Cientista brasileira que pesquisa doenças negligenciadas pela indústria farmacêutica é premiada

Que orgulho desta notícia! Rafaela Salgado Ferreira é uma cientista brasileira de 35 anos, que decidiu investir sua carreira para mudar a realidade das populações carentes. Ela, que dirige o laboratório de modelização molecular e de concepção de medicamentos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem focado suas pesquisas em encontrar tratamentos mais eficientes para a doença de Chagas e a Zika, que afetam as áreas mais pobres do planeta e que por isso, não interessam às grandes indústrias farmacêuticas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Relacionado: Brasileiro descobre remédio de baixo custo para curar Zika e evitar transmissão

Estas doenças estão na lista das “doenças tropicais negligenciadas” da Organização Mundial da Saúde (OMS), que inclui a dengue, a esquistossomose, a hanseníase e outros males que matam mais de 500 mil pessoas por ano no mundo.

Rafaela Salgado Ferreira é uma cientista brasileira

Infelizmente, faltam recursos para pesquisas deste porte no Brasil, por isso Rafaela diz que foca seus experimentos no computador, reduzindo consideravelmente a quantidade de experimentos, barateando a pesquisa: “Consigo, dessa forma, reduzir o número de experimentos, o que torna (a pesquisa) muito mais barata”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sua pesquisa é tão importante, que recentemente foi reconhecida, em Paris, onde ganhou o prêmio Rising Talents (“talentos promissores”, em tradução livre) concedido pela Fundação L’Oréal em parceria com a Unesco, agência da ONU para educação, ciência e cultura. A premiação recompensa as 15 melhores jovens cientistas do mundo, ofereceu 15 mil euros para o desenvolvimento da pesquisa de Rafaela, que poderá avançar muito depois deste investimento.

Quando questionada sobre o que inspira sua pesquisa, Rafaela é direta: “Todos deveriam ter direito a receber tratamento para qualquer doença. É importante termos tratamentos para doenças negligenciadas que funcionem melhor e sejam mais seguros. A indústria farmacêutica tem a estratégia de desenvolver tratamentos para populações mais ricas e que devem ser tomados a longo prazo.”

Rafaela Salgado Ferreira é uma cientista brasileira e ganhou prêmio

Fonte: BBC

Imagens: Divulgação

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

Relacionados

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

995,574FãsCurtir
1,911,213SeguidoresSeguir
9,323SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Idosa de 87 anos confecciona máscaras de proteção para distribuir gratuitamente no MA

Sem conseguir encontrar máscaras de proteção, a professora, bióloga e engenheira civil Renatha Costa uniu forças com sua avó, dona Bernarda, 87 anos, para...

Magazine Luiza doa 1.000 colchões e travesseiros para moradores de rua em Belém (PA)

Desde o último sábado (21), o Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, passou a receber centenas de pessoas em situação de rua da Região Metropolitana...

Após ver família comendo restos do lixo, homem abre restaurante para servir pessoas carentes

O dono de um restaurante em Vila Velha (ES) abriu seu estabelecimento para atender gratuitamente pessoas em situação de rua durante a pandemia de...

Angelina Jolie doa R$ 5 milhões para manter merenda de alunos durante quarentena

A atriz Angelina Jolie, 44 anos, doou US$ 1 milhão (R$ 5,2 milhões) para manter a distribuição de merendas escolares para crianças de baixa...

Coronavírus ‘sela paz’ entre palestinos e israelenses: saúde é prioridade máxima!

Há anos o mundo não via um encontro pacífico entre palestinos e israelenses. A Autoridade Palestina e Israel sentaram na mesma mesa para firmar...

Instagram