Torcida do Corinthians faz campanha contra gritos homofóbicos na final do Paulista


Corintianos fazem campanha contra gritos homofóbicos no Paulista
PUBLICIDADE ANUNCIE

A grande final do Campeonato Paulista ocorreu neste último domingo (21), no estádio Itaquerão, sagrando o Corinthians, campeão paulista pela 30ª vez – terceira vez consecutiva.

No que depender de uma parte da torcida do Timão, as manifestações homofóbicas, típicas durante partidas de futebol masculino, ficaram de fora da final.

Um grupo de corintianos se uniu em uma campanha contra os gritos de “bicha”, “viado” e outros termos pejorativos que geralmente são ditos nas cobranças de tiros de meta por torcedores pouco instruídos.

Na primeira final do Estadual, foi possível ouvir parte da torcida são-paulina se manifestando de tal forma contra o goleiro alvinegro.

Os torcedores que lideraram a campanha fazem parte do grupo Coletivo Democracia Corinthiana. Diversos posts publicados nas redes sociais lembram que há torcedores LGBTQ nas arquibancadas torcendo pelo time, e que tais pessoas merecem respeito como qualquer outro torcedor do time.

Leia tambémEm campeonato de futebol para homens gays, equipe afeminada ganha primeira edição

“Time do povo, de todos e de todas. Temos LGBTs nas arquibancadas Corinthianas. Não grite bicha, grite Corinthians. Homofobia não é piada”, disse uma imagem divulgada pelo grupo, que assiste aos jogos no setor sul da Arena Corinthians.

Corintianos fazem campanha contra gritos homofóbicos no Paulista
Campanha de torcedores pede que gritos homofóbicos fiquem fora da decisão do Paulista. Imagem: Reprodução

Gaviões da Fiel, maior torcida organizada do Corinthians, também pede respeito aos seus sócios, solicitando que estes não se manifestam grosseiramente, seja nos tiros de meta, seja ao longo da partida.

Em 2016, a Gaviões divulgou uma nota para os seus torcedores do setor norte da Arena: “Nossa torcida vem se adaptando à nossa nova casa e uma nova forma adotada nos setores Leste, Oeste e Sul de “secar” o adversário nas cobranças de tiro de meta do goleiro adversário em todos os jogos é gritando “bicha”. Isso começou em um jogo da Libertadores em 2012, contra o Cruz Azul, do México, em alusão ao que eles fazem lá contra os visitantes, e depois adaptado contra o São Paulo. Agora tornou-se algo incessante. Pois bem, queremos acabar com isso”, dizia trecho da nota.

PUBLICIDADE ANUNCIE

De acordo com um sócio da GdF, “existe uma regra” entre eles durante os jogos do Corinthians na Arena. A ideia é que somente gritos de incentivo ao time sejam repetidos.

Corintianos fazem campanha contra gritos homofóbicos no Paulista
Corintianos cantam durante clássico contra o Palmeiras em Itaquera. Foto: Daniel Vorley / AGIF

O próprio Corinthians iniciou uma campanha de conscientização por meio de um manifesto contra a homofobia na Arena de Itaquera.

“Pelo fim do grito de ‘bicha’ no tiro de meta do goleiro adversário. Porque a homofobia, além de ir contra o princípio de igualdade que está no DNA dos corintianos, ainda pode prejudicar o Timão”, dizia o manifesto em setembro de 2014.

Leia tambémEm SP, gays criam time de futebol e confrontam exclusão no esporte

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: UOL Esporte

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar