Cientistas descobrem células que causam leucemia e possibilitam tratar a doença antes que se manifeste

Mais um avanço surpreendente da ciência: um estudo do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), em Portugal, identificou células que estão na origem do desenvolvimento de um tipo de leucemia rara e agressiva.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A pesquisa sobre o processo de diferenciação dos Linfócitos T durou cinco anos e os resultados foram divulgados na última quarta-feira (14).

Nele, os cientistas buscaram entender de que maneira uma célula responsável pela defesa do organismo, ao longo do seu processo de desenvolvimento, “decide ir para um caminho alternativo, que neste caso é a leucemia, esta em particular muito agressiva, por ser aguda”.

pesquisadora estudo detectou células origem leucemia rara
Pesquisadora Vera Martins. Foto: SR Sandra Ribeiro Profile Portrait

A líder do estudo, Vera Martins, detalha que foram encontradas “células muito imaturas, que são capazes de se autorrenovar em vez de serem substituídas constantemente, que é o processo normal na base do desenvolvimento dos linfócitos T”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Aquilo que detectamos é que estas células são as que estão na base do aparecimento das células progenitoras das leucemias. Vimos uma emergência de células anormais, que estarão na base e na origem da leucemia muito antes de ela se manifestar”, destaca.

Testes feitos com camundongos demonstraram que tais “células raras” foram detectadas quando o animal tinha “uma fisiologia perfeitamente normal”.

Tratamentos menos agressivos e mais específicos

“Se nós conseguimos identificar as causas em termos de biologia que estão por trás destas leucemias, conseguimos trabalhar ou ver utilizado este conhecimento para desenvolver terapias mais específicas, que não causem tantos danos a quem desenvolve a doença“, destaca Martins.

A próxima etapa da pesquisa é identificar quais as moléculas envolvidas no processo de leucemia em si. “Depois esse conhecimento poderá ser utilizado por outras equipes, de outras valências, que estarão na base do desenvolvimento de novas terapêuticas”, concluiu.

Fonte: JN DIRETO

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


Quer mais uma história inspiradora? 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

40 mil toneladas de meias velhas são transformadas em 40 mil cobertores para desabrigados

Com a chegada do inverno, cerca de 100 mil pessoas em situação de rua espalhadas pelo Brasil precisam lidar com o frio crescente -...

[VÍDEO] Mulher surpreende namorado ao dar tênis com pintura de seu cachorro que faleceu

A pintora de sapatos Dagmara Cielecka, de Nottingham Reino Unido, publicou uma linda história que viralizou no Facebook. O post fala que uma das clientes...

2020 foi um ano difícil, por isso ilustrei 35 das melhores notícias do ano pra lembrar que existem razões para acreditar

É minha gente, não foi um ano fácil, né? Mas, apesar de tudo que passamos, também tivemos muitas coisas boas. Sabe aqueles pequenos gestos...

Instituto BRF completa 10 anos de atuação com mais de meio milhão de pessoas impactadas

Um legado de histórias que alimentam transformações! Em 2022, o Instituto BRF comemora 10 anos de atuação com mais de meio milhão de pessoas...

Tatuadora brasileira transforma cicatrizes e traumas físicos de mulheres em arte

A tatuadora Karlla Mendes tem usado seu dom de tatuar para transformar cicatrizes, queimaduras e outros traumas físicos de mulheres em arte. Até aqui, o...

Instagram

Cientistas descobrem células que causam leucemia e possibilitam tratar a doença antes que se manifeste 1