Array

Cientistas recriam uma “super-enzima”capaz de degradar plástico 6 vezes mais rápido

O problema de descarte do plástico na natureza tem gerado boas pesquisas e estudos, que buscam uma solução realmente efetiva para o caso. E dessa vez, a boa notícia veio da Universidade de Portsmouth, na Inglaterra, e do Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) do Departamento de Energia dos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Juntos, cientistas dessas duas instituições recriaram uma enzima que decompõe garrafas plásticas rapidamente. A super enzima é capaz de “quebrar” o plástico em temperatura ambiente. A primeira versão dela foi descoberta acidentalmente em 2018.

garrafa pet

Para os primeiros estudos, os cientistas usaram como base a bactéria Ideonella sakaiensis, descoberta em 2016 no Japão. Ela é capaz de digerir o material do qual são feitas garrafas de água e refrigerante, o tereftalato de polietileno (PET).

Já nos estudos atuais, os cientistas realizaram mais modificações, o que potencializou a capacidade de degradação da enzima, acelerando o processo em 20%.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A mais nova enzima “turbinada”, criada em laboratório, é resultado da ligação de duas enzimas da mesma bactéria. Ela pode degradar o plástico em apenas alguns dias – a taxa é seis vezes mais rápida do que a versão de 2018.

O próximo passo é descobrir se o processo pode ser ainda mais acelerado. Os cientistas também querem combinar a super enzima com enzimas degradantes do algodão para reciclar tecidos mistos.

John McGeehan, diretor do Centro de Inovação de Enzimas da Universidade de Portsmouth e líder do estudo, acredita que a cooperação entre pesquisadores e empresas pode ajudar a criar enzimas melhores e mais rápidas. A ideia é sair da academia e tornar o produto comercialmente viável.

(PET) é incrivelmente resistente à degradação. Há uma necessidade urgente de reduzir a quantidade de plástico que acaba em aterros sanitários e no meio ambiente. Acho que se pudermos adotar essas tecnologias, teremos uma solução potencial no futuro para fazer isso”, afirma o professor John .

John também disse que, com as parcerias certas, é possível que a super enzima seja fornecida ao mercado dentro de um ou dois anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

FONTE: CicloVivo

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,429,587SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Adotar é tudo de bom!

Está afim de ter um animalzinho? Já pensou em adotar? Essa é uma ótima opção pois, além de você levar um peludo pra casa,...

Garotinho ajuda o pai na técnica do canguru com seus irmãos gêmeos recém-nascidos

Conhecida como “método mãe canguru”, essa forma de embalar o recém-nascido permite uma maior participação dos pais no cuidado dos filhotes que nasceram abaixo...

Ex-morador de rua conquista internet com dicas e tutoriais de maquiagem

Anderson Correa, 26 anos, viveu nas ruas de Americana (SP) por sete anos. Ele era conhecido por sempre estar com seus cachorros no centro...

Menino de 6 anos entra para o Guinness como o mais jovem programador do mundo

O indiano Arham Om Talsania, tem 6 anos e desde os 2 usa tablets. E essa familiaridade com a tecnologia o levou longe. Ele...

Protetor enfrenta preconceito para resgatar animais e prova que as aparências enganam (SP)

Desde os 15 anos o protetor dá assistência a cães de rua e de famílias carentes de Rio Claro (SP), levando ração e encaminhando o animalzinho para a castração.

Instagram