Cientista brasileira que pesquisa doenças negligenciadas pela indústria farmacêutica é premiada

Que orgulho desta notícia! Rafaela Salgado Ferreira é uma cientista brasileira de 35 anos, que decidiu investir sua carreira para mudar a realidade das populações carentes. Ela, que dirige o laboratório de modelização molecular e de concepção de medicamentos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem focado suas pesquisas em encontrar tratamentos mais eficientes para a doença de Chagas e a Zika, que afetam as áreas mais pobres do planeta e que por isso, não interessam às grandes indústrias farmacêuticas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Relacionado: Brasileiro descobre remédio de baixo custo para curar Zika e evitar transmissão

Estas doenças estão na lista das “doenças tropicais negligenciadas” da Organização Mundial da Saúde (OMS), que inclui a dengue, a esquistossomose, a hanseníase e outros males que matam mais de 500 mil pessoas por ano no mundo.

Rafaela Salgado Ferreira é uma cientista brasileira

Infelizmente, faltam recursos para pesquisas deste porte no Brasil, por isso Rafaela diz que foca seus experimentos no computador, reduzindo consideravelmente a quantidade de experimentos, barateando a pesquisa: “Consigo, dessa forma, reduzir o número de experimentos, o que torna (a pesquisa) muito mais barata”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sua pesquisa é tão importante, que recentemente foi reconhecida, em Paris, onde ganhou o prêmio Rising Talents (“talentos promissores”, em tradução livre) concedido pela Fundação L’Oréal em parceria com a Unesco, agência da ONU para educação, ciência e cultura. A premiação recompensa as 15 melhores jovens cientistas do mundo, ofereceu 15 mil euros para o desenvolvimento da pesquisa de Rafaela, que poderá avançar muito depois deste investimento.

Quando questionada sobre o que inspira sua pesquisa, Rafaela é direta: “Todos deveriam ter direito a receber tratamento para qualquer doença. É importante termos tratamentos para doenças negligenciadas que funcionem melhor e sejam mais seguros. A indústria farmacêutica tem a estratégia de desenvolver tratamentos para populações mais ricas e que devem ser tomados a longo prazo.”

Rafaela Salgado Ferreira é uma cientista brasileira e ganhou prêmio

Fonte: BBC

Imagens: Divulgação

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM





Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,268,037SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Netshoes envia crocs com um pé de cada tamanho para mulher com limitação física

A dona Denise, 59 anos, tem um pé maior do que o outro e uma paixão: sandálias crocs!

Motorista desempregado distribui currículo no semáforo e recebe 40 propostas de trabalho

O motorista Flávio Leonardo, 34 anos, se inspirou nos ambulantes que vendem produtos no semáforo, em Brasília, para entregar o seu currículo. Rapidamente, o motorista...

Jovem aprende a costurar e faz vestido de formatura da amiga

Um jovem norte-americano decidiu aprender a costurar para fazer o vestido de formatura da melhor amiga, que não tinha condições de pagar por um,...

Médico negro atende mulher negra e reafirma a importância da representatividade

"Obrigado por me dar a honra de presenciar esse momento da sua vida, Dona Eunice."

Aos 9 anos de idade, menina ensinou vendedor de picolé a ler e escrever

Olha que história incrível, gente! O seu Zezinho, um vendedor de picolé de 68 anos, não sabia ler e nem escrever. Até que um...

Instagram