Ex-prefeito e vereador reeleito analfabeto aplicou 37% do orçamento na educação

Ele conta que na infância não podia estudar porque o pai precisava dos filhos trabalhando na roça.


PUBLICIDADE ANUNCIE

Eleito para o seu segundo mandato de vereador em Quixaba, cidade do sertão pernambucano, Antônio Ramos da Silva não esconde que é analfabeto.

Pela lei, os analfabetos não põem ser reeleitos. Silva só conseguiu se reeleger porque é capaz de copiar palavras e assinar o nome, o que para a Justiça Eleitoral já basta.

Ele conta que na infância não podia estudar porque o pai precisava dos filhos trabalhando na roça. Mas ele compensa a falta de estudo com algo que a maioria dos políticos não têm: honestidade.

Silva não mede as palavras e afirma: “Tem muito doutor por aí que não tem nem a metade da minha honestidade”.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Apesar do analfabetismo, e graças à sua honestidade, ele vai para o seu segundo mandato de vereador na cidade de 7 mil habitantes. Uma equipe de assessores o ajuda na leitura de documentos.

Silva não começou na política “ontem”. Em 1992, ele foi eleito prefeito. Até então, as escolas da cidade não tinham o mínimo de estrutura e os professores não eram diplomados. Ele tomou a decisão certa: aplicou 37% do orçamento municipal na educação, acima o piso constitucional de 25%.

“Fiz tanto pela educação porque sempre senti na pele o quanto ela faz falta”, afirmou.

Com informações do Paraíba Online / Foto: Agência Senado

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar