Cientistas brasileiros reduzem diagnóstico de coronavírus de 48 para 3 horas

Um grupo de pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA) descobriu uma maneira mais rápida e eficaz de diagnosticar o coronavírus, que já infectou 40 mil pessoas e matou 900 ao redor do mundo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com o auxílio de um equipamento chamado Real Time, foi possível identificar – ou descartar a presença do vírus – em apenas 3 horas, bem menos do que as 48 horas necessárias anteriormente.

“Estamos felizes com o resultado, torna tudo mais rápido”, disse o virologista Gúbio Soares, coordenador do grupo de pesquisa.

Importado dos Estados Unidos em dezembro do ano passado, o equipamento custa cerca de R$ 150 mil e equipa o Laboratório de Virologia da UFBA. Ele é capaz de verificar se o material genético (RNA) da secreção respiratória contém o gene do coronavírus.

Como até o momento não houve casos desse tipo de infecção no Brasil, Gúbio afirma que o material que compõe o código genético do coronavírus (nucleotídeos) foi preparado para reconhecer regiões genéticas dele.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Se o resultado do exame der positivo, é possível visualizar pelo Real Time um gráfico ondulado nas amostras.

Foto: Pixabay

 

Diagnóstico em 3 horas

O diagnóstico é feito em três etapas: de início, as secreções respiratórias são retiradas de um paciente suspeito e resfriadas a 4°C. Em seguida, os pesquisadores extraem o material genético da secreção e adicionam, sobre ele, os nucleotídeos que identificam a presença ou não do coronavírus. Três horas depois, o teste fica pronto.

Há quase cinco anos, o mesmo equipamento, sob o comando das pesquisadoras brasileiras Silvia Sardi e Rejane Hughes, foi pioneiro na descoberta do zika vírus, cujo primeiro diagnóstico comprovado foi divulgado pelo laboratório em 28 de abril de 2015.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

As pesquisadoras utilizam trabalhos científicos elaborados na China para orientar as análises. O diferencial aqui é que elas decidiram usar o equipamento apenas para verificar o material genético do coronavírus, ganhando tempo no diagnóstico.

“Nosso objetivo é processar diretamente coronavírus, com maior rapidez. Não vamos perder tempo com outros vírus”, indicou Soares.

“Acho importante que se diga que não é uma doença tão letal, nem tão grave. Não é para ficar aflito com carnaval, nem nada”, ponderou a pesquisadora.

[Nota da Redação]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A cada bebê que traz ao mundo, o médico Calixto Hueb presenteia a mãe com uma arvorezinha para que a criança cresça com ela. É um primeiro presente à família do recém-nascido e também uma contribuição valiosa do médico para a preservação do meio ambiente. Vem conhecer mais essa história, dá play no vídeo abaixo:

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Estadão

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,258,127SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Projeto transforma banners de internet em spots de rádio para pessoas cegas

Para navegar na internet, pessoas com deficiência visual utilizam o leitor de tela. Esse recurso lê cada item das páginas para o usuário. Mas infelizmente...

Catadores de recicláveis ganham biblioteca infantil em Itaguaí (RJ)

Catadores de material reciclável de Itaguaí ganharam uma biblioteca comunitária que vai atender crianças de 4 a 10 anos.

Cantor transforma visual de graça de sem-teto após ele pedir lâmina para se barbear

Quem encontrar hoje o João Coelho, de 45 anos, pelas ruas de Goiânia, nem imagina toda dificuldade que ele passa como uma pessoa em...

Menina Down constrói carreira de sucesso como modelo

Grace Isabella Wharton assinou contrato com uma agência no ano passado e já fez trabalhos para a Disney.

Elefanta leva filhote recém-nascido para conhecer pessoas que salvaram sua vida

Muito grata pelo carinho e acolhimento recebido no santuário, Yatta de vez em quando sai do coração da floresta e visita o santuário e seus salvadores.

Instagram