorena é aquela pessoa que chega nas pessoas sorrindo para não chorar. Mas também é aquela que tem medo de chegar nas pessoas para não ser menosprezada porque o preconceito dói”, afirma emocionada em um trecho do vídeo.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar) on

Entenda como a agressão ocorreu

Infelizmente, na tarde deste último sábado (11 de maio), a moradora de rua foi covardemente agredida por um segurança do supermercado Pão de Açúcar. O caso ocorreu em frente à loja da avenida Consolação, mas segundo a assessoria do grupo, em resposta ao Razões, o segurança trabalhava em outra unidade, na avenida Angélica. De acordo com uma das testemunhas, que trabalha próximo ao estabelecimento, a turismóloga Gabriely Silvério, Lorena foi agredida até desmaiar. “Estava trabalhando quando uma colega de trabalho chegou muito assustada relatando que estava na frente do mercado e que simplesmente do nada o segurança saiu de lá e começou a espancar a Lorena” conta.

Leia também: Extra e Pão de Açúcar trocam bandejas de isopor por material biodegradável

Gabriely relatou ainda ao Razões que um parceiro do trabalho dela, que também presenciou a agressão, tentou impedir o segurança, mas ele era muito forte e grande. “A Lorena ficou desmaiada e quando ela acordou, correu desesperada, deixando até seus pertences lá na frente do Pão de Açúcar. Nisso eu perguntei pra minha colega se tinha sangue ou alguma prova da agressão lá na frente e ela disse que sim, então eu corri tirar fotos. Quando de repente, encontrei a Lorena e gravei o primeiro vídeo”, afirma.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by LUCAS ALBERT (@eulucasalbert) on

O Pão de Açúcar se posicionou nas redes sociais. De acordo com as respostas que a empresa deu aos internautas e ao Razões, já foi solicitado o afastamento imediato do segurança:

PUBLICIDADE ANUNCIE

A rede esclarece que foi informada na tarde de sábado (11) sobre uma ocorrência do lado de fora da unidade da Av. Consolação envolvendo dois clientes. Após apuração do caso, identificou-se que um dos clientes era a Lorena  e o outro, um prestador de serviços que trabalha na unidade da Angélica e se encontrava, portanto, fora de serviço naquele momento. Diante da situação, a rede acionou a empresa e solicitou o afastamento imediato do prestador, o que foi feito no mesmo dia, já que não compactua com qualquer ato de violência e intolerância e zela pelo respeito e à diversidade. A loja permanece à disposição das autoridades para contribuir com o que mais for necessário.

print Pão de Açúcar
Print das respostas nas redes sociais do grupo Pão de Açúcar

Pão de Açúcar procura Lorena e oferece emprego

Na tarde desta segunda-feira, dia 13 de maio, Gabriely encontrou novamente Lorena. Ela aproveitou para dar um abraço e mostrar para o público como ela estava.

No vídeo, Lorena conta que apesar das dores e da tristeza pelo que aconteceu, estava bem e melhor. Ela também conta que foi surpreendida pela equipe do Pão de Açúcar que ofereceu um emprego e pretendem ajudá-la com uma casa. “É disso que eu preciso, de emprego, quero sair da rua.  Me ajudem a sair da rua”, relata no vídeo.

O arquiteto Diogo Oliveira (que já falamos aqui) também fez recentemente uma live no Instagram com a Lorena. No vídeo, ela relata a felicidade de conseguir um emprego e como a repercussão do caso de agressão fez com que fosse vista e reconhecida pelo grupo Pão de Açúcar. “Eu nunca vou esquecer o que vocês estão fazendo por mim. Eram 10h30 da manhã quando fui acordada pela assessora, gerente e subgerente do Pão de Açúcar. Me deram roupas, comida e banho e depois a maravilhosa notícia do emprego”, disse.

Segundo Gabriely, Lorena precisa regularizar seus documentos para iniciar neste emprego, mas também precisa de auxílio para conseguir deixar as ruas de São Paulo. “Sair das ruas não é fácil, a realidade deles é totalmente distante do que pensamos, há muitas questões que precisam ser avaliadas: a questão da liberdade que se tem quando você mora na rua, os amigos que fazem parte da sua vida ali, a dependência química que afeta muitos deles, entre outras coisas. Então precisa ser feito um trabalho muito cuidadoso para uma pessoa conseguir sair”, informa.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar) on

O Razões entrou em contato com a assessoria do grupo Pão de Açúcar. Questionamos se a empresa tem ciência de que, além de um emprego, Lorena precisaria de um tratamento por conta da sua dependência química. Em resposta, o grupo afirmou que “em conversa com a Lorena esta semana, ficou combinado que ela iria, primeiramente, retirar seus documentos, como RG e CPF. Após isso, nos procuraria novamente para entendermos conjuntamente como poderia se dar seu processo de recolocação profissional, seja em nossas lojas ou negócios da rede, ou em outra empresa, dependendo dos seus interesses profissionais”.

Perguntamos também se a empresa está tomando providências em relação a postura dos funcionários e terceirizados com à adversidade, para que atitudes, como esta que aconteceu com a Lorena, não se repitam. Confiram abaixo a resposta da empresa:

A respeito dos prestadores de serviço da companhia, o Pão de Açúcar tem normas e procedimentos definidos para a contratação e acompanhamento dos trabalhos realizados por aqueles que atuam nas suas lojas. Esses procedimentos incluem, entre outras determinações, diretrizes sobre proibição de uso de violência (física ou verbal) nas abordagens realizadas em loja, cumprimento irrestrito das normas legais, aptidão do profissional para enfrentamento de situações dentro das lojas, inclusive, de postura, verbalização, respeito entre outros. Os contratos de prestação de serviços e os procedimentos internos refletem explicitamente esses aspectos.

Além de disponibilizar a documentação com tais normas e procedimentos, e exigir seu cumprimento, a empresa também determina, de seus prestadores, que se cumpra não só o que determina a legislação vigente, mas que sejam realizados treinamentos adicionais, de acordo com as especificidades dos negócios. Estamos em constante otimização e revisões e com novos treinamentos que incluirão, este ano, um módulo específico sobre Diversidade, reforçando as diretrizes e valores do Pão de Açúcar sobre o assunto – a promoção da diversidade é dos temas mais relevantes da cultura da companhia, que tem o cliente como foco e entende a importância do seu quadro de colaboradores refletir e respeitar a pluralidade dos indivíduos da nossa sociedade. Ao longo dos últimos anos, elegemos cinco temas prioritários para o fortalecimento de políticas e processos para garantir os direitos, o respeito, a valorização e a equidade de todos: inclusão e desenvolvimento de pessoas com deficiência; diversidade etária; equidade de gêneros; equidade racial; e respeito aos direitos LGBTI+. A rede também é signatária de princípios e pactos como a Coalização Empresarial pele Equidade Racial e de Gênero; Fórum de empresas e Direitos LGBT; Pacto pela Inclusão de Pessoas com Deficiência; e Princípios de Empoderamento da Mulheres da ONU. Além disso, desde agosto de 2018, tem, além dos grupos da afinidade de equidade de gêneros e racial, o Grupo de Afinidade LGBTQIA+ formado por colaboradores e colaboradoras para evolução das políticas de diversidade da rede“.

Estaremos acompanhando todo o desenrolar dessa história Pão de Açúcar! ok?

Crédito de fotos: Arquivo pessoal Gabriely Silvério,

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

conteudo exclusivo

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar