Chicago, terceira maior cidade dos EUA, elege sua primeira prefeita negra e lésbica


Chicago, terceira maior cidade dos EUA, elege sua primeira prefeita negra e lésbica
PUBLICIDADE ANUNCIE

Aos 56 anos, a ex-promotora federal Lori Lightfood foi eleita com 371 mil votos (73,7%), a nova prefeita de Chicago, a terceira maior cidade dos Estados Unidos, com 2,7 milhões de habitantes. Sua posse acontecerá no dia 20 de maio.

A eleição de Lori é duplamente histórica: ela é a primeira mulher negra e lésbica a chefiar o executivo de Chicago. Além do mais, a cidade não tinha um prefeito eleito do sexo feminino desde 1983, com a vitória de Jane Byrne, primeira e única mulher até então a conseguir tal feito.

Chicago passa a ser agora a maior cidade já governada na história por um prefeito abertamente LGBTQ.

Membro do Partido Democrata, a ex-promotora federal nunca ocupou um cargo eletivo, tampouco político. Talvez por isso mesmo – vir de fora das entranhas da política, – tenha atraído tantos eleitores para a sua órbita. Ela venceu Toni Preckwinkle, também uma mulher negra, encarregada do condado de Cook, que teve 26% dos votos (132 mil votos).

Apesar de um terço da sua população ser negra, Chicago só elegeu um prefeito negro e uma mulher prefeita nos últimos 180 anos. A eleição marca um período de transição das grandes cidades norte-americanas para o progressismo, uma vez que sete mulheres negras atualmente são prefeitas de cidades-chave como Atlanta e Nova Orleans.

A campanha de Lori foi marcada por críticas ao velho sistema e à corrupção sistêmica que atrasa a cidade. Dentre suas promessas de campanha está uma maior assistência a pessoas de baixa renda e da classe trabalhadora, que foram “deixadas para trás e ignoradas pela classe política dominante da cidade,” em suas palavras.

“Enfrentamos interesses poderosos. Hoje vocês conseguiram mais do que fazer história, criaram um movimento para a mudança”, disse a nova prefeitura em seu discurso da vitória, acompanhada por sua esposa e filha.

Chicago, terceira maior cidade dos EUA, elege sua primeira prefeita negra e lésbica
Lori Lightfoot beija sua mulher, Amy Eshleman, após discurso da vitória por ter sido eleita prefeita de Chicago. Foto: Kamil Krzaczynski / DiePresse.com

Inspirada, ela afirmou que os cidadãos de Chicago verão uma “cidade renascida”, onde a etnia e quem amamos pouco importam.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Leia tambémFábrica da Electrolux em São Carlos reduz em 99% o envio de resíduos orgânicos para aterro

“Juntos nós podemos e faremos de Chicago um lugar onde o seu código postal não determina o seu destino. Nós podemos e vamos quebrar o interminável ciclo de corrupção desta cidade e nunca mais permitir que os políticos lucrem com seus cargos”, afirmou.

A adversária de Lori, Toni Preckwinkle, ligou para parabenizar a vitória da rival.

“Embora eu possa estar desapontada, não desanimo. Por um lado, esta é claramente uma noite histórica. Não muito tempo atrás, duas mulheres afro-americanas competindo por esse cargo teria sido impensável”, disse Preckwinkle, que atuou por 19 anos no conselho municipal.

Leia tambémElectrolux cria curso profissionalizante e traz consciência para o desperdício de alimentos

A marca Opaloka é parceria do Razões e apoia a causa LGBT, clique aqui e siga o perfil.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: G1

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar