Cientistas conseguem transformar sangue tipo A em doador universal

Em um feito inédito, um grupo de cientistas da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, conseguiram transformar sangue do tipo A em doador universal, isto é, qualquer indivíduo com qualquer outro tipo sanguíneo pode recebê-lo sem qualquer dano à saúde.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O tipo A é o segundo tipo sanguíneo mais comum do mundo e, assim sendo, os pesquisadores acreditam que a descoberta pode revolucionar as doações de sangue.

Definidos por moléculas de açúcar na superfície dos glóbulos vermelhos, os tipos gerais sanguíneos são divididos em quatro: A, B, AB ou O. Se um paciente com o tipo A recebe sangue do tipo B, ou vice-versa, as moléculas de açúcar (ou antígenos) podem fazer com que o sistema imunológico ataque e mate os glóbulos vermelhos.

As células do tipo O não possuem esses antígenos, o que torna possível a transfusão de sangue para qualquer outra pessoa – o que o torna “universal”.

Quando acidentes ou situações traumáticas acontecem, e há uma necessidade urgente da transfusão, nem sempre há tempo hábil para um médico ou enfermeiro checar o tipo sanguíneo do paciente. Logo, para acelerar o processo, é utilizado o tipo “O”, pois as chances de complicações clínicas posteriores são muito mais baixas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cientistas conseguem transformar sangue tipo A em doador universal

Por isso, há uma demanda tão grande desse sangue “universal” nos hospitais e clínicas mundo afora. Com a descoberta dos cientistas da Universidade da Colúmbia Britânica, a possibilidade de transformar sangue do tipo A em doador universal facilitará – e muito – a vida dos profissionais de sáude.

O método consiste na utilização de vias enzimáticas da bactéria Flavonifractor plautii, que vive no intestino humano. Com a extração em quantidade razoável delas, os pesquisadores isolaram genes que codificam duas enzimas bacterianas capazes de remover as propriedades do antígeno A.

Leia também: Cientistas anunciam exame de sangue que detecta melanoma

“Esta é a primeira vez [que a transformação é bem sucedida], e, se esses dados puderem ser replicados, certamente é um grande avanço”, disse Harvey Klein, especialista em transfusão de sangue que não esteve envolvido no trabalho à revista Science. Isso porque, com mais sangue “universal”, há mais possibilidades para quem precisa de transfusões.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cientistas conseguem transformar sangue tipo A em doador universal

Segundo o fisiologista Mohandas Narla, que trabalha no banco de sangue de Nova York, há uma escassez generalizada em todo o mundo: “As descobertas são muito promissoras em termos de utilidade prática”. No entanto, o profissional lembra que mais testes precisam ser realizados antes da disponibilização em massa do componente.

Leia também: Muçulmano quebra Ramadã para doar sangue e salvar a vida de homem hindu

Compartilhe o post com seus amigos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Canal Tech/Fotos: Reprodução/Nature Microbiology

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM






Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,970,136SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

‘Já para a cadeia’: senhora de 93 anos realiza desejo de ser ‘presa’

A polícia do Reino Unido prendeu uma senhora de 93 anos! Mas, calma, ela não cometeu nenhum delito: era um desejo dela ser presa,...

Casal adota bebê com microcefalia rejeitado duas vezes

Moisés foi abandonado numa caixa de sapato e, em seguida, rejeitado pela primeira família que o adotou.

Homem atravessa o mundo sozinho em veleiro para rever pais durante quarentena

Muitas famílias foram impedidas de se ver durante a quarentena, mas o marinheiro Juan Manuel Ballestero decidiu não fazer parte das estatísticas. Ele vive na...

Instagram