fbpx

Juiz abre mão de aumento salarial ‘até que se estabilize a situação econômica do nosso país’


PUBLICIDADE ANUNCIE

Ganhar um aumento no salário é motivo de muita alegria, não é mesmo? Não, pelo menos para o juiz Luiz Guilherme Marques, titular da 2ª Vara Cível de Juiz de Fora, Minas Gerais.

Na última quinta-feira (2), o Congresso Nacional aprovou um aumento salarial para os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), mas como a Constituição Federal vincula o vencimento dos magistrados ao que é pago em Brasília, juízes federais, estaduais e desembargadores também serão beneficiados.

O aumento será concedido em duas parcelas – este mês e em janeiro. Os valores vão variar entre R$ 30.404,47 e R$ 33.689,15. Porém, o juiz Luiz Guilherme Marques abriu mão do novo contracheque no documento que viralizou na web esta semana “por convicção pessoal”.

PUBLICIDADE ANUNCIE

13390839_1114393975265331_520093647_n

“Eu, Luiz Guilherme Marques, Juiz de Direito da 2ª Vara Cívil de Juiz de Fora, requeiro que a remuneração concedida aos magistrados não seja creditada mensalmente na minha conta bancária, por convicção pessoal, até que se estabilize a situação econômica do nosso país”, diz o documento.

Com informações do Estado de Minas

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar