Escolas em todo mundo estão cancelando o evento do Dia das Mães após incidentes traumáticos


incidentes traumáticos
PUBLICIDADE ANUNCIE

Uma vez publicamos aqui no Razões sobre um bilhete de escola destinado apenas às mães e que teve uma resposta de uma mãe pedindo para endereçar também aos cuidadores, pois as mães não são exclusivamente as que cuidam das crianças – relembre aqui.

Esse tema é extremamente relevante, principalmente em um momento que tanto se fala em participação de todos na criação das crianças.

Recentemente, a equipe da Escola Primária Albert McMahon, em Colúmbia Britânica no Canadá, enviou uma carta aos pais de seus alunos, indicando o cancelamento de eventos relacionados aos feriados. A carta diz:

“Em um esforço para celebrar a diversidade, inclusão e também nutrir nossos alunos que fazem parte de famílias não-tradicionais, temos decidido incentivar as celebrações em casa. Devido a isso, as crianças não vão fazer presentes na escola para dar no Dia das Mães e Dia dos Pais. Nós sentimos que cada família sabe a melhor maneira de comemorar.”

O diretor da escola, Angus Wilson, confirmou que a carta foi enviada aos pais, mas ele ressaltou que o cancelamento veio com uma razão válida. “O raciocínio não era acabar ou algum plano político”, disse Wilson. “Em vez disso, houve um recente trauma envolvendo um aluno e seus pais. Como resultado, as salas de aula estão optando por não celebrar”, acrescentou Wilson.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Escolas em todo o mundo estão cancelando os eventos dos Dias das Mães e dos Pais em um esforço para celebrar a diversidade e inclusão após incidentes traumáticos envolvendo seus alunos. Uma escola primária na Austrália, por exemplo, se recusou a comemorar o “Dia das Mães” em um esforço para ser “inclusiva”. A Moonee Ponds West Primary School, em Melbourne, deixou os pais bastante chocados, quando anunciou em um boletim informativo da escola que “não iria celebrar o Dia das Mães” em 2017. “Este ano não estaremos realizando uma parada para o Dia das Mães em Moonee Ponds West”, disse o diretor Jeff Lyon. “Acredito que celebrar o Dia Internacional das Famílias é uma forma mais inclusiva de celebrar a riqueza, diversidade e complexidade de viver e amar como uma família no mundo moderno”.

Segundo o site Contratando Professores, escolas nos EUA também estão se adaptando às famílias em mudança. Hoje, mais da metade de todas as crianças americanas não vivem nas chamadas famílias nucleares de dois pais tradicionais, quase 500 mil crianças americanas vivem em um lar de acolhimento a qualquer momento e aproximadamente um milhão de crianças vivem com pais adotivos. Estimativas de crianças de pais gays, lésbicas e bissexuais nos EUA variam de 6 a 10 milhões de acordo com COLAGE (Crianças de Lésbicas e Gays Everywhere). Alguns especialistas acreditam que para essas crianças, acabar com as celebrações do Dia da Mães e do Pais na escola pode ser um passo na direção certa.

No Brasil também já vem acontecendo esse tipo de situação, onde para evitar situações tristes ou constrangedoras, muitas escolas substituem o Dia das Mães e dos Pais pelo Dia da Família. Trazer a família para a escola nessa data é também uma forma de fazer uma reflexão sobre essas mudanças. Assim podemos dizer que muitas escolas já começaram a mudança, mas não todas. No entanto, já existe o consenso que o dia deve destacar a importância de todos os “pais” e cuidadores da criança.

via

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar