Pesquisadores criam sandálias biodegradáveis ​​feitas de algas que se decompõem em 16 semanas

Um dos maiores desafios ambientais do século é encontrar soluções sustentáveis ao plástico, que está aniquilando a vida marinha. E foi pensando nisso que um grupo de cientistas desenvolveu uma inovadora sandália bidegradável feita de algas. À primeira vista, elas até podem parecer “simples sandálias”, mas, na verdade estão salvando o ecossistema marinho!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sandalias biodegradaveis de algas 1
Foto: divulgação UC San Diego

Não há dúvidas de que o chinelo é o calçado mais popular do mundo, usado por pessoas de todo o globo e de diferentes classes sociais. No entanto, em tempos de mudanças climáticas é preciso começar a repensar o uso de objetos de plástico, um material que pode levar até 1000 anos para se decompor na natureza.

sandalias biodegradaveis de algas 2
Foto: divulgação UC San Diego

E pode até parecer exagero, mas pesquisas mostram que os famosos chinelos de dedo representam cerca de um quarto do lixo marinho. Foi pensando em criar uma alternativa sustentável para o calçado, que alguns pesquisadores da Califórnia lançaram a UC San Diego – marca inovadora de chinelos de dedo fabricados a partir de espuma de poliuretano feita de algas marinhas, que pode se decompor no meio ambiente em até 16 semanas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sandalias biodegradaveis de algas 3
Foto: divulgação UC San Diego

Em parceria com a startup Algenesis Materials, toda a ideologia da marca gira em torno de uma ideologia: substituir o petróleo pelas algas. Genial, não é mesmo? Segundo Tom Cooke – presidente da Algenesis, as pessoas estão cada vez mais atentas ao que consomem: “As pessoas estão se aproximando da poluição do plástico do oceano e começando a exigir produtos que possam lidar com o que se tornou um desastre ambiental”, afirma.

sandalias biodegradaveis de algas 4
Foto: divulgação UC San Diego

Testes de eficácia

Logo após lançar o protótipo, os cientistas realizaram uma série de testes, onde enterraram os chinelos em solo normal para ver se eles eram mesmo totalmente biodegradáveis. E o resultado não poderia ser mais promissor: depois de 16 semanas, o produto havia sido biodegradado.

sandalias biodegradaveis de algas 5
Foto: divulgação UC San Diego

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas isto não é tudo! A equipe também descobriu que as bactérias e outros microrganismos que estavam trabalhando para quebrar o sapato estavam deixando as peças intactas de uma forma que permitia que fossem reutilizadas. Assim, o grupo pegou as enzimas dos organismos que degradam as espumas e passaram a usá-los para sintetizar novos monômeros de poliuretano.

“Nosso poliuretano pode ser usado para almofadas de espuma em cadeiras ou assentos de carro, acolchoamento em alças de bagagem, tapetes de ioga, isolamento de espuma e até pneus de carro”, explicou Mayfield.

 

Mais do que sandálias biodegradáveis, o produto criado por eles é reciclável e tem originado outros objetos, criando assim uma rede incrível de sustentabilidade, que protege o meio ambiente e mostra que podemos, sim, viver muito bem sem o plástico!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: Nation

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,265,903SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Estudantes fazem projeto para ensinar o uso consciente do dinheiro a jovens e adultos

“Eu não quero morar em outro país, quero morar em outro Brasil” esta foi uma das frases que mais me marcou nesta época tão...

Muralista Kobra transforma ônibus em galeria e faz exposição pela periferia de SP

Eduardo Kobra é reconhecido internacionalmente, já pintou murais em 40 países, e agora volta para o lugar onde tudo começou com uma exposição itinerante.

Mais de 500 pessoas se unem para doar plasma e salvar vida de gestante e seu bebê no Pará

A vinda de Saulo Gabriel ao mundo com saúde e a recuperação de sua mãe, a auxiliar administrativa Thaís Cristina, 35, só foram possíveis...

Com pai desempregado, aluna dá sua mesada ao professor

Aluna de uma escola primária de Veracruz, no México, a pequena Mayte escreveu uma carta para o seu professor dizendo que o pai estava...

Abrigo em Nova York oferece almoço para moradores de ruas e seus animais

Na cidade de Nova York, a Igreja Graffiti, no Lower East Side, abriu suas portas não só para sem-tetos, mas para seus animais também, lá,...

Instagram