Array

Cientistas recriam uma “super-enzima”capaz de degradar plástico 6 vezes mais rápido

O problema de descarte do plástico na natureza tem gerado boas pesquisas e estudos, que buscam uma solução realmente efetiva para o caso. E dessa vez, a boa notícia veio da Universidade de Portsmouth, na Inglaterra, e do Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) do Departamento de Energia dos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Juntos, cientistas dessas duas instituições recriaram uma enzima que decompõe garrafas plásticas rapidamente. A super enzima é capaz de “quebrar” o plástico em temperatura ambiente. A primeira versão dela foi descoberta acidentalmente em 2018.

garrafa pet

Para os primeiros estudos, os cientistas usaram como base a bactéria Ideonella sakaiensis, descoberta em 2016 no Japão. Ela é capaz de digerir o material do qual são feitas garrafas de água e refrigerante, o tereftalato de polietileno (PET).

Já nos estudos atuais, os cientistas realizaram mais modificações, o que potencializou a capacidade de degradação da enzima, acelerando o processo em 20%.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A mais nova enzima “turbinada”, criada em laboratório, é resultado da ligação de duas enzimas da mesma bactéria. Ela pode degradar o plástico em apenas alguns dias – a taxa é seis vezes mais rápida do que a versão de 2018.

O próximo passo é descobrir se o processo pode ser ainda mais acelerado. Os cientistas também querem combinar a super enzima com enzimas degradantes do algodão para reciclar tecidos mistos.

John McGeehan, diretor do Centro de Inovação de Enzimas da Universidade de Portsmouth e líder do estudo, acredita que a cooperação entre pesquisadores e empresas pode ajudar a criar enzimas melhores e mais rápidas. A ideia é sair da academia e tornar o produto comercialmente viável.

(PET) é incrivelmente resistente à degradação. Há uma necessidade urgente de reduzir a quantidade de plástico que acaba em aterros sanitários e no meio ambiente. Acho que se pudermos adotar essas tecnologias, teremos uma solução potencial no futuro para fazer isso”, afirma o professor John .

John também disse que, com as parcerias certas, é possível que a super enzima seja fornecida ao mercado dentro de um ou dois anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

FONTE: CicloVivo

Quer ver a sua pauta aqui? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,067,715SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

32 fotos mágicas de crianças brincando pelo mundo

Não importa o seu contexto cultural ou situação econômica, as crianças vão sempre encontrar formas criativas de se divertir. A imaginação aflorada e momentos...

Cápsula para intolerantes à lactose de paranaense de 16 anos é selecionada para a Google Science Fair

Uma estudante do 2.º ano do Ensino Médio do Colégio Interativa de Londrina, foi uma entre os cem estudantes selecionados para competir na Google...

Você sabia que o Brasil tem uma “usina de ondas” no Ceará?

Por: The Greenest Post E que tal transformar a energia da onda em energia elétrica? Essa é a ideia da usina localizada no quebra-mar do...

Como luzes de Natal ajudaram guerrilheiros a abaixarem as armas

"Durante minha vida, nunca vivi um dia de paz no meu país." diz Jose Miguel Sokoloff, um executivo de publicidade, em sua impactante palestra...

Casal da capa do disco Woodstock está junto até hoje

Quem nunca sentiu que nasceu na época errada após ver imagens, vídeos e escutar músicas do festival mais famoso do mundo, o Woodstock? Um evento que...

Instagram

Cientistas recriam uma "super-enzima"capaz de degradar plástico 6 vezes mais rápido 3